quinta-feira, 16 de maio de 2013

É por estas que o Valentim deveria ir morrer longe!

Recebi uma sms da C. sucinta, daquelas tipicamente tão curtas que sentimos na alma o sofrimento de quem se forçou a escrever.
"O J. e eu acabamos! Estou a sofrer muito!"
Confesso que me caiu tudo ao chão, o mundo é mesmo daquelas sítios que nada pode ser dado como certo e neste caso apanhou-me mesmo com as armas em baixo.
De todos os casais que eu conheço este seria sem dúvida aquele que eu jurava a pés juntos que iam estar um do lado do outro para sempre. Afinal o sempre durou o que durou.
Gosto dela, é uma miúda mais nova que eu, mas que eu adoptei como irmã...tenho outra mas esta talvez por estarmos mais perto uma da outra ocupa um lugar de muito carinho no meu coração.
Um ser humano maravilhoso, com um coração que já não existe neste mundo, dedicada aos outros com uma temeridade que me chegava a assustar... tão pouco amor próprio no entanto.
Sou gorda, não me sinto bem comigo... não sou capaz... não...não...
Consegui à base de muito esforço tornar o não em sim, em fazer com que se olhasse ao espelho e embora não visse o que eu vejo, visse ao menos a mulher única que é!
Fiz aquilo que apenas uma irmã mais velha tem a autoridade de o fazer... exigi que viesse ter comigo...ralhei com ela porque não falou comigo mais cedo! Teria ido ter contigo nem que fosse as 5 da manhã!
Ela sabe que sim... mas os teus problemas já te chegam não te queria maçar com os meus.
Mandei-a bardamerda, que mais poderia fazer? Com os olhos rasos de lágrimas obriguei-a a jurar que veria ter comigo hoje!
Veio!
E fiz o que apenas poderia fazer nas situações que as palavras valem o que valem, menos de zero!
Abracei-a com a força que podia, tentando absorver daqueles ombros a tristeza que sentia.
E obriguei-a a falar... fala disse... descarrega tudo em mim que a irmã mais velha ouve...
E falou sem parar, sem emoção... como se me tivesse a relatar algo de alguém que não ela... está anestesiada...
A verdade é simples o barco era apenas pilotado por ela... a colisão era inevitável... "sabes? não gosto de meios termos de coisas indefinidas... acabei com tudo. No fim até me agradeceu disse que se eu não o fizesse ia levar o namoro por mais tempo!"
O orgulho que senti dela foi imenso, a vontade de os cortar em pedaços maior ainda!
Não falei mal dele, não era isso que ela precisava... fiz aquilo que faço bem. Fiz com que se risse das minhas patetices e parvoíces...
Não choramos... não destilamos rancor...nem planeamos vinganças mirabolantes... apenas falamos como se estivéssemos sozinhas no mundo. Horas de conversa num café... com gargalhadas sonoras...
No fim abracei-a de novo!
Agradeceu-me... eras mesmo o que eu estava a precisar...
Não a deixar afastar de mim, disse apenas em voz rouca estou aqui sempre! Só a deixei quando tinha o olhos secos!
Merda de mundo este onde as pessoas boas sofrem sempre mais!
Estava na merda... continuo na merda mas pelo menos a ela deixei um pouco mais leve!
Ao menos aí a vida vale a pena não vale? Saber que pudemos sempre deixar alguém se não feliz... aliviado!
Namasté.

6 comentários:

Anónimo disse...

Nessas alturas é o que mais precisamos.. de alguém que nos ouça, nos abrace e nos diga que tudo vai ficar bem... e vai.. acredito que algo melhor espera por nós um pouco mais à frente. talvez no virar da próxima esquina... espero eu!
Também fico revoltada por pessoas que nao merecem sofrerem com a tua mana.. mas felicidade é ter alguém como tu ao seu lado a apoiá-la e acarinhá-la!
Sim.. tudo vai ficar bem!

beijinhos,
OlgaM

Utena Marques disse...

Olga,

Senti-me impotente!
Sabes como sou, sinto que posso sempre fazer mais.
Mas sim vai correr tudo bem, a ela a ti que também mereces mana mais velha!

Beijos

dom disse...

O Valentim não tem culpa.
Uma relação tem de ser cultivada ao longo de todo o seu todo...mas ela vai ultrapassar isso! Ela é forte...tu és a melhor amiga que alguém pode ter a seu lado!

aishiteru ai

JP disse...

Fizeste aquilo que fazes bem...muito bem até!

E há alturas em que as palavras são como dizes...valem menos que zero.

Beijinho

Utena Marques disse...

Dom,

Em certos casos o Valentim é sim o culpado.
Neste caso a culpa sinceramente não interessa, interessa sim o facto de alguém estar a sofrer.

Beijo

Utena Marques disse...

JP,

Soube a pouco o que fiz sabes?

Beijos e obrigada