sábado, 15 de janeiro de 2011

Um dia de mimo a mim mesma

Hoje foi um dia dedicado a mim mesma, um dia de mim para mim.
Hoje não ontem, pois já estamos na madrugada de 15 e não no dia de 14...
Decidi que iria ser uma sexta de descanso ao corpo e de trabalho para o espírito, também já merecia isso, pelo que depois de ter ficado na ronha na cama até mais tarde (nota para mim mesma já não estou habituada a isso e deixa-me tonta e lenta de pensamentos), levantei-me, arranjei-me e sai em piloto automático...
O meu estado de piloto automático é engraçado pois deixa-me quase com metade do cérebro ligado e o outro, aquele que eu chamo de estado de censura, que incorpora chatices e assuntos a tratar, esse desligo por umas horas e não lhe dou literalmente ouvidos.
Ora sai e depois de ter levantado uns exames que já estão prontos vai para 3 semanas, rumei ao ginásio para travar conhecimento, visto que como sabem pelo meu texto mais antigo, ando em pesquisa de terreno pois não posso ficar muito tempo sem treinar, por forma a não prejudicar ainda mais o meu estado de espírito e o meu feitio já por si difícil de suportar.
Logo ai foi a maravilhas das maravilhas, um café já tardio numa esplanada com vista para o lago e para o verde do jardim, com imensa luz natural, acompanhado pelo desfolhar de uma revista enquanto esperava pela hora marcada para a entrevista com a consultora.
Que vos digo aqui de uma simpatia fora do normal, com um sorriso constante e uma conversa fluente e agradável, que me deixou relaxada e colocando em mim um sorriso fácil em resposta a sua amabilidade.
O ginásio é fabuloso, caro verdade, mas como me disseram hoje a qualidade paga-se, e ali impera a qualidade, luz natural em todo o lado, áreas abertas amplas e nada claustrofóbicas, salas de grupo harmoniosas, ambientes minimalistas mas familiares...  uma piscina maravilhosamente convidativa... e claro como se isto tudo não bastasse um jacuzzi mesmo a saída dela...
Sai de lá com a vontade implementada na carne de começar a treinar naquele mesmo instante e com a promessa de ir fazer uma aula, convidada por eles para experimentar o espaço e sentir a empatia, absolutamente necessária com o professor/a.
Rumei ao centro comercial, pois recebi umas prendas monetárias no Natal em busca de um brinquedo, um Notebook dos mais pequenos, nova pesquisa de mercado, esta sem dar em nada, detesto pessoas atrás de um balcão que não sabem o que lá estão a fazer, paragem para comprar o almoço para mim e para a minha mãe e rumei de encontro a ela, para uma almoço em companhia uma da outra, que ultimamente se esta a tornar raro, mas que me faz falta.
Da parte da tarde, rumei a um novo centro, passando devagar, pela marginal ao volante do meu automóvel, vendo o mar acinzentado semi agreste iluminado pela luz do sol filtrada por entre as nuvens, sentindo no rosto o vento salgado que vinha de encontro a mim...mantendo o sorriso nos lábios, e o espírito livre... Adquiri o que procurava e tal qual criança que no primeiro dia de aulas aborrece toda a gente com o seu material escolar novo, andei com o meu pequeno brinquedo de "capela" em "capela" a fazer banga da aquisição.
Agora como não podia deixar de ser no silêncio do santuário que é o meu quarto, deitada na minha cama, não podia terminar o dia, sem escrever no meu novo companheiro e dividir convosco este meu dia de carinho a mim mesma que tão bem me fez sentir.
Sentindo no ar a promessa que mais textos provavelmente me vão sair, pois só tenho de estender a mão e suavemente deixar os meus dedos percorrer as teclas transpondo para ele aquilo que a minha imaginação me traz…
Até lá... Boa noite

4 comentários:

M. disse...

Que seja o primeiro dia do resto da tua vida...:)

Utena disse...

M. sempre com uma palavra de carinho obrigada

ROSINHA disse...

Passaste um dia contigo,logo,muito bem acompanhada...
Beijinhos (se fosse comigo também não estavas nada mal)!

Utena disse...

Temos de fazer isso um dia destes um dia passado nós duas...
Ia ser no minimo interessante
;)