quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

O final de um dia... Perfeito!

E pronto desta vez é que é, depois da demanda da mudança do ginásio, voltei em força, e nem a gripe, a tosse, as dores de costas causadas pelo esforço de tossir, o peito e os lábios arrebentados, nem mesmo o facto de me ter esquecido esta manha do meu saco em casa, me fez adiar o meu regresso.
Por isso hoje depois de ter saído do meu part time pelas seis, me ter apercebido que não o tinha, de ter olhado para o céu, maravilhoso nas suas cores fortes de laranja, que davam as boas vindas a noite… de ter pensado que sendo assim ia enroscar-me no sofá… enchi-me de força e coragem e pensei. Vou na mesma nem que seja 5 minutos.
Zarpei para casa, liguei ao meu pai para me trazer o saco ao carro e arranquei em grande velocidade em direcção ao ginásio… já em stress confesso, pois se existe coisa que detesto são contratempos… aprendo a lidar com eles mas não os gramo.
Cheguei a tempo da aula de Combat e pensei bem, já que vim faço… e fiz… e ia morrendo… e sai de lá de rastos e com um sorriso de orelha a orelha… o bem que me faz sentir certas dores musculares, compensa, o peso que senti no peito e o facto de estar com uma brutal “dor de burro” que nada mais se deve, do que ao facto de não oxigenar como deve ser o sangue, no meu caso por estar entupida em quase tudo que é buraco.
E depois de ter suado que nem uma louca, vesti o fato de banho e aproveitei o resto da hora para relaxar… umas braçadas numa piscina de água norma… que mesmo com uma aula a decorrer é suficiente larga para me puder isolar do mundo e ser só eu a água e o som das minhas braçadas… e depois de ter deixado o doce morno da água “varrer” o que restava de stress da minha pele, deixei o corpo entrar na água quente e borbulhante do jacuzzi e a mente voar para longe e relaxei até sentir o corpo dormente e a mente desligar suavemente.
E agora no sossego da casa com o meu mais novo ao colo, enquanto escrevo o texto do meu perfeito final de dia, com uma tremenda “cobra” enrolada ao pescoço dou por mim a pensar:
“Viver é fácil, difícil é saber viver!”
Agora isto resultava muito bem era se esta maldita gripe se fartasse de mim e se fosse embora…
Bons sonhos!

6 comentários:

M. disse...

Os vírus sabem escolher:)

Vês: um dia de cada vez...Tão bom:)

Utena disse...

Os virus precisavam de um pontapé no rabo, que o meu corpo não esta aberto a nenhuma rave lol :)
Sim um dia de cada vez... viver o hoje amanha logo se vê

Beijinho

Anónimo disse...

Há vidinhas difíceis... Uma boa sessão dentro de água é ó(p)tima para desobstruir a porosidade, ou desentupir buracos como queira chamar.

Já contou à gripe a história da vaselina e das promoções? Com alguns vírus e algumas viroses resulta, pode ser que tenha sorte ;)

Utena disse...

Anónimo/a a vida é dificil sempre mas há que saber aproveitar os pequenos intrevalos que ela nos dá.
Quanto à gripe estou a pontos de a trincar confesso...

ROSINHA disse...

Em atraso...

Utena disse...

Sempre presente... :))