terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Velhos são os trapos

Para mim que vejo no meu avó e nas pessoas mais velhas um porto de abrigo, não é nenhuma surpresa. Aliás a força de vontade... a coragem das pessoas mais velhas não é algo que me surpreenda, não é apenas algo que conto, que não me deixa admirada.
O comportamento dos mais novos, com relação a eles, e ao que se passa a volta é que me envergonha e me deixa agoniada.
Estamos na época do olha para o lado, do finge que não vê... a época do não quero saber desde de que não influencie a minha "maravilhosa" vida, o meu “perfeito” dia-a-dia.
O facto de sermos capaz de viver num prédio sem saber quem é o vizinho já não me admira, mas ver que as pessoas são capazes de passar ao lado, de alguém a ser maltratado, ofendido, abusado... ao lado de alguém a ser assaltado sem nada fazerem, deixa-me triste... aliás ofende-me pessoalmente.
Por isso não podia deixar em branco a coragem de uma mulher, em relação a mais de 5 miúdos em Inglaterra...
Plena luz do dia, 4 ou 5 marmanchos armados de bastões, atacavam impunemente uma montra de uma ourivesaria... não era á noite era de dia, numa rua movimentada... ninguém fazia nada.
De repente do nada, vem a correr uma senhora de idade já avançada, armada apenas da sua carteira de mão investe agressivamente contra os assaltantes, uma... duas... várias vezes. Bolsadas atrás de bolsadas, até os afastar da montra... até os dissuadir do roubo... até os colocar em fuga....
Interruptamente... uma atrás da outra, até inclusive ter impedido dois deles de fugirem... e apenas após este acto de altruísmo... de coragem...de alguém que já passou o suficiente para não permitir que quem é honesto e ganha a vida a trabalhar seja defraudado dos seus valores é que os mais novos que observavam actuam... que ganhem finalmente tomates e fazem o que lhes compete.
Não posso deixar de me interrogar em que época vivemos, onde o ideal é fazer ouvidos de mercador e passar ao lado... onde o estender de mão é fora de moda.
Como é possível ser necessário uma "velhota" ter de impedir um roubo porque aqueles que supostamente tem força física não o fazem...
Pergunto-me como consegue esta gente chegar à noite e repousar sem sentir um peso nos ombros a cabeça na almofada...
Vergonha... é a única coisa que sinto!
Estendam a mão a quem já cá anda a mais tempo mas com respeito e humildade... vão ver que ainda vão aprender muitas coisas com aqueles que supostamente mais nada têm a oferecer a humanidade.
A esta senhora... aos mais velhos como ela o meu sincero agradecimento por ainda não terem desistido de nós... por acharem que ainda valemos a pena. E as minhas sinceras desculpas pela forma injusta como os tratam... Nunca se sabe, pode ser que abramos os olhos e ainda não seja tarde de mais.
Valente!

2 comentários:

M. disse...

De facto um exemplo. Imagina como ela seria uns anos atrás:)

Pessoas grandes é isso!

Utena disse...

M.
Devia ser fresca a senhora...
Mulher de luta :)
Já não se fazem pessoas assim