terça-feira, 8 de março de 2011

Não ia deixar passar em branco

Não gosto de festejar datas… de festejar porque tem de ser… para mim algo que se queira fazer faz-se sem ter de haver uma altura específica.
A única data que ainda compreendo, será a de aniversário… é um marco… o inicio de algo… de uma vida, de um sonho, de um projecto.
De resto, não festejo, não espero pelo dia certo no calendário para ter um gesto com alguém que amo… que respeito. Não faz sentido!
Hoje ironicamente festeja-se duas datas… o Carnaval e o dia da mulher.
Do carnaval não falo… não gosto! Admiro o de Veneza pela sua essência… o resto é uma forma de se fazer tudo e supostamente ficar-se impune.
Do dia da mulher, por um lado aceito basicamente pelas mulheres que fizeram dele um dia de homenagem por outro não o compreendo.
O dia 8 de Março ficou conhecido pelo seguinte facto histórico:
“Neste dia, do ano de 1857, as operárias têxteis de uma fábrica de Nova Iorque entraram em greve, ocupando a fábrica, para reivindicarem a redução de um horário de mais de 16 horas por dia para 10 horas. Estas operárias que, nas suas 16 horas, recebiam menos de um terço do salário dos homens, foram fechadas na fábrica onde, entretanto, se declarara um incêndio, e cerca de 130 mulheres morreram queimadas. Em 1910, numa conferência internacional de mulheres realizada na Dinamarca, foi decidido, em homenagem àquelas mulheres, comemorar o 8 de Março como "Dia Internacional da Mulher".
A elas a minha homenagem de coragem e respeito pela condição de mulher.
Agora não entendo o comemorar com flores… estas mulheres morreram a provar o seu valor como indivíduos… como seres…
Como mulher sei que somos, guerreiras, corajosas, lutadoras, amantes, amigas, mães… somos duras e moles… loucas e sãs… perdemos a cabeça por um pêlo encravado vamos de cabeça erguida saber o resultado de um teste a um cancro da mama!
Afagamos com a mão que muitas vezes batemos… somos duras quando devíamos ser brandas e vice-versa!
Somos um mistério! Umas mais que outras, verdade!
Se deixamos chegar as coisas ao termos que estão… melhores mas que ainda mostram o desrespeito à nossa condição de mulher … a nós aponto o dedo e a culpa!
Alguém no fez acreditar que para aceder a certos cargos tínhamos de perder a nossa feminilidade… que para “contrair matrimónio” tínhamos de perder a nossa independência… que uma mulher é a “costela” do homem!
Somos feiticeiras poderosas, senhoras do nosso destino! Grandes mulheres provaram isso usando apenas aquilo que de melhor temos. Sensualidade e inteligência.
Somos capazes de fazer tudo… não deixem que alguém  diga o contrário! Saibam usar o poder fabuloso que tem em vosso proveito!
Como podemos festejar algo que somos… como se pode festejar uma flor… um rio ou uma arvore?
E não façam de tudo uma guerra ou uma derrota… existe meio-termo (eu contra mim falo) … uma mulher, tal como o homem… evolui, aprende… erra! Cresce!
E se festejarem o dia… com flores, bombons… e outras coisas que tal lembrem-se que não é só o dia de hoje que conta! Não adocem hoje e amarguem amanha… porque no meio disto o que me faz lembrar estes dias especiais de calendário, são as beatas que vão a missa bater no peito mas que assim que saem porta fora já vêm a comentar vida alheia de forma dura e maldizente…

6 comentários:

M. disse...

Foi uma data importante. Mais um marco.
Não gosto de dias internacionais de...Porque não gosto de paternalismos hipócritas:)

Um homem, nem precisa de ser muito inteligente, sabe que uma mulher lhe é, no mínimo, igual:)

Sofia disse...

Um grande beijinho para uma pessoa encantadora: tu!
Sofia

Utena disse...

M.
Nada como festejar o dia-a-dia, sem esperar pelo calendário e pelos dias que supostamente marcam dias próprios.

:)

Utena disse...

Sofia,

Beijinho de volta...

TERESA SANTOS disse...

Utena,
Como te compreendo!
Quem me tem seguido sabe desta minha aversão pelos dias disto e daquilo.
Alguns defendem que é para lembrar que...
Eu considero que é mais uma forma de hipócrisia, ponto final!
Não somos do mesmo signo (para quem acredita nisso), mas já deu para ver que somos muito iguais em determinados aspectos.
Começar?!
Por exemplo: o amor aos animais!
e
às malas...
Umas que tens no teu espaço, lindas, lindas.
Se as tens é porque gostaste delas, ou não?!
Então?!
Beijinho.

Utena disse...

Teresa,

As pessoas regem-se por dogmas e datas sem necessidade... escondem-se por detrás de tradições parvas e futeis...
Não somos felizmente todos iguais e não critico quem assim é.
Quanro ao seremos parecidas sim já deu para reparar pelo pouco tempo que te leio que sim...

Beijinhos