sábado, 27 de agosto de 2011

Dei por mim a pensar no porque de se criarem as chamadas expectativas...





Sou uma sonhadora…uma idealista por natureza. Aliás não o admitir, seria estar a contradizer tudo o que tenho escrito até ao momento aqui nesta espécie de diário aberto a consulta.
Talvez pelo facto de ser filha única e muito provavelmente por ter estado emigrada tantos anos não só sou sonhadora como sou uma contadora de histórias (bastante boa por sinal, modéstia á parte). Comecei por o fazer para mim interiormente quando criava os meus cenários ideais para as brincadeiras (era capaz de fazer um filme com sequelas com as barbies) e posteriormente para os outros quando me pediam para o fazer em recreios grandes ou furos entre aulas… era na altura e continuo agora a ser extremamente imaginativa… talvez até um pouco de mais se querem que vos confesse… tanto que me isolo muitas das vezes nesse mundo só meu cuja janela abro algumas vezes a espectadores atentos.
E o facto de ser assim faz com que muitas (quase todas) as vezes que vou ver um filme após leitura do livro, saía de lá desiludida pois o mesmo nunca se estende às minhas expectativas nem aos cenários por mim criados quando o leio. Levando-me a optar por não o fazer quando o filme me desperta a atenção antes de o ver… assim quando leio fico sempre muito mais saciada com a história.
Mas no que diz respeito a expectativas, as mesmas, ficam-se na maioria das vezes por aqui… Não sou pessoa de as criar… nem quando vou a uma entrevista de trabalho… nem em “blind dates”, nem mesmo, e acontece neste mundo cibernético variadíssimas vezes, quando troco ideias com “desconhecidos/as" por detrás do ecrã.
Podendo vocês pensar que se trate de um cliché ou não, a realidade é que eu não ligo a aparências… nunca liguei. Sim eu sei e podem já acalmar a exclamação que por ventura vos terá passado pela mente, os olhos são os primeiros a comer e um embrulho apetecível é meio caminho andado… mas será?
Quantas vezes nos encantamos por alguém pela aparência e após 5 minutos de conversa ficamos desejosos de desandar dali para fora?
Quantas oportunidades perdemos de encontrar alguém com quem nos identificamos, ficaríamos horas a conversar… riríamos facilmente…ou mesmo ficaríamos comovidos e não o temos porque nos deixamos influenciar pela capa mas pobre…menos brilhante?
Eu por mim falo e digo desde de já que foram demasiadas vezes. Por isso não as crio e ponto o que vier virá… boas ou más surpresas, todas elas, etapas que nos permitem crescer como pessoa e nos impedem de dar com os c@rnos na parede.
Ir de mente aberta sem falsos dogmas nem secretos desejos faz com que na realidade aproveitemos muito melhor a dádiva que a outra (pessoa ou situação) nos pode dar e no fundo… mais ou menos profundo, só temos a ganhar.
A vida não é fácil eu sei isso bem demais é aliás um dos motivos porque fujo algumas vezes da realidade e me refugio no meu mundo idealizado, mas nós acabamos por a tornar tão mais difícil…
No fundo e isso é apenas aquilo que eu sinto, ao querermos que os outros (e novamente aqui tanto pode ser pessoas como situações) se tornem aquilo que queremos, que criamos nas nossas expectativas, estamos a dar liberdade que o façam connosco também criando assim uma relação de mentira… de falsas verdades… de partilhas duvidosas.
Por isso prefiro ser como sou… expectativas à parte… se não as crio não as criem em relação a mim!
No fim quando temos do nosso lado o mais real lado da vida saberemos sempre com o que e com quem contar… não é tão mais fácil?

10 comentários:

Sharky JP disse...

Expectativas para quê?
As pessoas apresentam-se como são, seja virtualmente ou pessoalmente. Se houver algo que não bate certo, saberás o que fazer. Comigo é assim.
Querer-mos conhecer a pessoa que está do outro lado, que partilha algo em comum, uma conversa, etc, não tem nada de mal, só têm de se apresentar como são, se houver algo mais aí sim, poderá criar-se alguma expectativa quanto aos próximos passos. Antes disso não.
Amor VS Net...right...só cai à primeira quem quer.

tilida5ever design disse...

"Quantas vezes nos encantamos por alguém pela aparência e após 5 minutos de conversa ficamos desejosos de desandar dali para fora?"...Uteninha nem sabes quantas vezes me acontece isso!Já de nós as pessoas nunca poderão dizer o mesmo né?

TERESA SANTOS disse...

Utena,

Criar muitas expectativas - seja em que situação for - ou julgar pelas aparências, é sempre uma atitude de risco, ou seja, altamente falível.
Devemos aprender a conhecer as pessoas.
Só que...?
É difícil? Sim, muito, mas fundamental se pretendemos encontrar a "pérola" no meio da vulgaridade e, até, da maldade.

Beijinho.

Eva Gonçalves disse...

Já voltei da pausa e já escrevi uns textitos...o "teu" está alinhavado já... não deve tardar :) Somos todos sonhadores e idealistas. Por vezes com a ideda, tendemos a ser mais cínicos... mas no fundo, no fundo... os ideais são os mesmos :) Beijo

Utena disse...

Sharky JP,

Nem me passou pela cabeça falar sobre amores virtuais por aqui...
Apenas nas ideias pré-concebidas que se cria muitas vezes...
Umas pelas expectativas outras por aquilo que nos deixam a expectar

Utena disse...

Tilida,

Somos as duas reais demais para isso acontecer.
O que mostramos é o que somos.

Beijinho

Utena disse...

Teresa,

Vivendo e aprendendo sempre... por mais difícil que seja... só assim se vive realmente.

Beijinho

Utena disse...

Eva,

Bem-vinda de volta estou ansiosa por ler o meu =)

Sim mantendo os ideais mantemos-nos a nós mesmos.

Beijinho

Carrie Bradshaw disse...

5 minutos depois amiga!?!?!? Quantas vezes duas frases mais tarde estás a pensar: porque raio estou aqui a trocar palavras com este imbecil quando estaria tão melhor em casa a ver a TV e a comer bolachas de chocolate!?!??!
EIN?!?!?!

Utena disse...

Carrie,

Tantas vezes... ai mas tantas...
Mas eu quando isso acontece sou máxima e digo logo:
"Olha não estar a dar... marcamos para outra data?"