quinta-feira, 11 de agosto de 2011

E é apenas isso que me faz pensar...Será que consigo?


Sou uma mulher de ideias fixas… aliás em alguns casos posso até dizer que sou empancada que nem uma mula. =)
Admito que sim pois os defeitos em conjunto com as virtudes fazem aquilo que somos e o que nos torna tão diferentes no agir uns dos outros mesmo em situações idênticas.
A verdade é que tomei a decisão de estar sozinha por uns tempos, decisão consciente e ponderada que tomei não a quente e saída de uma relação que apenas foi uma ralação muito grande na minha vida.
Não interpretem mal, não estou arrependida de a ter assumido e de ter feito tudo o que era humanamente possível para que resultasse, estou apenas arrependida de não ter seguido os meus conselhos que tão brilhantemente aplico aos outros, e ter terminado com ela mais cedo… com menos dor… menos cicatrizes.
Por isso de uma forma pensada e ponderada (sim porque eu posso dizer tudo como os malucos mas é sempre muito bem pensado antes, mesmo que não pareça) entrei na face a que chamei “abstinência ao sexo masculino”, não me escondo… não o evito apenas não o procuro…
Fica a porta entreaberta mas daquela forma que é preciso saber abrir…
Sou muitas vezes no entanto confortada com perguntas a que acho graça mas que a mim nenhum sentido fazem ou quase nenhum…
Um dos temas que não escrevo e que raramente falo é da libido de cada um é algo próprio e comum de cada individuo e os desejos mais ou menos fortes é algo que respeito ponto final paragrafo. Mas porque com quem confio e com quem falo poucos tabus tenho no que diz respeito a conversa e troca de ideias e porque os poucos que tem direito a essa intimidade conhecem bem a minha vida pessoal, ou até porque no meio de uma conversa de desconhecidos muitas vezes a pergunta:”tens namorado? Há quanto tempo estás só?” tornou-se corriqueira é hábito e costume levar com a exclamação em cima de: “Mas como aguentas tanto tempo?! Eu já estava a trepar paredes!” e isso venha ela de homem ou de mulher.
Não querendo ofender aqui ninguém e não querendo ferir sensibilidades alheias (até porque respeito cada uma das posições e opiniões que possam suscitar a leitura dos meus textos) posso dizer que não entendo nem compreendo essas frases acaloradas… esses quase ataques ofendidos ou induções de que eu possa não ser normal ou mais fria… ou frígida… (aliás em consequência disso dá-me sempre ataques de riso que tento a custo moderar) …
Hoje e como estou num dia em que sinto particularmente falta de... deixem que vos diga o que realmente me faz vacilar na minha ponderada decisão…
Não é o sexo… a arte do amor… o roçar… o quente que podemos ficar ou deixar alguém… muito menos necessidade física/sexual a ser saciada… e não me venham com merdas que não é normal porque para mim é mais que normal… e eu gosto de sexo (não vá alguém deduzir já o indefinível) gosto sim muito mas não a arte banalizada que corre aí pelos carros em ruas escuras… o toque pelo toque… porque se sentem sós… porque supostamente não é normal não querer ou não sentir falta…
Para mim quando desejo e quando faço tenho de sentir aquela vontade arrebatadora que nos impede de respirar e que nos deixa com a pele sensível até ao toque da roupa… quando a respiração se esquece dos passos básicos… por isso não… não meus caros não sinto falta… não trepo paredes nem preciso de duches frios…
O que me faz vacilar na minha decisão é o beijo… é disso sim que sinto falta… que me deixa nostálgica…
O beijo na sua plenitude… que nos faz ficar cega e surda ao mundo que nos rodeia… que nos faz desejar que o tempo para quando nos perdemos nos olhos que nos olham e que nos murmuram que te vão beijar até te inundar a alma… disso sinto falta…
Do beijo que te deixa tremula… sufocada e com taquicardia… que subtilmente te deixa marcado na pele aquilo que pode acontecer no passo a seguir… que te dá vontade de mandares o mundo para o raio que o parta desde de que possa sentir os lábios nos teus… o sabor invadindo as tuas células até te deixar mole e de pensamento lento…
O beijo roubado á lufa-lufa diária que te mostra que do outro lado está alguém que te conhece a alma e te pode roubar o coração…
Sim é disso que sinto saudades… que me faz suspirar com uma musica melosa ou com uma cena lamechas de um filme a vontade de me perder nuns lábios que me deixem ausente do mundo… ausente de mim…
Se isso me faz ser anormal? Não sei…
Mas a pergunta que fica é:
Porra mas não existe por aí ninguém que divida a mesma anormalidade que eu? É que publicidade á parte eu até beijo bem… =)
E respondendo a pergunta que posso seguir a isso o sexo para mim? Não existe... existe a consequência que advém de um beijo e de uma cumplicidade que cresce e se transforma na dualidade maior na vida de alguém uma dualidade que se torna una... que te deixa plena e que não te coloca depois a duvida do se... ou a que consequências poderás ter no depois...
E pronto chega de parvoíces por hoje… aí é o que dá apanhar sol na moleirinha o dia todo como foi ontem…

18 comentários:

Anónimo disse...

Mais um tema quente a condizer com os o calor que tem feito, lololollol
Não é nada anormalidade, mulher... há muita gente que pensa assim.. eu pelo menos :-)
Também não trepo paredes nem tomo banhos de agua fria, o que sinto falta é do beijo, sim, e daquele abraço que me faz esquecer que há mundo para além de nós os dois... o que sinto falta é da cumplicidade, é da mão dele na minha... é sentir o amor e o carinho.....o sexo? é apenas uma consequência natural de algo muito maior que isso....
Beijo grande!!!!
OlgaM

Utena disse...

Olga,

É assim apanha-se sol no "cucuruto" sai isto...

Bom saber que não estamos sozinhos lol

Beijinho grande

Anónimo disse...

:-) claro que não.... pelo menos que como eu, vêem o sexo como uma consequência natural de algo e não como finalidade :-)
Beijo grande amiga, saudades de falar contigo :-)
OlgaM

Utena disse...

Olga,

Sinto que neste campo caímos no exagero e nos extremos... infelizmente.
Saudades daqui em igual quantidade moçoila do meu coração... como vais entrar em descanso a ver se matamos as saudades rápido.

Beijo =)

Moi disse...

Nunca comentei antes... mas concordo contigo... o que faz falta não é o sexo por sexo, é tudo o mais antes dele, é o beijo, o toque, o olhar no fundo um do outro...
É sentir um abraço como se fossemos abraçadas pelo mundo.


Beijo!

Sharky JP disse...

Anormais somos todos nós, não compreendemos é a normalidade dos elementos que nos rodeiam. A natureza é lixada e todos nós contribuímos para tal.
Ainda há pouco tempo fui ao cinema ver um filme lamechas, faltava lá alguém para completar o espaço...
O que sentes é normal, vive um dia de cada vez, blá blá blá, a treta do costume.
O muito que sempre ofereci, era pouco, agora que pouco ofereço, é muito. Diz-te alguma coisa?
Abraço.

CF disse...

Chama-me anormal que eu gosto!!! lololol
O beijo é o ponto G de muita gente...:)))
bjs grandes

M.J. disse...

Epa, este texto fez-me pensar, revi-me em muitas coisas que escreveste...

A sociedade de hoje não “aceita” que as pessoas optem por estarem sozinhas, vêm sempre essas perguntas (e sexo? Não sentes falta da companhia?) mas alguém pergunta o porquê dessa decisão, de se querer ficar sozinho?

Há sempre uma razão para se estar sozinho, ou é porque a última relação não correu muito bem e que ainda tem marcas cá dentro ou simplesmente com o estilo de vida que se leva não se consegue ter uma relação ou outra razão qualquer.

Eu sou um misto das 2 que referi, com a vida que levo seria injusto estar com alguém e ela sujeitar-se a estarmos longe 1 do outro por 1 período grande, não acredito nos amores à distância, já tive mais que uma experiência e nunca resultaram, a essência de uma relação è a partilha quase diária com a pessoa que gostas, não o tipo lapa mas estar juntos sempre que apetecer e se for o caso de ser todos os dias, porque não?

O sentir falta… sinto falta dessas “pequenas coisas”, como o beijo, e claro que podia resolver isso ao meter-me com qualquer pessoa mas seria o mesmo?

Eu não fui exemplo de relações, tive as minhas falhas mas aprendi com esses erros e espero que da próxima vez(sim porque eu não quero ficar sozinho para sempre) que surgir a oportunidade não cometa os mesmos erros.

Já escrevi muito, desculpa!

Esse também será tema num dos próximos posts, as relações em Portugal vs relações no Sri Lanka.

bjs

Nokas disse...

O beijo é apenas o inicio ;)

Utena disse...

Moi,

Bem-vinda então aos comentários, obrigada por o fazeres.
Sim o que antecede e o que procede isso sim sinto falta...

Beijo

Utena disse...

Sharky JP,

Diz-me mais do que aquilo que podes pensar... somos muitas vezes aquilo que fazem de nós...

Abraço

Utena disse...

CF,

Todos somos anormais dentro da normalidade de cada um... diz lá que não adoras ser beijada?

Beijos

Utena disse...

M.J.,

Em primeiro lugar não tens de pedir desculpa por escrever muito ou pouco aqui no meu canto idealizado todos podemos dizer o que pensamos desde de que não ofenda quem cá anda... as ideias são sempre bem vindas e as tuas fazem sempre muito sentido.
Quanto aos erros nas relações todos cometemos aliás é preciso dois para dançar o Tango certo?
O bom disto? Aprender com os erros e levar a vida a uma meta melhor =)

Beijinhos

Utena disse...

Nokas,

E o fim =)

Martini Bianco disse...

A minha opinião acerca deste assunto pode ser um pouco baseada na opinião do MJ. Existem estilos de vida condicionam relações, que as fazem estar condenadas praticamente desde o início. Já passei por isto variadíssimas vezes e é com alguma tristeza que leio o que escreves por ser tão verdade a raridade dos amores com sentimentos assim, visto que talvez só tenha sentido duas vezes na vida, o que acho manifestamente pouco para a minha odisseia de vida. O mais foram uniões de pólos totalmente diferentes onde esses pequenos condimentos não passaram de apenas preliminares dos dois ou três primeiros encontros.

Mais do que não conseguir obter esses importantes condimentos numa relação o que mais me impressiona é a facilidade de algumas pessoas em encontrar parceiro/a ao virar da primeira esquina, pois para mim não é fácil encontrar essas esquinas, e pelo que li nas tuas palavras pela tua estrada também parecem não haver muitas.

Utena disse...

Martini,

Compreendo tão bem o que dizes... a sensação que tenho é que te tomam como certo... ou pelo menos o fazem comigo e eu sou uma mulher que gosta de conquistar quem ama e que gosta de ser conquistada...
Não existem mesmo essas esquinas, não as procure nem as quero...
Mas acredita que muitas vezes não posso deixar de sentir falta dessas sensações e que dou por mim a pensar se o erro não será meu.
Mas pelo menos mantenho-me fiel ao que sou... sempre e sabem sempre com o que contar.

=)

Clara disse...

Míuda,

escreves mesmo bem :) e tocaste na "mouche", um beijo sentido é mais orgásmico que o próprio orgasmo. Admiro a tua coragem de assumires estar sozinha, até voltares a sentir aquilo que todos queremos, mas nem sempre admitimos.

Ainda esta semana disse a um galanteador que tentava levar-me para a cama, de uma forma romântica, mas não sentida, "recuso-me a viver assim...recuso-me" e saí de lá sem a queca, mas consciente de que agi de acordo com o que eu sentia.

E foi bom, muito bom ;)

Beijo

Utena disse...

Clara,

Antes de mais obrigada pelo elogio, escrevo o que sinto e tento transpor para o monitor o sentimento da forma mais fiel possível.
O resto assumo sem problema nenhum que estou sozinha e que é uma decisão consciente e minha...

Beijinho