sábado, 6 de agosto de 2011

Faz-me confusão e não há nada a fazer...

 (Montra feita hoje pela manha!)

Muito tenho escrito e lido em alguns “cantinhos” que sigo com carinho sobre o atendimento ao cliente ou melhor o mau atendimento.
Hoje e após ter estado a observar o comportamento de algumas clientes resolvi falar sobre esta mania que todos temos (ou pelo menos a maioria de nós) de achar que “mandamos”nos funcionários dos locais que frequentamos.
Sejamos sinceros todos gostamos de mandar as nossas “postas de pescada”, eu faria assim ou assado… mas a verdade é que o comum cliente português (e refiro-me exclusivamente ao “Portuga” pois não é surpresa para ninguém que eu aqui não falo de comportamentos que não conheço minimamente) é alguém inculto e mal-educado, sem o mínimo conhecimento dos seus direitos como cliente… sem fazer a mínima ideia até onde poderá ou não esticar a corda.
Vejamos um exemplo até aos dias de hoje a percentagem que sabe lidar com um livro de reclamações é mínima e não querendo dar uma de “Cruella d’Ville” aposto que está nos 1% quem sabe as consequências de lá escrever se não tiver razão para o fazer.
Para terem uma ideia já tive clientes a querem escrever no livro por coisas tão descabidas como pelo bom atendimento… como foram tão bem atendidas queriam isso registado ao quererem reclamar por uma peça de roupa ter o preço mais elevado que aquilo que lhes permite o bolso gastar.
Que fique registado que quando se escreve no livro de reclamação as consequências podem ser atribuídas a ambas as partes e assumidas por elas… Não é apenas o comerciante que se lixa com F o veneno pode voltar ao precedente se escrevem sem razão de causa.
Mas mais que isso o cliente anda mal habituado com o comércio e aos poucos está a minar as poucas lojas com qualidade… não é uma nem duas que me entraram aqui por exemplo no inicio de uma colecção a perguntar se não estamos já em promoção… mas aqui não culpo somente os clientes mas culpo em igual condição os comerciantes que não sabem manter a originalidade e seguem tipo manada de bodes atrás uns dos outros… e verdade nada me dá mais prazer que deixar de vender por não ter já a peça que procuram.
E se por um lado temos agora estas espécies de mulher que mal e porcamente se sabem vestir que tratam quem está por detrás de um balcão como um ser inferior… por outro temos as mesmas espécies a serem mal atendidos e servidos e ainda a agradecerem por isso.
(Salvam-se excepções a regra Graças aos Céus mas lá está estamos a falar de pessoas que perdem tempo em se educarem continuamente)
Está na altura de as pessoas se informarem e se actualizarem continuamente, a ignorância não é uma doença é pura e simplesmente defeito… e um ignorante para mim mais depressa é alguém saído da faculdade com o “rei na barriga” e o “bobo na cabeça” que alguém que não conseguiu tirar a 4ª classe porque teve de ir trabalhar para ajudar a família.
Da minha observação diária, e sendo eu alguém que lida muitas horas com o publico, cada dia mais vejo pessoas burras e mal-educadas que ainda se congratulam por isso como se fosse uma medalha para usar ao pescoço e pior que isso é que muitas das vezes quem maltrata quem os atende é quem já por si executa o mesmo serviço… como uma versão hedionda do antigamente onde as crianças vitimas de maus tratos se tornavam adultos agressores.
O que eu deduzo disto tudo é que a geração de agora não saiu ainda do recreios da escola… e continuam a actuar e a andar em grupos…
Se isso me preocupa? Ligeiramente… mas confesso que me deixa mais enjoada que outra coisa, houve alturas na minha vida que confesso me preocupava com isso… posteriormente passei para a minha terrível fase do “com faca matas com faca morres” agora entrei numa mais tranquila onde a má educação e a rudeza é tratada com a mais simpática faceta do meu ser (mesmo que interiormente esteja a ferver e a mandar meio mundo ir direitinho para o “pai de todos nós”).
E se no meio disso ainda conseguir aplicar uma lição a quem lida comigo que sirva para alguma coisa? Fico muito feliz com isso.
O que eu gostaria?
Que se educassem, que deixassem de assumir tudo literalmente mas que consultassem, se informassem e depois que tivessem as suas próprias conclusões… que aprendessem a respeitar todos por igual. Utopia? Sim talvez um pouco… mas mais que isso? Saberem que na vida tudo o que damos recebemos… muitas das vezes não da forma como gostaríamos mas definitivamente da forma como precisamos.
BTW? Aqui no meu sonho (AKA loja) o atendimento não é estilo supermercado… aqui o atendimento é personalizado… focado e direccionado para o bem-estar e o bem vestir, por isso se mais uma entra e dá “bitaites” do estilo “deixe-se estar que vim só deitar um olhinho” eu explico-lhe com bonecos a mexer como foi que o Camões perdeu o dele.
Namasté

10 comentários:

Ana Domingos disse...

Olá Utena, óptimo post! De facto, as pessoas que lidam com o público no seu dia-a-dia, têm de ter uma grande dose de paciência... E a montra está muito bonita, simples mas elegante!

Utena disse...

Olá Ana,

Em primeiro lugar obrigada pelo elogio á montra =) fico contente por teres gostado.
Em segundo lugar eu sou uma cliente exigente porque sou uma funcionária muito exigente com o meu atendimento. É preciso sim ter paciência com os clientes, as pessoas habituaram-se a ser maltratadas e pessimamente atendidas e como os maus hábitos adquirem-se com mais facilidade que os bons a educação perdeu-se no entretanto.
Beijinho

Anónimo disse...

Bela montra, como sempre, sócia :-)
Nem consigo imaginar a paciência de santo que tens de ter para atender todas as pessoas que entram na loja...e para aturar as faltas de educação... sim, infelizmente parece ser um mal crescente! Mas creio que o teu plano de bonecos a mexer, pode resultar com algumas pessoas, lololololololol
Beijosgrds
OlgaM

pink poison disse...

Adoro os teus pontos de vista!

M.J. disse...

A mim também me faz confusão porque hoje és tu o cliente e amanhã podes ser o funcionário e de certeza que não gostarias que alguém tivesse o mesmo comportamento que tu…

E nos restaurantes? Talvez por ter alguns membros da família ligados a este ramo faz-me confusão alguns comportamentos de clientes, alguns até chegam mesmo a insultar…

Quem trabalha com pessoas precisa de ter uma dose de paciência extra e engolir muitos sapos, tenho que admitir que não gosto faltas de respeito e quando vejo que me repreendem sem razão aparente não me calo, tenho sempre algo para dizer…

Não é bom mas tenho que aprender a estar calado, é comer e calar por mais que custe mas para o bem do funcionamento das coisas tem que ser assim mesmo e penso que é o que acontece contigo, de certeza que já te apeteceu mandar 1 quantas para outro lado mas não fazes pelas variadíssimas razões.

Bom domingo!

Salvador disse...

Boa noite, Utena ))

Em primeiro lugar, folgo em saber que o seu sonho continua a andar. Nem imagina o prazer que me dá saber isso.

Segundo, tem toda a razão no que diz em relação ao livro de reclamações. Quase ninguém sabe que, ao reclamar, pode arcar com consequências sérias caso não se comprovem as 'acusações'.

Terceiro, não é nada chata. Imagino-a até Mulher de figura bem feminina e contornos na conta certa ))

Utena disse...

Olga,

As vezes bem me apetecia Sócia...
Beijinhos

Utena disse...

Pink,

Obrigada pela passagem sempre tão atenciosa

Beijinho

Utena disse...

MJ,

Muitas vezes de forma diplomática até mando...
O que me entristece é ver que os filhos aprendem com os exemplos dos pais...
Como ouvi hoje alguém dizer sobre o abandono de animais "não se admire se quando for velho que alguém o abandone nas urgências de um hospital os seus filhos seguem o seu exemplo" e isso é uma realidade em tudo.

Beijinho

Utena disse...

Salvador,

Agradeço o piropo até me senti corar =) e não foi do sol...
Quanto ao resto o sonho lá vai, devagar com percalços mas a caminho sempre em frente. Tem de ser!

Beijinho