segunda-feira, 29 de agosto de 2011

Há coisas que não mudam...


Está escrito e comprovado na história, na que é politicamente correcta e na que foi escondida durante bastante tempo, que o Homem é um ser destrutivo… aliás a palavra conquistar algo deveria ter uma denotação qualquer no dicionário que a associa-se a – acto de destruir -.
Sempre assim foi e pelo que me dá a ideia, (ideia aliás que só me trás desilusão no que diz respeito à raça humana) sempre assim será.
A incapacidade que se tem de conquistar algo faz-me arrepios. Não estou para aqui armada em ingénua, como sempre em qualquer guerra de ocupação (não que a guerra seja algo que solucione seja o que for) a destruição está inerente. Património é destruído assim como vidas inocentes e conhecimentos que nunca mais será conquistado… mas e o depois? É necessário o depois?
O queimar…o destruir…o subjugar?
Desde dos tempos antigos que isso acontece… dou por mim a pensar que conhecimento perdeu a humanidade com a destruição da biblioteca de Alexandria ou com a conversão de tantos que sucedeu á Cristianização…
Não se evoluiu… não me sinto parte integrante de uma espécie desenvolvida e racional… sinto aliás vergonha muitas vezes daquilo que vejo e sinto na alma o peso daquilo que o Homem faz ao seu semelhante na vontade ávida de conquistar o poder.
Sim verdade que os ditadores têm de ser abolidos… não se põem aqui em questão isso mas a realidade mórbida disto é que enquanto a guerra for um mercado de muitos e exorbitantes proveitos nada será feito para a evitar.
Vende-se armamento às duas partes do conflito…incentiva-se a destruição…adultera-se a personalidade de crianças (feitas adultas a pressa sem saberem quem são ou o porque de verem o seu lar bombardeado por armas comandadas por cobardes) … para depois se dar fundos para construir o que poderia ter sido evitado antes.
Os conquistados viram conquistadores, criticando quem antes esteve e nada fazem para derivar do caminho que não concordam…
Estou triste sim… pelo que se passa no mundo.
Mas não só na Palestina onde milhares morreram pela lei de um… e continuam a morrer para se conquistar algo que deveria ser seu por direito. Onde a destruição é visto como algo que lhes é devido… para que? Com que propósito?
Mais que isso? Sinto-me de luto por ver que os países considerados de 1º mundo nada fazem para mudar a mentalidade das gerações que por aí vêm… que poderiam desde de já ver que nada se resolve pela força…
Existe um ditado que o meu avô costuma dizer que resume bem o que escrevi aqui hoje:
“Com faca matas… com faca morres!”
Não mudando a raiz quem garante que novos ditadores não se levantaram… mais que garante que os aliados de hoje não serão inimigos amanha?
Ciclo vicioso este que não acaba…
Não estará na altura de estendermos a mão e dizer basta?
O mundo está a mudar… a força da mente é uma certeza… é pena é que só nos lembremos de pedir quando já é tarde…
Continuamos as mesmas crianças que precisam de auxilio para saber andar e mantemos o lema de só nos lembrarmos de Santa Barbara quando troveja…
Não estará na altura de dar um novo fim a esta página negra da história?

10 comentários:

Eva Gonçalves disse...

O mundo está a mudar? Onde? A força da mente é uma certeza... para uma mão cheia de pessoas. Como sempre foi. Tens razão em tudo que dizes... é isso mesmo que me deixa completamente sem esperança em relação`ao futuro da humanidade. Um dia, uma espécie qualquer falará do homem como fazendo parte da história... e falará de como não aprendeu nada com a sua história. Resta-nos evoluir individualmente... mas isso, de pouco adianta para o bem comum. Os homens não são nem nunca serão um seres perfeitos e evoluídos cívica, ética e espiritualmente... isso é o que a história nos ensina. Aprender a reconhecer essa eterna imperfeição, e ainda assim, considerar a vida humana perfeita é o desafio de cada um... :)Gosto muito destes teus textos. E dos teus ideais :)beijo

Martini Bianco disse...

Enquanto houver interesse económico, a sede do poder continuará e as guerras florescerão. Um dia sim, serão guerras com motivo, quando faltar a água no mundo, ou este tiver gente a mais (talvez 11 bilioes em 2050 e os recursos terminarão), mas até lá joga-se com o dinheiro e o poder económico.

Lamento que tenhas usado os Palestinianos para exemplificar todos os que morrem inocentemente. Todos os dias na Síria dezenas de pessoas morrem à custas do tirano muçulmano Bashar mas ninguém quer saber... todos os dias explodem carros armadilhados em Badgad à custa de terroristas muçulmanos... mas ninguém quer saber. Todos os dias morrem afegãos inocentes por causa dos talibãs muçulmanos... mas ninguém quer saber... Ah pois, são muçulmanos e não se deve dizer mal deles porque os palestinianos também o são, não é? Todos os dias morrem centenas de crianças na Somália à fome, devido à selvajaria muçulmana que anarquizou esse país, mas isso não interessa, o que interessa é que estão uns coitadinhos muçulmanos a sofrer na Palestina, embora sejam sustentados pela ONU e fartem-se de atacar Israel pelas formas mais baixas possíveis.
Todos os dias os tibetanos são oprimidos na sua própria terra pelos comunistas chineses, mas ninguém quer saber. Todos os dias mulheres são atacadas e desfiguradas com ácido no Paquistão por animais muçulmanos, mas isso ninguém quer saber, o que intersssa é que sofrem uns palestinianos que vivem protegidos nuns acampamentos na Cis-Jordania e protegidos por libaneses, jordanos e iranianos.
Todos os dias mulheres são mutiladas na Africa austral e medio oriente à pala dos ideiais tribais defendidos por esses muçulmanos que também querem ser lei na Palestina, mas isso? Isso não interessa para nada...

O que interessa é que estão uns coitadinhos palestinianos a sofrer sem um país, no Médio Oriente, financiados por grupos económicos e caidos na boa graça da generalidade da opinião pública mal esclarecida e dominada pelo marxismo cultural.

*Este comentário não é uma crítica à boa vontade do teu texto mas podias ter usado um exemplo digno, que não são certamente esses palestinianos.

Utena disse...

Eva,

O mundo vai mudando independente de o sentirmos ou não…
A verdade é que cada momento que passamos mais difícil será voltar atrás e remendar as asneiras e o mal que se causa.
Obrigada pelo carinho sempre presente é bom ter-te por cá
Beijinho

Utena disse...

Martini,

Deixa-me começar pelo fim nunca me passaria pela cabeça pensar nos teus comentários como uma critica ao meu texto ou as minhas ideias.
Como livre-pensador que és não me pareces ser dos que impõe as suas ideias… e isso é uma das qualidades maravilhosas que sinto em ti mesmo sem te conhecer.
Sim o exemplo pode ter sido dos piores, mas se vieres no meu texto existe mais a critica para a destruição que vejo causada pelos conflitos e pela ignorância do ser que acha que a história de um povo se apaga com fogo, peças saqueadas… cultura aniquilada.
O mundo está mal organizado é um facto mas existem erros em todos os lados, se os muçulmanos são agora déspotas perseguidores e causadores de tanto mal gratuito o contrário já o existiu. O que custa é que um povo cujos ideais se fossem seguidos como deve de ser seria um povo muito rico e com quem aprenderíamos muito.
Mas a religião seja ela qual for é manipulada pelo homem e por isso deturpada e usada em seu proveito.
Obrigada do fundo do coração pelo teu testemunho apenas reforça o que quis dizer com a força característica de quem tal como eu sofre todos os dias com aquilo que vê e que pouco pode fazer para mudar.
Espero que se estiveres a trabalhar a noite passe de uma forma suave e fácil… se não que o descanso seja recuperador e tranquilizador.
Volta sempre é sempre bom ter pelos meus textos os teus fabulosos complementos.
Beijo (hoje permito-me a enviar-te não o conseguiria ser de outra forma)

Martini Bianco disse...

Por acaso será mais uma noite assim, talvez até ás 4 ou 5 da manhã :S

Felizmente que tenho alguns lugares predilectos para ler dos quais incluo o teu para aprender, e dar as minhas opiniões, por menos politicamente correctas que possam ser, e ganhar um pouco mais com esta interacção.

Um beijo para ti também, e desejos de uma noite tranquila, longe dos palcos que referimos anteriormente onde existe muita gente que já não sabe o que é isso ... uma noite tranquila.

Utena disse...

Martini,

Bom trabalho então =)
Um beijo e obrigada

Carrie Bradshaw disse...

Violencia gera violencia e a miseria gosta de companhia...

A natureza humana ao seu pior...

Utena disse...

Men will always be Men.
Infelizmente amiga

M.J. disse...

estes dias pensei nisso... há tanta coisa injusta nesse mundo e se todos fizeram 1 pouco para mudar talvez se consiga mudar de verdade mas a realidade é que esperamos sempre que o outro faça por nós e ficamos sempre à espera... e o mesmo posso dizer do contexto global, ninguém faz nada, ficam sempre à espera... e depois quando corre mal, o que acontece? fala-se mal!

é a sociedade que temos!

bjs

Utena disse...

M.J.

A sociedade do apontar o dedo... esquecem-se que no melhor pano cai a nódoa.

Beijo