segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Retrospectiva


Sabem aquelas alturas em que pura e simplesmente vos apetece desistir? Onde a tendência é atirar a toalha ao chão e dizer:
Ø  Ok! Ganhaste! Satisfeito? Chega, vou só ali rastejar até um buraco isolado e esperar que o mundo me esqueça.
Eu nunca fui capaz de a dizer, não sei se é esta minha mania de querer levar o mundo ás costas ou se o facto de ter vestido o facto de guerreira muito nova que me impede de o dizer, o que sei é que mesmo em momentos mais difíceis, onde pensar ou ponderar seria o mais normal possível é algo que nunca me aflora á cabeça.
Verdade que tenho alturas onde a exaustão me aflora de uma forma quase fulminante… e se calhar se nessas alturas deixa-se as lágrimas vir quando elas teimosamente me afloram às pestanas, me fosse mais difícil não sucumbir a essa necessidade fácil de desistir.
Não sei, o que sei é que em retrospectiva deste últimos dois anos, o que passei e o que ainda passo se não me deitou a baixo pouca coisa o fará.
Dizem que o que não nos mata, nos fortalece… eu digo que assim sendo devo seguramente estar agora uma mistura de adamantium com aço cirúrgico… e no meio devo ter uma qualquer capacidade regenerativa. Pensando bem se alguém criasse agora os Xmen, o Wolverine seria definitivamente feminino e baseado em mim =)
 Esta é outra das coisas que ainda me surpreende… não perdi a minha capacidade irónica. E se calhar talvez seja isso que ainda faz com a minha família esteja unida e forte.
Para terem uma simples ideia o que foram estes meus dois anos de uma forma mais ou menos cronológica:
Ø  O meu pai foi operado ao coração, duas vezes no mesmo dia e em seguida entrou em coma.
Ø  A minha mãe foi a baixo a nível imunitário e a poucos dias do meu pai estar em casa, teve uma espécie de colapso. Quando cheguei a casa tinha a minha mãe quase a desmaiar e o meu pai a ter uma recaída,
Ø  A entrada da minha mãe no hospital resultou numa ruptura de uma veia das mãos porque a enfermeira era extremamente “competente”,
Ø  Voltei ao trabalho e fiquei com a responsabilidade de 3 pessoas, monetariamente levei sopa, reconhecimento? Facada nas costas… ironicamente? Saber que as duas pessoas que me substituíram quando bati com a porta… se despediram! Justificação? Trabalho a mais.
Ø  A depressão pós operatória do meu pai… deliciosamente perturbadora… com mudança comportamental. A primeira vez que quase sucumbi á fatiga.
Ø  Fecho da filial do sonho… quando não dá não se insiste… continuação na loja mãe… a crise. A falta de vergonha na cara que se vê por aí. O manter o sorriso nos lábios.
Ø  A perda da minha princesa.
Ø  O saber que não se pode ajudar ninguém porque no fim o resultado é ter agora dois processos em tribunal. Que por mais que estejam ganhos, nunca estão e as dores de cabeça são para ficar…
Ø  E fico por aqui senão ainda acabam por criar um fado em minha homenagem

Engraçado como dá para ver a magnitude das coisas quando se as colocam no papel… mais engraçado ainda é ouvir certas queixas e saber com a certeza que me permite e me assiste de que não são nada… pequenas vicissitudes, tal como o contrário também existe. Grandes dores e sofrimentos que fazem as minhas serem amendoins.
No fundo sei que tudo na vida tem solução… mesmo a morte é por si só a solução… a derradeira solução pelo menos.
Melhor é ter a certeza que pequenos raios de luz são para mim elixires de energia que me fazem ter força para prosseguir e para ajudar os meus a prosseguir.
Todos temos uma meta a cumprir quando estamos de passagem nesta vida, acreditemos nós no que quisermos… escondemo-nos nós onde acharmos que devemos.
Por isso em vez de seguir o destino do desgraçadinho… do perseguido… controlo a minha vida como bem acho que a tenho de controlar.
Mesmo que isso me dê o título de fria… de insensível ou de louca. E sejamos sinceros não diz o ditado que de médico e louco todos temos um pouco?
Namasté!
PS: A ti que saltaste o barco porque não foste capaz de acompanhar a minha remada e que um dia disseste que gostarias de saber que banda sonora seria perfeita na minha vida?
Eis aqui a musica que me acompanha todos os dias pela manha.


20 comentários:

M. disse...

Há pessoas que valem a pena. Tu és uma delas! Desistires de ti seria criminoso!!

Abraço guerreira!!!

Utena disse...

M.

Obrigada, bom saber que não estou só nas minhas lutas.

Abraço

Nokas disse...

Nota-se que és uma força da natureza, admiro-te por isso!

Utena disse...

Nokas,

Obrigada... embora não ache que tenha algo para ser admirado honras-me com as tuas palavras

FireHead disse...

Coragem, ruivinha! Se é verdade que o que é bom não dura para sempre, o que é mau também não é eterno! :)

Martini Bianco disse...

Existem muitas fases assim na vida de qualquer pessoa e julgo que os mais bravos são aqueles que depois de resistirem a muitos naufrágios ainda mantêm a clareza para fazer a retrospectiva do que passaram e no ponto onde se encontram.
E tu és uma pessoa dessas, por isso creio que continuarás a resistir e a ultrapassar muitas barreiras.
Bjs

TERESA SANTOS disse...

Utena,

Li, reli, voltei a ler o teu texto.
Há dor, há amargura, há mágoa, há desgosto, há revolta, mas...
Mas também há muita força, muita determinação, muito espírito de luta, muita garra.
Admiro-te muito, sinceramente, muito sinceramente!

Apercebi-me, desde que te "conheço", que fazias a diferença. Não me enganei.
Será que tenho alma de "perdigueiro"?

Não deixes que a vida te vença. Tenho a certeza que não!

Um beijinho, e FORÇA, sempre.

Utena disse...

Fire,

Assim o espero porque este está a demorar a passar

Utena disse...

Martini,

Assim o espero... acredita

Beijo

Utena disse...

Teresa,

Sabes que as vezes a magoa aparece sem que queiramos... é difícil de a evitar.
Alma de perdigueiro? Acho mesmo que almas iguais se atraem =)

Obrigada pelo carinho
Beijinho

Pseudo disse...

Utena, não te conhecendo e lendo-te "pouco", é verdade, pareces-me ser uma mulher de armas e "com eles" no sítio. Não te deixes ir abaixo!

Utena disse...

Pseudo,

Não sou de me deixar ir as vezes só preciso de um pouco de ar...

obrigada pela passagem

CF disse...

Utena
Mais ou menos pela mesma altura andava eu com coisas semelhantes, minha amiga...
Um dia alguém me disse que algumas coisas da vida estavam sempre destinadas somente a algumas pessoas...áquelas que sabem como agir perante estas..é como se essas situações nos escolhessem..percebes? Julgo que te podes sentir feliz, além do desalento...és especial!!!
Bjs grandes e espero que agora esteja tudo bem com os teus pais..

M.J. disse...

minha querida Utena espero que esta "má" fase esteja a ser só 1 fase, pensamento sempre positivo, melhores dias virão, tu mereces!
bjs grd

ps- não tenho escrito muito mas venho cá muita vez =)

Anónimo disse...

Não és das que desistem, isso eu sei!Também sei que por vezes os sentimentos de impotencia e cansaço se apoderam de nós...mas tens aqui uma amiga com quem podes partilhar o teu fardo quando achares que estás a chegar ao teu limite!
Muita força! parece que 2011 não nos está a correr muito bem, mas pelo menos temos amizades verdadeiras.
Beijos grandes minha mana do coração,
OlgaM

Utena disse...

CF,

Com os meus pais agora sim dentro do possível.
Apenas gostava de não ser assim tão especial =)

Beijo grande

Utena disse...

Meu amigo lindo M.J.,

As fases passam... deixando mais ou menos mazelas.

Um beijo enorme

Utena disse...

Olga,

Irmãs de alma sentem-se o mesmo sentimento para contigo está deste lado.

Beijo grande

Catarina disse...

Querida Utena sejam amendoins ou pequenas vicissitudes, elas não matam mas moem, e cada um sabe de si... Acredito porém que de uma mulher com a garra que tens só pode vir muita força e muita luta...

Neste momento também não estou a passar um período muito bom, tenho muita mágoa no coração que preciso de limpar, mas acredito que com o tempo tudo se resolva, um amigo muito querido diz que o tempo cura tudo, e embora resista a concordar com ele, sei que lá no fundo no fundo no fundo no fundo... Ele há-de ter uma pitalgadinha de razão :p
Por isso muita força, para isso só tens de continuar a ser como és e em simultâneo adaptar-te às circunstâncias!

Beijinho*

Utena disse...

Catarina,

Verdade que quem está no convento é que sabe o que la vai dentro =)

O problema não é adaptar mas ter folga para respirar.

Beijinhos