domingo, 4 de dezembro de 2011

Nada como despertam o meu lado diabólico

Antes de começarem a ler o meu texto que fique já claro que isto não é um ataque pessoal e direccionado a classe que vou retratar abaixo e que quem se sentir ofendido? A esses apenas posso dizer:
Serviu a carapuça? Olhe temos pena… ou não!
 Ora bem em quem vai cair a minha língua viperina hoje? Curiosos? Eu já digo é só mais um bocadinho…
Uma das coisas que imagino vir nas características para este cargo é qualquer coisa deste género:
“É pãozinho sem sal? Acorda de manha num dia de verão e sente-se como se andasse uma nuvem cinzenta em cima da sua cabeça? Ao fim de meia dúzia de palavras já se perdeu no raciocínio e já fez adormecer o seu interlocutor? Não tem problemas de enganar e manipular o pessoal com as suas palavras meladas muito em estilo do ministro das finanças que ao fim de10 minutos já ninguém o esta a ouvir e assina o que quiser só para o calar? Venha trabalhar connosco.”
Já chegaram lá? Não? Então pronto eu digo, refiro-me a nem mais, nem menos que a nossa classe de bancários.
E não vale a pena começarem já com as frases: Há e tal não são todos assim… e coisa e tal alguns são até interessantes e não vás por aí que me estas a ofender.
É que não adianta e ponto final paragrafo.
E eu até tenho amigos bancários e sou a primeira a dizer que o que eles precisavam para ver se arrebitavam era um belo ecstasy com um Red Bull a mistura ou então a famosa Coca-Cola com aspirina que dá um coice jeitoso.
Sejamos sinceros… mas sinceros a séria, ponham a simpatia caridosa de parte agora boa? Digam lá se os amigos aqui retratados não são do mais atado possível, ou então pronto lá voltamos nós á constatação do facto que eu tenho um feitio filho da mãe a puxar ao pai e tudo me faz comichão.
Já tentaram ter uma conversa a sério com estes tipos? Já tentaram que vos resolvessem as coisas de forma rápida e eficiente?
Já tentaram obter respostas com respeito a merdas feitas por eles mesmos? Que vos expliquem a melhor forma de proteger o vosso dinheiro… vosso mais ou menos… muito ou pouco mas vosso com quem eles trabalham e a quem pagam uma miséria por usufruir dele e que muitas vezes usam indevidamente… cobram abusivamente e na hora de explicar se escondem por detrás de uma conduta de bosta que se consegue desmanchar em meio segundo?
E desesperador e para mim que ando numa fase de poupa paciência para libélulas empata f@das é meio caminho andado para armar o bailinho e não é o da Madeira.
E sendo eu uma pessoa muito pão, pão… queijo, queijo quando me tentam enrolar e não existem lençóis de cetim no meio não é bom estar por perto das minhas garras.
Entre todas as trocas e baldrocas que me possam tentar impingir e eu não sou mais que nenhum de vós o que realmente me faz chegar os azeites é quando o fazem com a minha avó…
Perco literalmente a cabeça de uma forma tal que se torna senão difícil de lidar comigo, chega a ser impossível e se para além de tudo tiver na minha frente como tive esta semana alguém que interrompe o que eu estou a dizer ou tenta ser mais verdadeiro que eu… ai sim é um espectáculo delicioso de se assistir… Pelo menos de fora.
Pior que isso é assistir a mudança de cor e de tom de quem se encontra do outro lado a tentar limpar a merda que fez ou que fizerem e o resultado? Ainda coloca mais alguma no ventilador…
Passam do simpático exagerado… ao profissional perfeito… ao colega protector e depois ao conspirante assumido por debaixo da burra (pois como eles dizem não podem fazer nada), ao ofendido e posteriormente? Ao não saberem o que dizer nem o que fazer.
E sim eu sei que todos eles seguem condutas… e que todos têm regras para cumprir e blá blá Wiskas saquetas. But you now what?
Também nós que caray e só por isso passamos por cima dos nossos próprios escrúpulos? Enganamos, mentimos e colocamos muitas vezes a vida de alguém na corda bamba porque temos objectivos a cumprir?
Porque muitas vezes não sabemos puto o que estamos a fazer e então fazemos asneirada em vez de perguntar a quem sabe?
Serviço público para mim é sagrado… e não quero saber quem se vai prejudicar quando eu levo as coisas até ao fim, porque as levo inevitavelmente.
Seja ele onde for… com quem for…
No fim é como disse ao amigo que teve o azar de me atender esta semana. Tanta greve de caracacá, tantos indignados… querem assustar esta gente? Nada como atacar onde dói mais… no bolso.
Era retirar o dinheiro todo das contas deixando apenas o indispensável e eu queria ver esta gente tão iluminada continuar a brincar com a vida e o dinheiro dos outros. Dava-lhes um mês e isso sou eu a ser simpática.
Agora confessem lá que já sentiam falta do meu lado sarcástico e venenoso…
Namasté

12 comentários:

Nokas disse...

Verdadinha, já tinha saudades destes teus desabafos :)

CF disse...

Compreendo-te amiga
qd cutucam alguém de quem gosto, tb fico uma fera...assumida!!! :))))
bjs grandes

FireHead disse...

"No fim é como disse ao amigo que teve o azar de me atender esta semana. Tanta greve de caracacá, tantos indignados… querem assustar esta gente? Nada como atacar onde dói mais… no bolso.
Era retirar o dinheiro todo das contas deixando apenas o indispensável e eu queria ver esta gente tão iluminada continuar a brincar com a vida e o dinheiro dos outros. Dava-lhes um mês e isso sou eu a ser simpática."

Assino por baixo. E, de passagem, retirar também a Internet, os Tablets, os iPhones, os iPods, etc. aos jovens indignados para que eles não organizem manifestações. Que burgueses ricos e mimados do carilho. É espetar com eles nas matas e nos campos para que se possam fazer algo de útil para a sociedade.

Utena disse...

Nokas,

Isto acaba por ser melhor que ir ao psicanalista.

Utena disse...

CF,

Detesto esta gente que se acha no direito de fazer o que quer sem sofrer as consequências.

Utena disse...

Fire,

Todos erramos o que me lixa é apenas uns assumirem os erros.

Beijos

Miguel disse...

Mas tem mesmo de ser em lençóis de cetim?

Mesmo? Ou saiu-te?

:p

Utena disse...

Olá Miguel,

Bem vindo antes de mais.
E não tem de ser lençóis de cetim... até pode ser sem lençóis...
Saiu-me na hora quando estava a escrever
=)

Anónimo disse...

Como eu te compreendo, eu própria tenho uma pseudo "gerente" de conta... enfim não vou comentar a maneira da criatura "trabalhar"....
Mas alguém que os entale e os façam encarar a trampa que muitas vezes fazem!
É assim mesmo amiga!!!
beijinhos grandes,
OlgaM

Utena disse...

Olga,

Queres saber um segredo minha querida?
Sabe-me tão bem vê-los entalados

Beijinhos

Ana Domingos disse...

Era giro de se ver... Era muito giro se as pessoas esvaziassem as suas continhas. E concordo com o FireHead. Vemos tanta e tanta gente a queixar-se da crise e disto e daquilo e depois poupar nem vê-la... Ainda ontem me deparei com o Dolce Vita e com o LoureShopping completamente a abarrotar. Nem dava para respirar decentemente, tamanha a quantidade de pessoas a gastar dinheiro. Meu Deus.

Utena disse...

Olá Ana,

Verdade que não se pode deixar morrer a economia...
Mas a realidade é que não se gasta onde se deve nem da forma correcta.