segunda-feira, 2 de janeiro de 2012

O primeiro deste que será... especial!


E pronto cá venho eu dar abertura a um novo ano… novo texto.
Mantém-se algumas ideias, refinam-se manias…prometem-se resoluções que raramente se cumprem.
Muitas porque são irreais, outras porque foram feitas porque é suposto que assim seja… algumas por preguiça.
Eu este ano não fiz na meia-noite resoluções para o novo ano… fiz pedidos. Ou melhor repeti aqueles que já cá tinha deixado. Sinto que para ser realmente feliz são eles aquilo que necessito. Nunca fui de bens materiais.
O mundo está doente, deseja-se e luta-se pelas coisas erradas, desistem-se das certas porque dá muito trabalho ir atrás do que realmente desejamos. A verdade é que me cansei de lutar contra os moinhos de vento.
E ontem quando me fui deitar depois de ter estado a ver o filme Invictus fiquei com um poema na cabeça que me fez despertar as 3 da matina e ficar a remoer no aconchego amante da madrugada.
O poema era este de William Ernest Henley :
“De dentro da noite que me cobre,
Preta como a cova, de ponta a ponta,
Eu agradeço a quaisquer deuses que sejam,
Pela minha alma inconquistável.
Na cruel garra da situação,
Não estremeci, nem gritei em voz alta.
Sob a pancada do acaso,
Minha cabeça está ensanguentada, mas não curvada.
Além deste lugar de ira e lágrimas
Avulta-se apenas o Horror das sombras.
E apesar da ameaça dos anos,
Encontra-me, e me encontrará destemido.
Não importa quão estreito o portal,
Quão carregada de punições a lista,
Sou o mestre do meu destino:
Sou o capitão da minha alma.”
E nas horas sombrias do fim da noite e inicio do dia ele fez todo o sentido, pelo menos para mim. Resignamo-nos ao destino, influenciamo-nos pelas más energias de quem nos rodeia… fazemos coisas porque nos fazem… não fazemos se não o fizerem.
E deitada na sala, a ouvir a chuva cair fiz talvez aquela que será a minha mais realista resolução… sem a imposição da hora ou o stress de ter de engolir uma passa por badalada na meia-noite. Sem promessas incumpridas ou obrigatoriedades.
Apenas sussurrei para mim e para aqueles que invisivelmente me acompanham, vou atrair para mim apenas aquilo que me faz bem. Ver o que de bom posso tirar e não o que de mau me querem dar. E sorrir muito… com alma e com vontade mesmo para aqueles que eu sinto que por mania, com ou sem motivo pouco bem me querem e muito me invejam porque pouco sabem da minha vida…
Nas sombrias horas da madrugada do segundo dia deste ano novo… desta página em branco a espera de ser escrita tomei a decisão de apenas colocar a tinta aquilo que me fizer ser melhor como mulher.
Será irreal… uma luta inglória? As ilusões de uma louca idealista?
A vida já me fez ver que mesmo na derrota tiramos valiosas lições que nos ajudam a ser como somos.
Mente sã… corpo são… alma limpa. Comecei hoje…
Sorri quando sai de casa… quando fui ao café… quando atendi a mais chata das clientes.
Sorri enquanto regressava… quando iniciei o treino novo… quando senti as pernas a arder na passadeira e os pulmões a deixarem sabor a chumbo na boca.
Sorri quando olhei o telemóvel e vi uma mensagem de alguém que não desejava e respondi com o mesmo sorriso no rosto.
Quero para mim filtrar o melhor que me possa trazer o ano… se vou sair do trilho muito provavelmente, se vou voltar a ele? De certeza.
O ano vai ser difícil, já temos os discursos apocalípticos daqueles que nos deviam dar coragem… já se sente no ar a satisfação venenosa daqueles que nos deviam elucidar…
Que seja… quero no entanto para mim o melhor que ele me puder trazer e ele não o vai fazer sem a minha ajuda.
Quero porque mereço e não como capricho qualquer de uma menina mimada… quero porque na madrugada em que me entreguei á noite me fizeram sentir nos ossos que o vou ter!
Começo a escrever o novo ano…
Namasté!

6 comentários:

Anónimo disse...

Antes de mais um bom ano!
Depois, fazes muito bem querer o que mereces. Não me parece idealismo, parece-me vontade e
E pensamento positivo, darmos graças pelo que temos e certeza que teremos todas as outras que nos vão fazer felizes!
Tenho a certeza que tudo o que desejas se vai concretizar, te vai trazer muitos sorrisos, muita felicidade!!
Beijinhos,
OlgaM

Utena disse...

Olga,

Merecemos as duas...
Um bom ano minha irmã de alma.

Beijo

Nokas disse...

Minha querida, tudo de bom para este novo ano :)

Utena disse...

Nokas,

Os meus desejos são iguais para ti.

Beijinho

FireHead disse...

Começamos todos, ruivinha. E com mais apocalipse menos apocalipse, estaremos sempre lá para o que der e vier. 2012 é apenas um ano. Mais um a juntar-se a tantos que já passaram e a muitos outros hão-de, se Deus quiser. Haveremos de continuar a resmungar muitas vezes.

Utena disse...

Fire,

E havemos de nos ouvir a resmungar... e isso é que conta.

Beijinho