sexta-feira, 17 de fevereiro de 2012

De que cor é a tua


Hoje estava a falar com a minha luzinha e no meio da conversa, que entre nós têm o condão de se desenrolar como cerejas… paramos na conversa sobre máscaras…
Particularmente sobre a minha forma de esconder o que sou, ou pelo menos demostrar subentendidamente como sou por forma a poucos (os mais atentos) conseguirem ver o que se esconde por detrás da Ruiva.
Engraçado como volta e meia a conversa para inevitavelmente neste assunto… mais engraçado ainda como sempre se acaba por desenrolar da mesma maneira tendo finais similares entre si.
No entanto não posso deixar de pensar que uma máscara quando não usada, para esconder o que realmente sentimos…ou o que realmente pensamos mas que apenas se a usa como forma de protecção… de um evitar de sarilhos, de complicações que não sendo desejadas acabam sempre por surgir faz falta.
E elas acabam sempre por surgir da forma que menos se espera… uma facada nas costas aqui… uma desilusão ali… um sentir que demos o que não devíamos… que mostramos o que não queríamos… que nos tomam por certas independentemente daquilo que fazemos porque “acham que nos conhecem” leva à sua lenta construção e a sua magnifica adaptação a nós.
 Existem tantas máscaras… tanta forma de as usar… tanta gente que a usa na perfeição e aquelas que apenas as colocam como pequenos adereços… como uma maquilhagem numa criança…desbotada e defeituosa que me pregunto verdadeiramente se conseguimos conhecer alguém.
Basta parar por um segundo… se respirar fundo e ficar bem quietinha… se despertar a minha atenção ao que me rodeia e que muitas vezes por escolha ignoro… ninguém é o que parece… ninguém diz sempre o que pensa…mostra sempre o que é… dá-se sempre na totalidade…infelizmente muitos poucos sofrem com essa castração…
O difícil? Não é esconder o que não se quer que se veja de nós… mas mostrar de uma forma que apenas alguns o irão conseguir ver…sentir…ter.
O engraçado? É ver quem pensa que nos conhece ficar sem ar e sem chão quando do nada, a máscara ligeiramente descai e mostra com a nitidez de um dia de verão aquilo que sempre lá esteve mas não quiseram ver.
Nessas alturas…mas apenas se estivermos muito atentos vamos ver que no meio da “revelação” vai haver alguém que com um sorriso nos olhos nos vai mostrar por detrás da máscara que sabia exactamente que se iriam desenrolar as coisas assim.
E no meio de tudo ainda existem aqueles (onde infelizmente me incluo) que sempre souberam o que estava por detrás de certas máscaras… mas que nunca quiseram acreditar que assim fosse… e depois?
Depois é respirar fundo…levantar a cabeça e seguir em frente… e sorrir desejando acreditar que quando mais alguém nos oferecer a “amizade acima de tudo” iremos ter na mesma a capacidade de acreditar… de aceitar… e de devolver sem reservas.
Namasté!

18 comentários:

Anónimo disse...

Ah pois! Conheço conheço muita muita muita gente!
A mim disse-me a minha mana de coração que me esqueço muitas vezes da minha em casa... pois, confesso que não tenho muito jeito para a usar... "perdes mais do que o que ganhas" já ouvi dizer...também é verdade, mas o que posso fazer?
beijinhos Ruivinha linda :)
OlgaM

Utena disse...

Olga,

Manteres-te fiel a ti mesma... e aprenderes que as vezes mais vale ir contra os nossos instintos e protegermos a nossa alma.

Beijos

TERESA SANTOS disse...

A máscara como defesa?
A máscara por fingimento?
A máscara para esconder aspectos que alguns consideram menos abonatórios?

Qualquer que seja a motivação a máscara é sempre um elemento castrador, algo que acaba por não beneficiar nenhuma das partes: nem quem a usa, nem quem é enganado por ela.

Beijinho.

Luísa Lopes disse...

É realmente uma chatice das grandes,já que quem usa máscaras arrisca-se a levar com as máscaras dos outros. Nada como ser transparente, assim como tu.

Utena disse...

Teresa,

Infelizmente as vezes faz parte da sobrevivência ter de as usar...


Beijos

Utena disse...

Luísa,

Mesmo que se sofra e que essa transparência incomode tanta gente.

Beijos

Anónimo disse...

As mascaras são otimas..mas perigosas.A ultima vez que comprei uma foi na ponte Vecchio em Florença para ofereçer a uma amiga...e não estou nada arrependido!!!


Logos e Praxis

Utena disse...

Logos et Praxis,

Bem vindo de novo pensei que te tinhas zangado com a Idealista aqui...
Adoro máscaras de Veneza quem está por detrás não fala age... =)
Volta

Gadreel disse...

Eu sou um máscara viva...admito! Um dia que deixe cair a minha...nem a mim próprio me reconhecerei!


bj

-__-

Utena disse...

Gadreel,

As máscaras são usadas por vários motivos... questiono-me qual será o teu...
Bjo

Martini Bianco disse...

E estamos no tempo delas, o Carnaval, mas infelizmente não é somente nesta data festiva que elas se sobressaem.

Utena disse...

Martini,

Pois infelizmente é verdade... esta na moda as máscaras

FireHead disse...

Eu cá acho que no Carnaval é que as pessoas tiram as suas máscaras, pois passam o resto do ano disfarçadas...

Catarina disse...

Sabes o que eu tenho vindo a concluir Ruivinha?
Que é mais dificil conseguir mostrar os sentimentos que queremos que os outros vejam do que esconder os que não queremos que os outros saibam...

Máscaras, gosto delas roxas e de preferência com plumas :)*

Utena disse...

Fire,

E mesmo assim no Carnaval ainda encarnam outras personagens

Utena disse...

Catarina,

Sabes que a isso se chama experiência de vida e nada tem a ver com a idade...
Eu gosto delas iguais ás de Veneza... só se vê o olhar... e com ele mostra-se tudo

Beijinho

Pretty in Pink disse...

Tens toda a razão. Toda a gente tem uma máscara, umas vezes mais elaborada outras menos. Eu própria tenho uma, que tenho usado bastante. A mascara de esconder sofrimento e tristeza e por um sorriso na cara só para não preocupar ninguém. e usar uma mascara não é propriamente mau, só acho importante mostramos realmente quem somos e o que sentimos aos que gostam de nós. eles não merecem a mascara que pomos, têm o direito de conhecer a pessoa tal qual ela é ;)

Beijinho*

Utena disse...

Pretty,

As vezes é dificil retirar quando a colocamos... mas é bom saber que em certas alturas a temos ali...e que temos a capacidade de a tirar quando necessário.

Bjo