sexta-feira, 9 de março de 2012

Chamaeleo chamaeleon


Ser ou não ser camaleónica nos dias que correm deveria ser uma faceta a ser cientificamente estudada.
Creio (e isso sou eu que tenho a mania estupida de pensar) que muitas vezes se confunde o facto camaleónico de uma personalidade sobre o facto de alguém ser ou não falso.
Quase como os diferentes conceitos que se pode tirar sobre diferenças entre ser vaca e cabra… mas isso deixemos para outra altura.
Comecemos por observar o animal propriamente dito… o camaleão não altera o que é…adapta-se…integra-se e no fim escapa com destreza dos ataques e ataca quando menos se espera… não se esconde…nem finge algo que não é! Camufla-se…têm as suas diferenças se pensarmos bem nisso.
Aprendi a admirar o animal quando ingressei no mercado de trabalho, alguém que como eu tinha o coração perto da boca aprendeu que no universo do bem viver há que saber esperar… ser paciente é uma virtude que vim a aprofundar de uma forma que até para mim chega a ser enervante…
Adapto-me…observo…estudo e depois…tunga…rápida e certeira como a língua do camaleão…sem erro… sem danos colaterais e 99,9% das vezes mortal.
E sem em nenhuma altura ser algo que não sou… mantenho os sinais…os alertas… as dicas certas que muitas das vezes (na maioria para ser sincera) não são apanhadas. E porque? Porque na realidade ninguém observa com olhos de ver…já pensaram nisso? Olhar sem ver é o pior erro de julgamento de caracter que por aí existe… e eu não gosto apenas de visionar o que me circula gosto de absorver o que me rodeia… e adoro descobrir no meio de inúmeras personalidades camaleões como eu…porque nos sentimos sem palavras e nos observamos sem dar conta.
Ao contrário do que seria de esperar as mentalidades não evoluíram assim tanto como se pode pensar… continuamos a achar que as pessoas ou são boas ou más… que quem pratica o bem é incapaz de cometar o mal e vice-versa…
Que as santas nunca serão put@as... Que os traidores nunca serão fieis… que quem mente é incapaz de ser verdadeiro… balelas!
Todos temos a capacidade de ser qualquer coisa…mas nem todos temos a capacidade de nos adaptarmos ao ambiente, por isso existe tanta resistência da parte de uns de mudar e tão pouca para outros.
Viver a vida com a certeza que os sinais existem e que podem ser observados desde de que queiramos é ter em nós a certeza que pouco ou nada nos pode surpreender e tudo nos pode deixar surpreendidos… porque no fundo a vida é mesmo isso a capacidade de a viver da melhor maneira possível.
Gosto de pessoas assim… que tenham em si a capacidade de saber que podem fazer o que quiserem porque a escolha não parte de terceiros mas de si mesmas… e que no fim escolhem ser quem são sem passar por cima de ninguém e estando-se nas tintas para a opinião de quem for…mesmo da minha… lol!
Gosto de sentir que no fim a vida é vivida sem medo do não! Sem medo do sim! E principalmente sem medo de ver o que realmente está a vista…camuflado ou não!
A ilusão tem dessas coisas… só é ilusória para quem passa a vida com desejos de ver passar o tempo… que chegue o fim do dia… da semana… para depois não aproveitar quando chega porque nem sequer deram pelo percurso que tiveram de seguir para a alcançar.
Conseguem entender isso?
Consegui expor ao certo o que quis dizer com o termo camaleão?
É que muitas das vezes nem eu mesma me entendo… mania de pensar… as vezes precisava mesmo que o Tico e o Teco tirassem umas férias…
Namasté

14 comentários:

DD disse...

Inteligência é a capacidade de nos adaptarmos aos vários aspectos da vida dizem! gostei das tuas palavras! beijo:))

Catarina Sofia disse...

Nem todos têm é as ferramentas cognitivas necessárias para ser bons observadores ou bom ouvintes para os sinais...

Percebo muito bem isso de ser camaliónica, toda a gente que lida com público tem de ser camaliónica, ou então estamos tramados...

Outra coisa muito importante que referes, saber observar é mesmo algo bastante importante!

Beijinho Bom fim de semana*

o guardador disse...

este primeiro comentário é sobre a foto, o outro irá aparecer em breve. Uma Elfa! Gosto de Elfos! :)*

Anónimo disse...

É verdade todos temos dentro de nós a capacidade de fazer o bem e o mal, depende das circunstancias da vida, creio eu! E cabe a nós as decisões que tomamos não de terceiros... os terceiros podem quando muito opinar, mas penso que só isso. Há que viver a vida porque ninguém a vive por nós!
Também sou primeiro de observar apesar de muitas vezes tenho o coração muito perto da boca...
A tua capacidade camleónica já a observei bem de perto e é tal e qual como descreves!
Bejos grandes e nunca deixes o Tico e o Teco tirar férias... é que nunca seria a mesma coisa,
OlgaM

Utena disse...

DD,

Que se vai aprendendo com as vicissitudes da vida.
Por isso raramente julgo mas as vezes critico... feitios.

Obrigada,
Beijos

Utena disse...

Catarina,

Sem dúvida que sim e saber ouvir e calar a quantidade de sapos que se engole dava para alimentar meio mundo.
Mas a vida é mesmo assim.

Beijinho e Bom Fim-de-semana

Utena disse...

Guardador,

Também gosto bastante deles... e esta encantou-me.

Beijinho
PS: Fico a aguardar o outro comentário.
Cuida-te menino que guarda as estrelas

Utena disse...

Olga,

Conheces-me bem tive a sorte de te encontrar...sabes bem que evolui bastante e no fundo acabamos por aprender por causa do ambiente onde estamos.
Se o Tico e Teco não forem de férias podem ao menos meter baixa?
Dava um jeitão...
Beijinhos

Gadreel disse...

Sabes estou fartinho de gente que bate no peito e que diz " ai eu nunca...". Ok, não me adapto a tudo, não porque não consiga, mas sim porque não o quero...


gostei do teu texto...vi muito de mim nele!

beijo

FireHead disse...

Claro que sim. Uma coisa é fingir, dissimular, deixar de ser o que é; outra coisa é adaptar-se, improvisar e integrar-se. E neste aspecto o ser humano é um animal admirável: ele tem a capacidade de se adaptar, sem contudo não precisar de deixar aquilo que realmente é.

Muitas das vezes eu também me adapto às situações ou às pessoas, mas mais porque eu não quero chatices. Deixo nessas alturas de ser aquilo que eu sou em nome desse pressuposto, o que acaba por reflectir negativamente na minha relação com essas pessoas e no meio em que me insiro. Não se pode agradar a gregos e a troianos, lá diz o ditado.

Beijinhos, ruivinha.

Utena disse...

Gadreel,

E essa é a capacidade que poucos têm saber que conseguem mudar se quiserem e não com a palavra "nunca" na boca que confesso também ser algo que me irrita profundamente.

Beijinho

Utena disse...

Fire,

Não se pode nem se deve...antes de mais temos de nos agradar a nós pois é connosco que vivemos 24 sobre 24 horas...
Depois é tentar manter a harmonia e adaptarmos o que achamos que devemos a ela...

Beijinho Ghost Rider

o guardador disse...

sim conseguiste expor. acho que entendes, mas que ás vezes custa a acreditar certas atitudes que tem para contigo. e isto sou só eu a pensar P)

Utena disse...

Guardador,

E pensas muito bem... mas sabes as atitudes pertencem a quem as pratica.

=)