segunda-feira, 26 de março de 2012

Qual é o teu afrodisíaco?


… O despertador tocou as habituais 5 da manhã, olhou para o relógio e delicadamente tocou no botão para o desligar, estava acordada desde das 2 por isso foi mais um pró-forma deixar o irritante alarme tocar…tinha de tentar que as coisas parecessem normais… mas não eram certo?
Espreguiçou-se e sorriu para si mesma, depois de ter saído à meia-noite do escritório e de ter dormido apenas uma hora devia estar com ar de morta viva na sua missa de 7º dia. Que se lixasse pelo menos tirava-lhe o ar de femme fatal que tinha e que por mais que tentasse disfarçar nunca conseguia.
Já não se conseguia lembrar de quando tinha vestido para o trabalho saia e blusa… vestidos então nem pensar. A farda era sempre a mesma, fato de calça-casaco escuro e malha de gola alta, cabelo preso…pouca maquilhagem. Não adiantava ainda não tinha conseguido que a respeitassem pela mulher inteligente que era… e se lhe prestavam atenção era para tentarem descobrir que tamanho usava de copa de soutien.
Sabia bem a conversa dos colegas, nunca nenhum lhe tinha dado a volta…não lhe conheciam namorados… não dissertava sobre amantes com a secretária… ou era lésbica ou tinha problemas graves… Céus! Uma vez até tinha ouvido a teoria que era transexual.
Que se lixasse hoje era dia para quebrar regras… o idiota com quem trocava mimos fazia já 6 meses da filial de Banguecoque vinha hoje para se reunir com ela… e se já não simpatizam os dois e se as coisas iam ser difíceis ia jogar no seu campo e onde se sentia à vontade… sempre tinha sido uma sedutora inapta…nunca se tinha aproveitado disso… o dia era hoje!
Levantou-se devagar e dirigiu-se ao banho… tudo com calma… as poucas horas de sono e o estado agitado que estava não dava para muito mais. Depois do pequeno-almoço sentiu-se mas ela mesma… vestiu-se…um vestido justo que evidenciava sem mostrar as curvas bonitas que tinha… meia hora depois com a maquilhagem cuidada e esmerada saiu para o escritório…
Assim que saiu do elevador o habitual murmurinho rotineiro da manhã foi silenciado… sabia bem porque… ignorou como sempre fazia…passou pela secretária e disse:
- Irene quando acabar de olhar embasbacada para mim, queria que me fosse por favor buscar um café e me traga as pastas para a reunião esta tarde. Pode ser?
- Com certeza. Está muito bonita hoje! Algum…
Não permitiu que terminasse, não tinha paciência para isso…já estava arrependida de ter cedido à tentação de se vestir “a mulher”.
A manhã passou num flash… aliás como sempre acontecia, entre as milhentas coisas que tinha que fazer ainda foi interrompida variadíssimas vezes pelos colegas com perguntas idiotas e charadas irritantes… saiu para a reunião com um humor de cão… mais uma coisa que não abonava a favor do idiota de Banguecoque.
Bateu a porta e entrou e perdeu o chão por 5 segundos… o espécime que tinha à sua frente em nada se parecia com aquele que tinha imaginado vezes sem conta matar como se fosse uma barata.
Alto e bem-feito, com o seu cabelo preto abundante e olhos cinzentos era dos que conseguia calar um estádio com uma palavra sussurrada…
Concentra-te! – Lembrou-se a si mesma!
O desconhecido virou-se assim que a porta abriu… lá vinha a caixa d’óculos metida anafada com quem tantas vezes tinha discutido… desta vez ia coloca-la no sítio…virou-se lentamente e o cérebro bloqueou… quem tinha entrado com ar que o almoço tinha caído mal era uma mulher… melhor um mulherão… sofisticada…bonita… segura… e os olhos castanhos eram capazes de o por de quatro num piscar!
Concentra-te! – Ordenou a si mesmo.  
 - Vamos tratar dos assuntos pendentes? Disse Diana com secura…
A voz dela coincidia com a aparência pensou Eduardo… quem diria!
- Claro que sim Madame…responde com ironia…
Sacana a voz era capaz de lhe arrepiar a medula mas e daí sempre tinha sido o normal entre as longas e desgastantes conversas telefónicas.
A reunião foi longa… cansativa… irónica e divertida. Ao fim da noite Diana já descalça e Eduardo sem gravata, chegaram a conclusão que simpatizavam bastante um com o outro…
Despediram-se como velhos conhecidos mas mais que isso como seres inteligentes e metódicos bastante cúmplices nas suas formas de resolver os problemas…
No dia seguinte quando entrou no seu escritório Diana tinha na sua mesa um ramo de Narcisos lilases… e um bilhete…
“Sinto-me fascinado por ti… seduz-me a tua inteligência… adoro-a e iguala-me… vem ter comigo esta noite para jantarmos… se não vieres vou aceitar e compreender o pontapé no traseiro!”
Sorriu… quem diria que um elogio ao seu QI seria um afrodisíaco tão estimulante… concentrou-se no trabalho e desejou que o dia passa-se rápido… estava desejosa pela hora do jantar!

Já sentia falta de vos dar um dos meus contos imaginados na altura... espero que gostem!

24 comentários:

Gadreel disse...

conto ou não....a escrita é bela!


beijo

Utena disse...

Gadreel,

Obrigada, pela presença e pelas palavras.

Beijo

Pretty in Pink disse...

Ai (suspiro)..... até me fizeste sair do meu sofá, mesmo que através da leitura, por uns instante :)

Beijinho*

Utena disse...

Pretty,

Esse é dos maiores elogios que me poderias dar...

Beijinhos

AC disse...

Gostei muito..um conto bonito de sedução.Por instantes imaginei-me perdida numa grande sucursal de um banco, entre executivos de gravata, papeis e reuniões, surpreendeste-me com o desfecho, gosto quando as histórias de sedução acabam bem:)

beijo*

Utena disse...

AC,

As minhas histórias por vezes não tem finais felizes... mas é primavera e os passarinhos cantam.
Quis um pouco de felicidade.

Beijos e obrigada

Anónimo disse...

Gostei muito muito do teu conto!
A tua escrita, as tuas palavras transportaram-me para dentro da historia, muito bem escrito mesmo, parabéns!
Aguardamos novas histórias :)
Beijinhos grandes,
OlgaM

Utena disse...

Olga,

Obrigada... pela companhia pelas palavras... pelas ideias.

Beijos

Pulha Garcia disse...

Por acaso sempre achei o QI terrivelmente afrodisíaco. Tal como o sentido de humor ou um bom vinho tinto.

Black Angel disse...

Menina

Coisa boa este conto

Uma mulher que sabe bem o que quer..

Bj

Utena disse...

Pulha,

Mas tu meu caro sacana és a excepção maravilhosa à regra e ainda bem.

Beijo

Utena disse...

Black,

Ainda bem que gostaste.

Beijos

FireHead disse...

O melhor afrodisíaco é sem dúvida o álcool, lol. Também já ouvi dizer que a comida picante também serve.

Já alguém te disse que tens uma escrita bastante profunda? Agora de repente lembrei-me da outra história que doutra vez escreveste aqui no teu blogue e que no fim a gaja foi ter com o porteiro lá da empresa dela, um cota... XD

TERESA SANTOS disse...

E se te disser que passei uns belíssimos momentos a ler o teu conto?
Se gostei?
Muito, acredita!
Que venham mais, e mais, e mais...

Obrigada.

Beijinho.

NI disse...

E tu seduziste com a escrita.

:)

Beijo

desejo disse...

Seduziu-me, este conto, que pode ser uma história da vida real.


:)

Utena disse...

Fire,

O alcool para mim nada tem de afrodisiaco...
Sim eu lembro-me desse texto tu sabes que eu gosto de dar desfechos diferentes as coisas.

Beijos

Utena disse...

Teresa,

Eu agradeço o melhor de escrever é trazer prazer a alguém...

Obrigada minha querida.
Beijos

Utena disse...

Ni,

Obrigada por te teres deixado seduzir.

Beijos

Utena disse...

Desejo,

Bem-vinda.
Obrigada pelo comentário.

Beijinho

Libertya... disse...

Ficção ou não, muito bem escrito, gostei!

Beijo libertyo

Utena disse...

Libertya,

Bem-vinda... e obrigada!

Beijo

PUTTA disse...

Belo...Beijos.

Utena disse...

Putta,

Obrigada pelos teus mimos =)

Beijos