sábado, 25 de agosto de 2012

A minha primeira (e esperemos última) carta aberta

Ponderei seriamente ignorar este "artigo" que a Excia escreveu para o sol.
Li e reli o chorrilho de alarvidades que escreveu e questionei repetidamente sobre a sua sanidade mental.
Cheguei à conclusão que a culpa não é sua mas do pasquim que publicou o que nos seus "deliros pseudo febris, alcoólicos e psicologicamente dementes" deixou debitar para o papel.
Mas dai não é o único que se esta a marimbar para uma boa informação e educação já que se alguém no seu perfeito juízo edita livros seus apenas posso concluir que vivemos num país de pretensos Dr de licenciaturas a 4 dias.
Só assim se explica uma espécie como a senhora ser considerada escritora.
Posso no entanto dizer que sinto pena de si, já que apenas alguém que tem tanta raiva e vergonha de si mesma é que escreveria algo a humilhar desta forma seres humanos, se mais prova precisasse vemos na criança que tem a seu lado e que chama namorado.
Já agora, ainda o conserva?
Deixe-me esclarecer algo, de ossos nem os cães gostam já que nada têm para satisfazer nem mesmo quando se os chupa, mas acredito que depois das acusações de plágio a que foi alvo temos aqui a prova que tem o dom para a escrita como o têm uma pedra da calçada (sem ofensa a pedra como é lógico)
Permita-me que a elucide neste ponto, todas as mulheres dizem palavrões e todas elas já foram as melhores amigas de alguém do sexo masculino.
Não acredita?
Então aí têm a prova que a senhora nem para a mesa, nem para a cama serve, compreende-se já que depois de uma noite passada consigo os homens tenham de passar pelo serviço de urgência para tratarem dos hematomas que o seu saco de ossos a que chama corpo lhes deixa.
Fala no seu "artigo" que as gordas (deixemos os inhos para quem precisa de preencher espaço nas suas escritas) precisam de dieta, de sexo ou das duas. Olhe a receita para si é a mesma já que o azedume que encontro nas suas palavras demonstra a falta que lhe anda a fazer um bom orgasmo sexual e culinário.
Não sei e sinceramente estou-me a cagar, desculpe não sendo eu da categoria das gordas não deveria usar palavrões nos meus discursos, usemos então o estou-me a marimbar se algum dia irá ler estas minhas palavras apenas penso que se trata de um serviço público promover à divulgação daquilo que apenas uma mente porca e pequena como a sua é capaz de fazer, nunca se sabe se não é graças a essa divulgação que um dia venha a ser enxovalhada na rua com todos os "us" e os "ts" que a palavra put@ deve levar, embora até ela é demasiado significativa para si, eu que me confesso perversa iria gostar bastante.
Acredito que muita gente concorda com a quantidade de merda que lhe sai pela boca fora, mas daí ainda não existe cura para a estupidez humana, tenho num entanto esperança que isso venha a acontecer um dia já que é tão mortal como algumas das doenças com que convivemos.
Acredito que deve ser uma pessoa muito só já que se por um lado não ascende o estatuto de "amigalhaça" por outro também a sua companhia sexual deve ser evitada pois mulheres como a senhora nem os bêbados em coma alcoólico tocam.
Por fim se um dia me ler terei todo o gosto em falar cara a cara consigo e explicar-lhe como pode um mulher ser feminina, desejada e sensual. Sempre adorei casos impossíveis e você parece ser mais um.
Desejo-lhe a melhor sorte do mundo e coragem a cirurgia estética já está muito avançada pelo que ainda existe esperança de um dia saber ao certo o que significa ser Mulher!


16 comentários:

Alexandra disse...

Allo my dear,

deixa-me um pouco transtornada este tipo de artigos, até porque como tu bem sabes eu sou extremamente alta e também levo e muito com a ignorância e hipocrisia desta gente. Passei pelo insólito de quererem tirar fotos comigo, quando nem sequer me conhecem ou conheciam. Depois aparecem estes tipos de personalidade em que eu te mostrei um exemplo e tu agora mostras este, que se julgam detentores de uma enorme sabedoria e por isso dizem o que querem não havendo limites. Aquilo que me ensinaram é que se queremos ser respeitados, temos e devemos respeitar os outros. E o que eu vejo é uma enorme falta de respeito, por todos e por eles ou elas mesmos.

Estou saturada de aturar putedo e gente doida, e não consigo, não consigo compreender estas pessoas de agora. Com grande pena minha, porque creio que teríamos muito a aprender uns com os outros. Esta senhora critica, mas as amigas dela e mesmo ela devem ser daquelas tias platinadas cheias de merda na cara, que não tem onde cair mortas, que andam de leggins e fio dento para que se veja o rabo e os lábios vaginais e assim vão para a noite... engatar os putos e os da idade delas! Eu sou certeira nas palavras, sendo que para mim as mulheres de hoje não se sabem comportar como isso, não tem respeito por elas mesmas... enfim, vou ficar por aqui que estou fula!

um beijinho


Alexandra

Utena disse...

Alex,

Bem mulher estás fula =)
Sim o problema desta gente é não saber olharem-se ao espelho antes de abrirem a boca para dizer merda.

Beijo

Anónimo disse...

Mas porque carga de água, algumas pessoas rotulam outras pelo aspecto?
E o que passou pela cabeça desta senhora para escrever tal artigo?
beijinhos,
OlgaM

migalhas disse...

ola vim ver o seu magnifico blog, estão lindos os posts como sempre, tive afastado da blogosfera mas voltei. vem ver os meus novos poemas por favor http://assombrado-mc.blogspot.com

FireHead disse...

Hehehehe, a Margarida Rebelo Pinto revela-se...

Só te faço uma pergunta, ruivinha: tu perdes tempo a ler o que essa mulher escreve? O que não falta cá no burgo são pseudo-intelectuais como essa tipa, a Fernanda Câncio, etc. etc.

Utena disse...

Olga,

Não faço ideias mas de ideias de merda anda a cabeça desta senhora cheia.

Beijos

Utena disse...

Migalhas,

Bem vindo de volta passarei por lá sim.

Beijinho

Utena disse...

Fire,

Confesso que não mas depois de ouvir tanto falar disso resolvi ler e deu-me nos nervos.
A sério que a vontade foi afinfar-lhe duas bofetadas na tromba

Beijo

TERESA SANTOS disse...


Tem calma, Utena Maria, tem calma!

Há pessoas que não merecem um segundo do nosso tempo, muito menos que lhe demos importância.

Já li o artigo. Acreditas que fiquei com pena da "autora"? "Pena" é o pior sentimento que se pode ter por alguém. Por isso mesmo, apenas sinto dó, dó, mais nada.

A propósito deste teu post (e de muitos outros que tens postado) deixei-te umas palavrinhas no "sabor da Pena", do JP.

Beijinho.

Rafeiro Perfumado disse...

E eu é que tenho de respirar? Ao fazeres esta carta aberta estás a aderir ao jogo da tipa, que é apologista do "falem bem ou mal, o que importa é que falem". Desprezo, Utena, é o pior castigo que podem dar a tipinhas como ela. Beijoca!

Utena disse...

Teresa,

Já passei pois pelo amigo JP e li as tuas carinhosas palavras.
Sim pena é o sentimento que essa "senhora" me dá.

Beijos

Utena disse...

Rafeiro,

Concordo mas deu-me a pulga e quando vi já estava.

Beijos

Nokas disse...

Esse artigo já é antigo, não deixa de ser parvo...enfim, daquela senhora já não se espera muito!

Martini Bianco disse...

Não pretendo ser a ovelha negra aqui mas tenho uma opinião relativamente diferente neste caso.

Apesar da mulher ter sido corajosa e ao mesmo tempo infeliz por "bater" tanto na gordinha, que no fundo não passa de uma metáfora às mulheres menos vistosas, eu percebi a outra parte da mensagem dela, que no fundo diz isto "se for uma tipa gira, ao mínimo erro ou deslize que cometa caem-lhe todos em cima, inventam-lhe mil e um defeitos (e se for loira e gira então nem se fala, pq é logo a tal "loira burra"), etc agora se for a gordinha (metáfora) já ninguém lhe pode ou dirá nada, "por que aí já cada um é como é" e são inatacáveis, façam elas as asneiras que fizerem. Têm desculpa para tudo. Ao contrário do que muita gente pensa, ser gira não é fácil e as mulheres mais vistosas também sofrem com muitos preconceitos associados à sua imagem, preconceitos esses que nunca são valorizados, ao contrário dos preconceitos à volta da gordinha (metáfora) que necessitam de toda a sensibilidade e compreensão do mundo.

Outra coisa revoltante para as leitoras, é que ela escreve livros sobretudo para mulheres e sendo elas o seu publico-alvo, caiu mal este texto, pois ela "bate" em muitas que certamente já lhe compraram livros. Ela esteve muito mal neste texto somente por causa disso, esqueceu-se do seu público, por mais que a mensagem dela faça sentido num ponto, pois poderia ter falado no que sofrem as giras, sem meter a "gordinha" (metáfora) a meio, mas isto é a minha opinião.

Beijos

Utena disse...

Nokas,

Só agora li este chorrilho de idiotices.
É o que se pode contar de alguém como ela

Utena disse...

Martini,

Tu aqui nunca és a ovelha negra e sabes bem disso.
Todos temos direito à nossa opinião e eu sei o que esta senhora quer dizer, senhora essa que nunca li nada do que tenha escrito pois dá-me nos nervos só a voz dela.
A partir do momento em que ela assume o texto e o direcciona a uma classe esta a colocar-se a jeito de ser enxovalhada em público.
Deveria categorizar as mulheres em geral que bem sabemos é um bicho complicado de aturar.

Beijo