sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Esta minha costela de cabra

(uma das pérolas do Facebook)
Muito se fala de crise nos jornais, de aumentos e acréscimos, das tiradas e das saídas. Do c@ralho que os f@da (perdoem o meu francês)
Pouco se fala de soluções, evidentemente na vida seja ela no Parlamento, no supermercado ou no novo bordel de Lisboa fica sempre bem criticar! Apontar o dedo deveria ser a delicia nova. A coqueluche do momento já que é o que mais se vê e muito se usa!
Ando sem paciência para esta palavra já tão antiga mas que pelas minhas contas deve ter sido descoberta por muita gente agora!
Continua a mente pequenina de quem tem a mania que é mais esperto que os outros enquanto que na realidade o que são é sacanas de 5ª categoria com ares de Mafiosos grandes!
E lá está também aqui as coisas batem certo já que continuasse com a ideia que mais vale parecer do que ser!
No entanto não vejo alterações no comportamento desta gente que tanto se chora mas que tão pouco faz para tratar da causa das lágrimas.
Ora se não vejamos:
> Transito descomunal no inicio do mês? Mesmo com o aumento galopante dos combustíveis? Check!
(os transportes públicos são para os pobres, os parvos ou os que realmente fazem contas)
> Filas intermináveis a porta das megastores, sempre que saí um PC, Telemóvel, Jogo ou Consola nova que nada têm de diferenças justificáveis com a antiga a não ser o preço? Check!
(aliás nem poderia ser de outra forma pode-se andar de cuecas rotas e comer sopa em casa mas isso não falta)
> Por falar em comida? Cafés cheios no pequeno-almoço? Check! 
(Acalmem-se já aí os defensores dos bolos, salgados e esplanadas eu não sou contra a ida a cafés apenas contra exageros que por se lá vê)
Era como costumava dizer a minha avó: Criança quando não sabe comer doces quando come só faz merda!
O mesmo se passa por aqui, num país que não se sabe governar com dirigentes que vivem do que não têm, bancos que dão o que não podem (e continuar a dar só não o fazem a quem precisa de facto de ajuda) e cidadãos que continuam a viver na ilusão só poderia dar mesmo nisto!
E depois temos manifes, greves, discursos inflamados que me fazem apenas lembrar as crianças quando começam a frequentar os balneários na escola na tentativa de saber qual deles tem a pilinha maior.
Mal sabem eles que o tamanho não conta, conta sim o que fazemos com ela... e com a língua e com o dedo!
E no meio disto? O que vejo é meia dúzia de gente a tentar sobreviver no meio deste mar de tubarões que tal como o real animal são cobardes e traiçoeiros e maioritariamente oportunistas.
Arre!

10 comentários:

JP disse...

Menina Utena Maria,
antes de mais o teu françês é horrivel (pior que o meu italiano....); o Português sim, está melhor e correto - nunca estiveste tão certa como hoje. Mas não fales muito alto senão o Gasparzinho e o doutorzinho da lusófona ainda sopram ao ouvido do Chefe (deles, ora essa) e quem se lixa (sim era outra palavra, mas o meu italiano....)somos nós!

Beijo

Utena disse...

JP,

Agora é que me avisas?
Depois de ter falado tão alto que até fiquei rouca?
Olha que se lixe (lá está o italiano outra vez).

Beijo

MisterCharmoso disse...

Gostei da parte do dedo e da lingua

Anónimo disse...

Ai Utena Maria, Utene Marie..

Ao contrario do JP acho que o teu frances está otimo ou senão estivessemos nós em vacances e avec des emigrants partout..

È ve-los na praia...
Viens ici Joseph.. mama t'en prie, la mer est tres dangereuse..f@da-se, c@ralho do miudo!!!!!1

Passons au serieux...as fotos estão EXCELENTES e dizem tudo, e claro o texto está ao melhor nível da ruiva.

Ès uma estrela da escrita e que a inspiração nunca te falte Utena Maria.
Bom fim de semana

Logos e Praxis

Enigma disse...

É assim mesmo...
Cambada do c@ralho...

Beijos bom fds...

Utena disse...

Mister,

Imagino que sim mas não no contexto onde estão inseridos

Utena disse...

Logos et Praxis,

Um elogio da sua parte ora aí esta uma coisa rara.
Desde de já agradeço e esperemos que a minha escrita agrade.

Bissou (já que estamos na época deles)

Utena disse...

Enigma,

Beijo e igualmente

AC disse...

Se existe crise eu olho para todo o lado e não a vejo, esconde-se nas lojas fechadas, nos números assustadores do desemprego, nas falências em quase todos os sectores...mas as discotecas, os bares, os concertos de verão, as esplanadas e as praias estão cheias.

Somos malta positiva, pobres mas em casa é que não ficamos.

Utena disse...

AC,

Não sabemos governar o que temos.
Estamos a passar por dificuldades verdade mas se soubéssemos levar a vida como deve de ser dava para tudo.
Além de que a falta de trabalho não é assim tanta como ouvi um abrunho dizer no telejornal que para ganhar o ordenado mínimo ficava no fundo de desemprego.

Beijo