quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Dou por mim a pensar...

De médico e louco todos temos um pouco já diz o ditado, eu de louca tenho muito de médica pode-se dizer que no campo da alternativa tenho alguma coisa...já no campo de psicologia tenho muito. Sempre gostei da área porque sempre me fascinou a capacidade de ajudar alguém apenas no campo de saber ouvir, medicamentos à parte muito do tratamento consiste na capacidade de o saber fazer!
Mais do que aconselhar, falar, dividir uma das minhas maiores virtudes é saber ouvir! Ainda hoje quando falava com alguém que se queixava de males de amor, depois de ter deitado para fora tudo resolvi apenas com uma pergunta contraditória...psicologia invertida é um fascínio, que a fez pensar e concordar rapidamente com o que deveria fazer.
No meu tipo de trabalho isto é comum, atrás do balcão temos 25% de conselheiras, 25% de vendedoras e 50% de psicólogas, faz parte. Acredito que até é isso uma das causas de voltarem.
Observo hoje em dia que as pessoas andam tristes, deprimidas...eu uma descrente da depressão acredito sinceramente que essa será a doença do século. Porque?
Perdemos a capacidade inata que tínhamos de solucionar os males que nos aflige e muito pelo medo que temos da solidão!
Não sabemos estar sozinhos, é algo que nos aflige quando passamos por ela e que nos incomoda quando o vemos nos outros.
Ser solitário é uma arte que poderá ou não ser aperfeiçoada, mas desde de pequenos que nos é negada, não se deixa as crianças sozinhas a brincar porque se podem magoar, não vão sozinhos para a escola porque se podem perder... não se dá as ferramentas necessárias para prosseguir a vida...iludimos-nos que teremos sempre alguém quando na realidade a maior passagem da nossa vida...o término mesmo que rodeados por uma multidão o fazemos sozinhos.
Não somos uma ilha é verdade, somos um bicho que vive e necessita da muleta da sociedade mas mais que isso perdemos o hábito de termos tempo só nosso que nos orienta, ilumina e indica o caminho.
É fácil de ver, tal como os medicamentos o que resulta na vida de A pode ser a catástrofe na vida de B...gostamos de nos iludir, de ouvir alguém dizer que tudo vai ficar bem e vai eventualmente algo na vida muda e o mau acaba por ser substituído pelo bom, mas temos de ser nós a cavar o nosso túnel de saída porque se não o fazemos o mais normal é afundarmos de novo.
Estarei a ser demasiado dura? Provavelmente mas temos de começar a deixar de lado as soluções milagrosas, não emagrecemos do nada porque bebemos um qualquer elixir drenante... não existe um talismã que nos traga sorte... logo não esta na esquina a nossa espera o príncipe encantado se o queremos temos mesmo de domar o cavalo e ir a procura dele... o medo acredito eu será chegarem a conclusão que a liberdade é tanta que já não o queremos para nada!
Andamos cansados, irritados, fodid@s eu sei... sem paciência para nada fartos até da nossa presença... a onda eventualmente passará... mais que não seja mercúrio esta em fase recessiva... aguentem respirem e contem os dias. Até dia 26 ele andará parvo... e é sempre uma boa desculpa para pudermos estoirar com alguém e deitar-lhe a culpa em cima.
Mas mais que tudo aprendam a saber que as muletas existem devem ser usadas mas que depois a fisioterapia é sempre uma das alternativas viáveis.
Namasté!


14 comentários:

Moi disse...

Minha ruivinha linda,
Como concordo com estas tuas palavras... e mercúrio quando anda parvo, nem sei porquê abençoamente de forma generosa, mas enfim, já me habituei tanto, que como me dizia alguém um dia destes, já nem dói...

Somos todos seres errantes e solitários, que desde o inicio nos foi negado caminhar sozinhos, mas a verdade é como dizes, caminhamos mesmo em plena multidão.
Gosto do meu silêncio, aprendo sempre algo mais quando o escuto!




Beijo grande :)

Utena disse...

Moi,

A verdade é mesmo essa querida, fico contente por te identificares com ele.
Mas tu és uma mulher de armas que luta pelo que quer.
É isso que faz de ti especial!

Beijos

Alexandra disse...

Aplaudo de pé!

Amor, afinal o que é o amor? Para mim amor, ou amar outra é saber entender que ela tem tantas ou mais fraquezas que nós. É saber doar, ceder, afastar quando é necessário... É engraçado, porque eu num relacionamento aquilo que pretendia e pretendo é ter um companheiro de luta.. a quem eu possa passar as armas quando me sinto fraca... a quem eu possa verdadeiramente confiar esta desafiante missão... ser feliz a dois!

Fala-se muito sobre amor, escreve-se muito sobre amor, mas andam cegos para ele. São tantas as vezes que têm ali a tal pessoa, mas deixam-se levar, enredar pelo veneno de situações mal resolvidas do passado. Projectam no presente e no outro frustrações acumuladas, tensões mal resolvidas... tantas vezes elas oriundas de infâncias e adolescências mal vividas e castradoras!

Fiz uma escolha na minha vida, estar sozinha, estive sozinha para o meu bem, para o bem dos outros, não gosto de mentiras! Aprendi que sozinha era o melhor caminho e que só na solidão poderia algum dia ser feliz... poucos estão dispostos a isto, deambulando de relação em relação... por isso, de boca aberta ficam quando digo que só tive um relacionamento na vida o qual ainda se mantém. 

Sabes o que me afligia na solidão? Não ter com quem falar, mas estar sozinha era estar entregue ao meu rumo e quando temos outra pessoa... devemos e temos de pensar pelo bem estar dos dois... o primeiro amor é sempre mágico... enfim!

Um beijo para ti! 

Eolo disse...

Acho que generalizar que as pessoas entram em depressão porque "se deixam ir" ou "porque querem" e banalizam a depressa é um caminho perigoso.

Há pessoas com tendências depressivas, outras nem por isso, umas por formação emocional/pessoal, outras por puros desiquilíbrios químicos que não conseguem combater por muita força de vontade.

Como não tens esse traço é capaz de te fazer confusão mas para outras é uma batalha diária. Acho que a doença do século é a solidão e não tem mal nenhum em estarmos tristes por estarmos sozinhos, ainda que possamos lidar bem com a solidão a sensação de tristeza é tipo maré, vai e vem.

Black Angel disse...

Adoro a minha solidão..nela ME encontro muitas vezes..sou a minha própria muleta..resolvo ME..gosto de ser ouvida..mas poucas são as almas que têm a capacidade de saber ouvir..és especial por isso mesmo..OUVES ME!!! : :)

Beijo de Pretume minha Ruiva linda

Vera, a Loira disse...

Inspiradora.

Utena disse...

Alexandra,

O amor é como o ódio um sentimento de excessos.
De grandes feitos bons e maus!
Saber dar esse é o maior defeito que se encontra em relações que acabam... não existe.

Beijo

Utena disse...

Eolo,

Longe de mim generalizar, aliás hoje em dia sou das primeiras a notar quando ela existe!
Mas a verdade é que muitos dos erros que vejo por ai consiste no facto de não se saber estar sozinho.

Beijo

Utena disse...

Blcak,

Ouço-TE e vejo-Te como és!
Especial. Diferente e única!

Beijos de volta

Utena disse...

Vera,

Bem-vinda de volta =)

Observador disse...

Aqui está um adepto (eu) dessa 'filosofia'.

Beijo

Utena disse...

Observador,

Então somos dois!
E desconfio que mais!

Beijos

Anónimo disse...

verdade querida.. temos de saber estar connosco próprios antes de estar com outros... sabe bem termos o nosso tempo e o nosso espaço.. gosto muito de estar sozinha com as minhas coisas... mas de facto nenhum homem é um ilha... precisamos uns dos outros e nao falo apenas de amor...falo de amizades... os problemas de amor (como te contei) não estão sozinhos.. há outros problemas.. e isto tudo junto tem criado a tempestade perfeita na minha vida... mas espero que passe rapidamente! publicamente obrigado pela tua amizade, pelas tuas palavras, pelos teus conselhos, por existires na minha vida, pela paciencia em ouvires, por seres quem é.. desculpa esta fase parva e chatear-te tantooooooo....adoro-te....
beijinhos,
OlgaM

Utena disse...

Olga,

Já uma vez te disse e torno a dizer,
guarda as desculpas isso é para os amigos de ocasião e não para mim que vou estar sempre aí para o que precisares.

Beijos