sábado, 22 de dezembro de 2012

Eu e o atendimento


Confesso-me uma mulher atípica, não gosto de compras, de entrar em lojas atafulhadas enquanto procuro algo que raramente encontro.
Acho stressante o entra e saí de um provador, o veste e despe, fico suada, irritada com péssimo humor, por isso quando entram aqui na loja procuro dar o que procuram e acertar no número, a pior coisa que me pode acontecer é ter de fazer a cliente secar dentro de um minúsculo cubículo até acertar no que deseja.
Mas mais que isso, o que me leva mesmo aos arames é o mau atendimento, os maus modos de uma lojista em relação ao cliente que entra na loja para lhe colocar dinheiro na caixa, dinheiro esse que lhe ir facultar o pagamento de ordenado do final do mês.
Os famosos, DIGA, ou o pura e simplesmente abanar a cabeça ou então o ficar a olhar especada para nós quando lhes dirigimos a palavra ou nos dirigimos a caixa, o não haver um cumprimento quando entramos ou um obrigada quando saímos, o facto de não oferecerem ajuda de não saberem satisfazer o desejo de um cliente faz-me ferver tal qual chaleira em hora de chá!
E se for nesta época, aí pior ainda parece que o facto de entrarmos na loja para comprar é quase um favor que lhes fazemos e o atender-nos um frete que lhes é imposto.
Para mim que tenho um negócio questiono-me se os patrões saberão o tipo de funcionárias que empregam e o facto de apenas ser necessário uma para lhes destruir a casa.
Ontem resolvi ir com a menina do meu boy a uma famosa loja de brinquedos, enquanto ele comprava a última prenda eu distraía a menina... depois de soprar e de fazer uns quantos exercícios para acalmar o feitio que se instala em mim por ter de ir a um centro nas vésperas de Natal lá fomos.
A menina dirigiu-se a uma das funcionárias da loja e com toda a delicadeza pergunta:
-Olhe senhora boa noite pode se faz favor dizer-me onde esta o brinquedo X?
Resposta:
-Não faço ideia o que é isso mas se estiver podes ir procurar ali junto com os outros brinquedos da colecção!
Saltou-me a mostarda ao nariz mais rápido que o Flash Gordon chega a casa de banho quando acorda e escusado será dizer que só não azedaram as azevias porque a menina estava comigo, apenas lhe disse anda comigo amor que existe aqui gente com prisão de ventre e ao passar por ela sussurrei um Feliz Natal para si.
Confesso que naquela altura estava a pedir para que ela me olhasse de lado para puder desancar na desgraçada mas não me foi satisfeito o desejo.
Sei que existe clientes muitos mal educadas, as autenticas bestas de Centro Comercial que nos tratam pior que um verme e nos fazem sentir mais minúsculas que umas formigas mas a essas faço eu questão de atender com toda a simpatia do mundo porque sejam elas incorrectas ou não, gastam o dinheiro delas aqui... agora a uma criança de 6 anos? Numa loja de brinquedos?
Não entendo!
Cada vez me convenço mais que se fossem a colocar no seu lugar quem vocação para ele tem e não pelo estatuto ou ordenado o mundo estaria indubitavelmente 1000 vezes melhor.
Já só faltam 2 dias para o Natal... e eu suspiro de alívio.
Namasté

8 comentários:

Observador disse...

És mesmo uma mulher atípica.
:)

Lynce disse...

Pois é, minha queridona e boazona amiga, eu não me posso queixar do mau atendimento de logistas, e, sinceramente, não me recordo de ter sido mal atendido, antes pelo contrário, mas sei de casos que...enfim, se fossem comigo, nunca mais lá deixava um cêntimo.
Beijinhos com carinho e, se não falar-mos até lá, desejo-te um excelente e Feliz Natal.

L'Enfant Terrible disse...

Creio que os culpados são os patrões, já que querem muito dando pouco. Ainda assim há quem seja profissional com pouco e quem não o seja com muito.

PS: O Flash Gordon não corre, não é rápido, esse é o Flash, somente Flash!

AC disse...

já somos duas... se tu visses numa conhecia loja as "pessoas" vulgo animais de 2 patas a fazerem compras, a remexerem tudo, a pisarem roupa, a atirarem coisas para o chão...tirei fotos.. e hei-de falar sobre isso. Juro que senão tivesse visto não acreditava. Estou farta do Natal.Só gente feia, mal educada, má, de mal com a vida. Livra!

Utena disse...

Observador,

Confere-se isso sim

Beijos

Utena disse...

Lynce,

Tens tido sorte ou então eu azar.
Mas a verdade é que em certos casos até assusta.

Beijos e Feliz Natal

Utena disse...

L'Enfant,

A culpa é dos dois, não se pode colocar a culpa apenas num dos lados, isso seria o mesmo que dizer que nos divórcio a culpa é de um dos cônjuges.
Quando se aceita um trabalho sabe-se as condições se aceitamos cumprimos e não fazemos por passar o tempo, pelo ordenado.

Beijo

Utena disse...

AC,

O bicho homem no seu pior.
Sempre me questionei como pode alguém ultrapassar o seu pior.

Beijos