domingo, 17 de março de 2013

Em jeito de recaldo



Ando meio ausente aqui deste mundo das escritas expostas do que somos mas que muitas vezes não mostramos.
Em parte porque sendo uma péssima doente acabo por me tornar tão irritante que nem eu mesma tenho paciência para mim. O que faz com que fique quieta no meu canto agarrada a um livro, pouco manifestando o meu desagrado pelas coisas que nessas alturas acabam por ser todas.
Mas em jeito de rescaldo posso dizer que as coisas tendem a vir a melhorar lentamente, já me sinto mais eu... mais alerta, menos irritante e 100% sarcástica o que acaba por ser bom quando vemos a vida mais a verde e menos a cor-de-rosa.
Em jeito de rescaldo posso dizer que as coisas deram a volta e voltaram ao mesmo, a pessoa que escolhemos para nos dar uma ajuda foi com as put@s porque?
Digamos que resumindo bem as coisas porque infelizmente continua neste país a ideia que o trabalho não foi feito para nos cansar mas para passarmos o tempo entre os fim-de-semana e os fins do mês.
E chegar a conclusão que pagamos a alguém e que depois temos de fazer o serviço todo na mesma porque ou a senhora não se pode cansar ou usa a doença (já sanada) como desculpa deixa-nos a pensar o que raio fumamos no pequeno-almoço e se juntarmos a isso cuspir no prato onde se come? Bem aí então teríamos de passar da fase do fumar e juntar o mastigar.
Portanto e num país onde supostamente o desemprego abunda, a falta de oportunidades é uma realidade e os subsídios sabem bem como o c@ralho lá estamos nós novamente na busca, frustrada, de tentar arranjar alguém que ao menos nos faça o domingo para que possamos descansar.
A lógica diria que isso seria algo bastante fácil de conseguir, a realidade das coisas? É que as pessoas querem o ordenado na conta mas de preferência com pouco envolvimento e cansaço da parte delas.
E não... não estou a dar uma de ave de mau agoiro que fala mal dos pobres desempregados deste país que passam fome e entram em desespero quando procuram o pão para a boca dos seus filhos Até porque isso acontece mesmo que de uma forma envergonhada escondida no meio dos telemóveis de última geração... o que digo é que para mim e isso sou eu a pensar se precisasse de ter dinheiro para comer tudo valia, e não ia ter problema em trabalhar atrás de um balcão ou até mesmo com uma esfregona na mão se isso fosse honesto e trouxesse subsistência a minha casa.
Mas isso sou eu que tenho uma feitio c@brão com a mania que é certo ou justo ou correcto enquanto que na realidade o que acontece mesmo é que esta minha bem fadada costela de c@bra tem pouca paciência para muitos queixumes e pouca acção.
Por isso é assim... aqui a Utena Maria continua meio doente... a caminho de ficar recuperada mas 100% na mesma com a mania que a vida seria muita mais fácil de ser vivida quando poupada a hipocrisias falsas, desculpas esfarrapadas e sorrisos politicamente correctos de ir ao cú.
Enquanto isso lá vou seguindo a vida no sonho, 7 dias por semana, 11h por dia sem me queixar e com um sorriso... ainda existe gente que acha que na vida o que se consegue é com esforço embora as coisas más tendam a acontecer as pessoas boas nunca se sabe se não acabo por ser surpreendida.
Right?
Bom domingo.
Namasté



6 comentários:

dom disse...

Se soubessem a quantidade que ADORA não fazer nenhum e viver de subsidios ... ahhh... SALAZAR por favor volta.
Não existe falta de trabalho...existe sim quem queira trabalhar...porque 90% apenas quer trabalhodas 9 às 17h, com 1 a 2h de almoço, com fins de semana, pontes, e tudo mais ... Existe muito trabalho, mas existe ainda mais chupistas a chularem subsidios aos quais eu desconto do meu ordenado para os governar...e esses não se coibem de irem mamar imperiais, cafés, fumar cigarros para o café e rirem-se a dizer, que enquanto o RSI (rendimento social de inserção) ou outros subsidios.
De facto essa pseudo @juda ainda se irá arrepender de não ter aceito...mas isso sou eu com o meu mau feitio FDP e C@brao :)

Beijos

Alexandra disse...

haja alguém mais com discernimento neste país de gente que agora somente vive para uma coisa: política, política, política e mais política!

A ostentação existe, sempre existiu em todas as camadas da sociedade... ser aquilo que não se é, é que está na moda!


beijinhos!

Utena disse...

Dom,

O medo é esse mesmo o facto de não saberem viver sem eles.
Os subsídios não são direitos mas pelos vistos é algo que esta gente não entende.

Beijos

Utena disse...

Alexandra,

A hipocrisia assusta-me!

Beijinhos

JP disse...

Mesmo ausente ia vendo o que andavas a fazer :))))

E nada mudou. Sempre a mesma Utena Maria que eu gosto.


Beijinho
(estava farto da clausura)

Utena disse...

JP,

Sempre bom ter-te por aqui melhor ainda saber-te fora da clausura.

Beijos