quinta-feira, 25 de abril de 2013

That's me! Deal with that

Sou uma rapariga vivida para a minha idade, aliás isso da idade tem que se lhe diga... nunca contei em anos aquilo que nos pode transformar a experiência. E essa tenho bastante!
Passei pelo muito bom, dei um pulo ao muito mau... deambulei pelo assim-a-assim. E no fim esse cocktail que para mim ainda vai a meio criou esta que sou.
Mas mesmo depois de ter visto o que vi, ainda existe certas coisas que me fazem confusão. Que é essa mania que se têm que no mundo os "poderosos" conseguem tudo. Seja porque podem... seja porque o fazem acontecer seja de que forma for.
Sinceramente? Tenho pouca paciência para isso, mas o tempo (esse filho da puta que não se detém por ninguém) acaba por nos fazer moderar certos comportamentos que eram já habito não pensados.
A Utena Maria de antes levava tudo a frente, como uma qualquer máquina assassina que não se detém por nada, nem por ninguém! Sem pensar em consequências, nem em karmas... nem em quem fodia pelo caminho. As vitimas? Eram apenas danos colaterais... sombras de alguém que inadvertidamente se tinha colocado no meu caminho.
A Utena Maria de agora explode no momento, isolada do mundo... e depois pensa, ouve, pondera, questiona! Estuda o caso, respira e depois pensa, como será a melhor maneira de telecomandar o missel que irá enrabar correctamente o idiota que se acha o maior do mundo?
Ontem foi um desses dias!
Ontem foi um desses dias em que depois de demonstrar a um dos que se acha maior que, melhor que, mais forte que... Que na realidade o karma é fodido e que muitas vezes no meio de sorrisos, palavras sussurradas, ditas com uma educação superior aquilo que a ocasião existe a ameaça fica muito mais vincada e muito mais presente!
E sim os músculos ficam tensos com o esforço de manter a voz controlada, pausada e a um som aceitável. Fico a suar frio, sinto como se tivesse sido atropelada por um camião.
Mas analisando as coisas friamente?
No final da batalha... a sensação é muito mais reconfortante que se eu o tivesse mandado levar no sitio onde não entra sol.
Certas coisas puramente não aceito, não se coadunam com o que sou, com o que já vivi. Vai sempre ser uma luta minha seja ou não minha a batalha!
E vencer nem que seja por poucos pontos continua a saber bem como um belo copo de caipirinha no fim de uma tarde de verão!
Namasté

6 comentários:

JP disse...

ó p'ra ela, tão rejuvenescida a "velha" Utena que eu conhecia!

Ou foi do sol, da caipinrinha ou simplesmente a inspiração voltou. E mai nada:)))

Beijo

Alexandra disse...

Limpezaaaaaaa, precisa-se! ;)


beijinho!

Eolo disse...

Não percas tempo com este tipo de pessoas, invariavelmente lixam-se e tu não gastaste energia e paciência.

Beijos

Utena disse...

JP,

Até eu já sentia saudades dela!


Beijos

Utena disse...

Alexandra,

Nada a ver!

Beijinhos

Utena disse...

Eolo,

Até o poderia fazer. O problema é que muitas vezes temos de meter a mão na merda!

Beijo