quinta-feira, 11 de abril de 2013

Voltando...

Tenho conseguido estabilizar aos poucos. Não tenho tido muita cabeça para escrever e a verdade é que eu penso na escrita como algo que me sai naturalmente logo não a tenho forçado a aparecer.
Aprendi que inevitavelmente ela acaba por surgir, pelo menos as fases em que tenho estado "seca" de inspiração não tem sido tão longa como quando criei o blog.
Hoje dei por mim enquanto fumava um cigarro e sentia o sol (finalmente) na face a pensar em dar e receber.
Desde de miúda que sempre aprendi que para termos algo deverá sempre existir o retorno...para ver os desenhos tinha de ter os trabalhos feitos, para ter uma prenda boas notas...cresci com isso em mente.
Por exemplo nunca vi o meu ordenado como um direito meu, mas como a troca do meu serviço... dou e logo recebo. Aliás nunca pedi um valor sempre preferi que soubessem primeiro como sou profissionalmente, nunca pedi um aumento sempre me foi dado. Em contrapartida quando vejo que dou e não recebo o retorno bato com a porta.
Hoje em dia dou por mim a olhar à minha volta e a ver que isso deixou de ser uma realidade, as pessoas pedem, querem mas não estão dispostas a dar o retorno.
Querem sem esforço, pedem sem contrapartidas... lamentam-se sem fazerem nada para mudar a sua realidade.
Energéticamente sinto a mesma coisa, para termos algo tem de haver sempre a contrapartida... o ying e o yang. O equilíbrio da balança.
Não pode haver o resultado sem ter sido oferecido o retorno. É aí que reside o meio termo de uma balança que se torna cada vez mais desequilibrada.
Hoje enquanto observava quem por mim passava, sisudo...metido na sua própria vida questionei-me quantos deles pedem por algo e quantos estariam de facto dispostos a pagar o preço para o ter.
Mas mais que isso questionava-me quantos terão em mente que muitas vezes actos fortuitos têm custos... e elevados.
Mantenho o meu lema, desejo aos outros em triplo o que me desejam a mim... no fundo o livre arbítrio existe sempre... apenas colhemos o que plantamos.
Claro que no meio temos de contar com influências exteriores que não controlamos...mas isso? Isso é outra história!
Namasté


6 comentários:

Alexandra disse...

Estou contigo!

Um beijo, Darling!

Observador disse...

Passa-se algo contigo?

Concentra-te no "ying e no yang"

Bjs

Luís Alvarenga disse...

Porque não gosto de ser anónimo/a; porque aprecio o teu blogue onde vim "bater" por mero acaso, esta visita já vai assinada.
Pois... e aprecio lobos! Mas isso são outras histórias.

Utena disse...

Alexandra,

Beijo

Utena disse...

Observador,

Passa-se sim!
É a vida!

Beijo

Utena disse...

Luís,

Bem-vindo agora identificado.
Obrigada pelo carinho e fica!
Também gosto de lobos... será outra história?