sexta-feira, 10 de maio de 2013

Daqueles momentos

De vez em quando a roda do destino faz questão de nos mostrar que não controlamos nada, que apenas pudemos contar com o dia-a-dia... saber como vivemos o hoje e deixar de parte os planos para o amanhã.
Saber que a quem gostamos foi diagnosticado algo que poderia ser grave, que iria alterar toda a sua perspectiva de vida! Ouvir os seus medos, sorrir enquanto lhe dizemos que não é bem assim, que primeiro tem de fazer os exames e só depois pensar no que se pode e no que se irá fazer.
Puxar dos galões da armadura e repetir vezes sem conta, com um ar de força que não existe:
"Apenas o perú morre na véspera sem exames não sabes o que tens!"
Abraça-lo e enquanto se sente o bater dos corações, pedir... por favor que não seja nada... e se for que ao menos se consiga estabilizar.
E manter a aparente calma, o insistir dissimulado... vai a médica, marca os exames! Ela que veja esses que fizeste no hospital!
Hoje e mesmo ainda não tendo os exames já feitos, sabemos que o cenário não esta tão escuro!
Sim o problema do colesterol estar elevado como está é assustador... verdade que pelo menos 18 kg têm de sair de cima dele...
Mas saber que pelo menos o coração esta normal... faz com que respire fundo novamente.
E confesso aqui que ninguém nos ouve (ou lê) não o fazia vai já para alguns dias!
Namasté

4 comentários:

JP disse...

Que ninguém nos lê?:(

Eu partilho, e mais gente certamente, o teu estado de espírito. Se passaste a respirar fundo normalmente já é bom. E tens razão. Só o peru tem o destino marcado...

Estou do teu lado. Tudo de bom. Mas há alturas que as palavras não significam nada....


Hoje não é beijinho...é um abraço apertado

Suri disse...

Que corra tudo bem!

Utena disse...

JP,

Certas alturas as palavras dizem muito e os abraços ainda mais!

Obrigada,

Beijo grande

Utena disse...

Suri,

Acredito que sim!

Obrigada