quinta-feira, 6 de junho de 2013

Abre a mente e vê!

Neste mundo esgotado de valores onde abunda a mediocridade nas acções vejo e sinto por quem passo duas coisas:
> A total ausência de interesse em saber o que nos rodeia,ou,
> Uma necessidade quase visceral em tentar aprender mais do que aquilo que nos mostra o sentido da visão.
A vida é mesmo assim, e não falo da vida que vivemos mas daquela que já por este mundo vêm existindo por séculos e séculos, que tal como uma roda passamos por momentos de luz e escuridão... por querer saber e por tentar passar despercebidos envoltos na essência do dia a dia... do valor que nos trás o material que de nada nos serve mas que nos entrega o prazer instantâneo envolto na ilusão dos sermos felizes.
Não vejo mal nenhum na tentativa de aprendizagem, em procurar na "alternativa" aquilo que não obtemos no habitual. O que me assusta é sentir que nessa busca inconsciente do que se esconde do mais normal dos sentidos nos deparemos com a mesma imagem que temos de uma criança a brincar com uma caixa de fósforos.
O resultado pode ser catastrófico, e embora não seja da opinião que certas informações deverão ser apenas facultadas de uma forma limitada e escolhida, penso que deveria haver hoje em dia um maior cuidado da forma como ela é transmitida.
E pensando nisso penso na facilidade com que se busca no Google e aonde se pude obter com alguma pesquisa informações detalhadas de tudo... desde de uma máscara hidratante caseira para os cabelos, a construção de uma bomba...ou até a fazer bruxedos, macumbas e magia...
E a magia existe, independentemente do que julguem, do que possam estar aí já a bufar... ou a moer entre dentes ela existe... não forço ninguém a acreditar... não coaduno ninguém a dizer amén comigo... eu passei por isso uma vez, quando diziam que o que sentia não era real e o que via ilusório... não forço a acreditar não me forçam a negar. Simples certo?
Mas não é disso que se trata este texto, não sou nem pretendo ser um qualquer guru de 5ª categoria rodeada de ninfetos desnudos que sucumbem ao meu poder (embora a visão tenha o seu quê de interessante) mas apenas uma tentativa de alerta a quem começa o seu caminho numa busca mais profunda daquilo que os antepassados sabiam e que se foi  perdendo por interesses, por descuido ou mesmo porque tinha de ser.
Não acreditem em tudo que vos dizem, nem aceitem como certo tudo o que lêem, a palavra seja ela oral ou escrita tem vários significados... o que quer dizer, o que entendemos, aquilo que o interlocutor quer mostrar e aquilo que na realidade é... tão simples e tão complicado não é?
Mas nunca ninguém disse que o dom do conhecimento era fácil verdade?
Deixem o tempo fazer o que faz melhor, que é preparar-nos para a realidade das coisas, ele não é igual para todos... não é uno com todos... nem certo para todos. Forçar um conhecimento de forma leve é a mesma coisa que obrigar a mente a aceitar aquilo que ou pode não estar preparada ou pode nem sequer ser algo para ela...
Aceitem a ajuda que pedem, consciente ou inconscientemente como algo que é... uma ajuda de alguém que pensa, age e sente de maneira diferente... ouçam, investiguem... mas acima de tudo abram a mente... o coração e os olhos aos estímulos e as respostas que existem  em cada momento do vosso dia-a-dia elas são sem a maior dúvida o vosso melhor professor.
E se depois disso a dúvida persistir posso garantir que irá aparecer na vossa vida quem vos oriente e a quem  poderão orientar.
Já fui orientada... hoje orientei... mas independente de tudo isso mantenho na mente a certeza que serei sempre leiga!
Namasté

8 comentários:

dom disse...

A internet é uma "caixa de pandora" ...e neste momento vivemos numa sociedade sem regras, ou melhor, existem regras, regras das palas, da subserviencia, de eu quero posso e mando, do egoismo e egocentrismo, da falta de valores... mas a maior regra é imposta pelos nossos progenitores (alguns) que nos forçam a esquecer o que acreditamos e vemos em pequenos, o que existe para alem do visivel...e colocamos amarras, deixamos de acreditar, e fechamos a mente, porque se dissermos o contrário seremos rotulados de "maluquinhos" . Costumo dizer que Eu acredito na existencia de um átomo mesmo nunca tendo visto um... crescer como ser humano é abrir a mente, é questionar, é descobrir...é descobrir que nunca, mas nunca sabemos tudo e que teremos sempre algo para aprender.

Dom

PS. tens noção que este teu post vai gerar amor/ódio ?? :)

AMO-TE :D

Observador disse...

With mind open.
Always.

Kiss

O Puma disse...

Aprender aprender sempre

porque não basta ter razão

Utena Marques disse...

Dom,

Tu sabes que isso não me aquece nem me arrefece digo o que acho e não o imponho a ninguém.
Quem gosta lê quem não gosta bye bye!
Mas não vou deixar de alertar quem precisa só porque posso ferir susceptibilidades de alguém.

Beijos
Love u

Utena Marques disse...

Observador,

Não tenho a menor dúvida que és assim!

Beijos

Utena Marques disse...

O Puma,

Bem-vindo antes de mais.
E sim vivemos para aprender.

JP disse...

Tudo podemos ouvir...mas nem em tudo se pode acreditar. E não me refiro aos políticos, que esses já nem acredito mesmo que não digam nada eheheh

A experiência é a madre de todas as cousas já dizia o outro. E é ela que nos obriga a estar, a ser pessoas de mente aberta...mas nem todas assim são.

Beijo

Utena Marques disse...

JP;

As mentes levam o seu tempo o que me assusta é a necessidade que vejo de encontrar uma resposta e a facilidade com que as aceitam.

Beijos