quarta-feira, 26 de junho de 2013

Eu e as minhas manias

Ontem tirei folga aqui do sonho por umas 3 horitas e fui até a praia com o Boy e a pimpolha dele, sendo eu uma pessoa de frio (adoro os frios glaciares embora confesse que já andava saturada deste), tenho necessidade de estar na praia, do cheiro, da água... do barulho das ondas enfim... do que se consegue saborear num final de tarde de Verão quando maioritariamente as pessoas rumam a casa.
Não vou falar da falta de civismo que se encontra no areal, aliás acho que aumenta exponencialmente nestes locais... mas mesmo sendo anti-social (que o sou) é um local onde entendo os gritos das crianças... as correrias entre toalhas... já não entendo adultos a jogar a bola em cima de quem esta deitado ou pais sossegadamente a tomar banhos de sol enquanto os filhos se aventuram nas ondas mal sabendo nadar.
Adiante...
Como comecei por dizer ontem fui a praia, e depois de conseguir arranjar um espaço no meio do areal de gente dou por mim a ser literalmente escorraçada por um individuo que me diz com um ar de quem definitivamente não sabe o perigo que corre, que ali vai haver uma aula de ténis e que eu tenho de sair ou vou levar com as bolas... estando eu sozinha resolveria isso de uma maneira bastante pratica (que incluía o uso de uma raquete mas não para bater em bolas) mas com a menina tentei ser razoável, dentro dos limites que o meu limite de paciência esta longe da zona do altar e expliquei que com as marés vivas, com o pouco que se tinha de areia e com o calor que se sentia não era muito inteligente a aula de ténis!
Adiantou? Não!
Então tive de levantar a minha voz para baixar o tom do senhor e perguntar onde estava a placa que dizia que aquele pedaço de praia deixou de ser público e passou a ser propriedade de alguém!
Engraçado como as coisas mudam quando demonstramos em nós um lado muito feio não é? Infelizmente as pessoas só entendem quando puxamos dos galões ou quando mostramos que podemos ser boas ou muito más!
Resultado?
Não só nos pediu desculpa 500 vezes, como em seguida não deu a tão necessária aula porque.... bem estava calor demais! A sério???
Agora uma coisa que não entendo e sinceramente me mexe com o sistema nervoso é a quantidade de concessionários que existem por estas praias de Portugal, não é suposto ser território público? Desde de quando se pode alugar um pedaço de praia para montar chapéus e cadeiras e mesas e merdas que tais para dondocas com a mania que são tiazorras que depois vão para casa e deixam o maior cagaçal na areia?
Qualquer dia para ir para a praia só pagando e pior que isso é o olhar que mandam como quem diz não podes vir para aqui porque este território é privado!
Privado?
Desde de quando?
Praia que é praia é areia... e chapéus... e boladas na mona!
É tentar entrar na água sem levar com pingos nas costas...entre ais e uis e dasse que esta fria!
É convívio... e energia a circundar e Quim Barreiros a bombar!
Se é pimba?
É... confesso que é mas se querem ser dondocas paguem a entrada numa piscina oceânica...
Ou então façam como eu... saboreiem o calor morno do final do dia enquanto o mundo para quase sem percebemos e a praia se torna nossa!
Namasté!



14 comentários:

L'Enfant Terrible disse...

Por acaso, pela via legal, as praias podem ser concessionadas como é o caso. O mal é quem deixa concessionar e quem depois usa acha-se com o rei na barriga e que é tudo nosso!

Utena Marques disse...

L'Enfant,

O mal mesmo é esse o usar sem apelo nem agravo e acharem que podem vedar acessos e tal

Eolo disse...

Tenho um pedaço de dondoca em mim confesso, ai o meu chapéu de sol e ai a minha cadeira que odeio areia.

Utena Marques disse...

Eolo,

O teu pedaço de dondoca e comportado, não faz de ti alguém que se julga superior aos outros ou que tem empregado para limpar a merda que deixas!

Eolo disse...

Acho-me um pedacinho (superior),

Utena Marques disse...

Eolo,

Essa superioridade que existe não esta associada a este contexto!

JP disse...

o teu limite de paciência está longe da zona do altar? eheh o que eu me ri...

Efetivamente há muitos abusos, e quando as praias são pequenas nem se compreende. Mas uma raquetada na tola resolve muitos problemas, resolve resolve :)))

Beijo

Utena Marques disse...

JP,

Ainda bem que te fiz rir... bem precisamos de uma gargalhada de vez em quando.
E sim os abusos enervam-me mesmo.

Beijo

Luísa Lopes disse...

Tenho uma dondoca dentro de mim, no que toca à falta de paz na praia, criancinhas mal educadas, por paizinhos piores que eles, (sim que a malta aprende), bolas e raquetes, rádios a pilhas e afins. Estraga tudo o que eu idealizo como PRAIA!!
Só por isso sou a primeira habitante, e à tarde a última da fila.

(Ainda pensei que querias uma raquete para jogar com as bolas do senhor, LOOOOOL)

Utena Marques disse...

Luísa,

Adoro a praia ao fim da tarde... detesto gritos dos pais que não levantam o cú da toalha mas que passam a vida a gritar com os miúdos que como miúdos que são querem é brincar.

Quanto a raquete estava mais a pensar em realizar uma coloscopia a borla!

AC disse...

Não tenho pachorra para confusões, sou vou à praia a horas impróprias ou ao fim do dia, eu a chegar e a malta a sair.. priceless.)

FireHead disse...

Com que então foste praticar o desporto de Verão favorito dos portugueses, ou seja, ir à praia? Como eu não te invejo. :)

Mas possivelmente até é capaz de saber bem uma vez ou outra obrigar a pele a aborver uns raios (assassinos) ultra-violeta que nem com o creme mais potente consegue aplacar.

Espero que esteja tudo a correr bem contigo, rapariga. Apercebi-me que houve novidades por aí entretanto. Desde que sejam boas, tudo bem.

Beijinhos.

Utena Marques disse...

AC,

Como te compreendo Guerreira e com o teu stress de trabalho precisas mesmo de paz e descanso

Beijo

Utena Marques disse...

Fire,

O sol como tudo quando q.b. só faz bem.
Sim tem havido novidades... espero que a tua nova vida esteja a correr bem também.

Beijo grande