terça-feira, 17 de dezembro de 2013

Tolerância zero à estupidez

Conhecem aquela celebre frase " Quanto mais pessoas conheço mais gosto dos animais"? Pois é uma que me acompanha desde de bastante cedo.
Sempre me dei melhor com os chamados "irracionais" do que com os "racionais" de tirar o chapéu, não sei se é o meu lado animal que me faz ter essa capacidade ou se o meu lado menos racional que se sobrepõe ao outro.
Independentemente do que seja, não posso deixar de ficar assustada com a completa estupidez que assola alguns seres em pleno Séc. XXI. Fico aliás surpreendida por não existirem alguns que se voltam a amedrontar com os relâmpagos tamanha é a sua mente pequena e limitada à evolução dos tempos.
Infelizmente pelo que descobri, mais uma criança terá sido atacada por uma raça perigosa... não... não foi raptada, violada ou mutilada por um ser humano (essa sim uma das raças mais perigosas da nossa sociedade) mas por um macho rotweiller.
E como não poderia deixar de ser lá vieram as duas fracções a público dizer de sua justiça...
A noticia não expõe o que de facto terá acontecido, aliás a culpa fica sempre do lado de quem não tem voz inteligível para se defender... fica sempre a sensação que o cão assumiu um lado mutante e que do nada atacou a criança só porque sim.
Não estou para aqui a dizer que a criança tem culpa, aliás como o próprio sinónimo indica é uma criança que ao ser acompanhada pelos adultos (neste caso avós) deveriam ter a mão nelas para que nada de suspeito originasse o ataque.
Não tendo conhecimento dos factos, posso até (dificilmente confesso) aceitar que o animal atacou do nada, pelos vistos terá fugido do quintal porque a empregada abriu inadvertidamente o portão, mas lendo a notícia com olhos de ler (http://www.publico.pt/sociedade/noticia/rottweiller-ataca-crianca-de-dois-anos-1616551) dá para ver que o animal não era tão irracional assim, se assim fosse teria desfeito as mãos dos avós quando lhe abriram a boca.
A verdade é que casos destes, que felizmente sucedem poucas vezes por cá, devem sem dúvida ser evitados, agora deverão ser feitos com a eliminação total da raça como alguns mentecaptos sugerem?
Deverá mesmo o animal que ataca ser abatido? E se sim com que fundamento?
Que o animal de grande porte saia com açaime (concordo), mas a realidade estatística esta aí... são os animais de pequeno porte que mais mordem... vamos banir os chiuauas? Considerar os pinchas animais perigosos?
E se sim? Quando se começa a estabelecer colares de choques para implantar no pescoço dos seres que vomitam barbaridades por aí? (eu confesso que ia adorar)
E se devemos abater um ser que mata, para quando a pena de morte para o animal que viola, mutila, espanca?
Dois pesos e duas medidas?
Uma vida não é uma vida tenha ela duas ou quatro patas?
A sério cada dia me assusta mais a globalidade barbara da mentalidade mesquinha do ser humano!
Se o lema com ferro matas com ferro morres vier a começar a ser usado, não terei eu também direito de os deixar morrer à fome no meio do lixo... ou os amarrar em plena Serra de Sintra?

"Virá o dia em que a matança de um animal será considerada crime tanto quanto o assassinato de um homem." - Leonardo da Vinci
E nesse dia eu serei uma mulher feliz...
Namasté _()_


10 comentários:

dom disse...

FODA-SE ... se o cão estava num quintal, e saiu porque abriram inadvertidamente o portão, porque raio haveria de estar açaimado?? E porque não colocam açaime nos violadores, e quem diz açaime diz castração? E porque não pena de morte a violadores??
E em que circunstâncias atacou o cão? Porque atacou o cão? Que foi que causou tudo isto?
Péssima peça jornalistica, tendenciosa.
Daqui tenho pena da menina de 2 anos que infelizmente vai ficar com sequelas para toda a vida, e pena do cão que por causa da estupidez racional está com a sua vida em risco.

Enfim...resta-me dizer ... Quanto mais conheço os verdadeiros animais (Homens) mais adoro os animais !

Dom

Utena Marques disse...

Dom,

Os únicos que não são culpados são a criança e o cão!

Beijos

Isabel G disse...

Cara Utena, ainda bem que vai havendo gente como tu que compreende os animais. É realmente triste constatar a mentalidade tacanha e desumana dos humanos, amais perigosa espécie à face da Terra, como muito bem dizes!

Por isso, um obrigada de uma amiga dos animais para uma amiga dos animais!

Utena Marques disse...

Isabel,

Bem-vinda antes de mais.
Sim para mim os animais são o que de melhor temos, pela sua ternura e pelos ensinamentos de puro amor que cada dia mais mostram que de irracionais têm muito pouco.

Obrigada eu

Coisas de Feltro disse...

Olá. Simplesmente não acredito que um cão ataque assim do nada. Ou porque está treinado para agredir em determinadas condições, ou está sobre stress, qualquer coisa se passa. Não acho normal que um cão (muito menos um cão de casa) faça isto assim de repente.Há aqui qualquer coisa que não bate certo.
Um beijo

FireHead disse...

O problema é que há muitos espécimes humanos que não sabem fazer uso do dom da razão. Mas também há casos em que os animais se passam literalmente e fazem das suas. Como em tudo, não se pode generalizar.

Beijinhos.

Utena Marques disse...

Coisas,

Sem dúvida, o problema é o jornalismo tendencioso que serve apenas para criar atritos!

Beijinho

Utena Marques disse...

Fire,

Pois não!
Nem generalizar nem optar pelo extremismo!

Beijo

Anónimo disse...

Idealismo. Eu achava o mesmo que tu e este mês tive uma amiga quase a morrer porque o cão dela a atacou de tal forma que a mandou para o hospital.
Um cão que ela amava tanto como ao filho (e não estou a exagerar) - um cão que sempre foi bem-tratado, sempre foi ensinado, tudo de bom e do melhor e, no entanto, quase a matou.
Um cão que já tinha demonstrado agressividade, já tinha atacado gravemente o pai dela (na casa dela), um amigo dela... e mesmo assim ela sempre culpava os outros. Que alguém devia ter feito algo, apesar de ter um filho bebé e com estes indicios insistiu em manter o cão com ela, insistiu que nada de errado se passava.
Agora ela chora a morte do seu amigo que era um familiar para ela e, por muita muita sorte, o filho dela também não foi atacado porque , por acaso (coisa raríssima) a porta para os quartos estava fechada.
No entanto, ela não entende o que fez o cão agir assim e continua a afirmar que jamais faria algo ao filho dela.
Idealismos. A verdade é que os animais são animais e as pessoas tendem a vê-los como pessoas que são capazes de conceber todo um raciocinio que os mesmos não são capazes. A verdade é que são animais irracionais sim e que irão reagir e agir sempre em autodefesa e irão atacar sempre que acharem que o seu domínio está a ser atacado. Porque os cães têm sentido de matilha, não de família. Tem sentido de propriedade e lealdade mas essa lealdade pode ser questionada, pode se transformar rapidamente numa batalha caso o cão sinta alguma fraqueza no seu dono - porque uma matilha tem um alfa mas esse alfa pode sempre ser contestado.

Quanto à minha amiga, ela está "quase" bem fisicamente mas destroçada, de coração partido.

Só para finalizar, eu preferia ser ferrada umas 10 vezes por um chiuaua do que 1 só vez por um rotweiller - a diferença é que o primeiro a mim ou a uma criança deixa marcas, o segundo pode matar um adulto com o minimo esforço quanto mais uma criança. Se aumentassem a vigilância e apertassem verdadeiramente com as condições exigidas a quem tem animais ou os pretende ter metade das mortes não aconteceriam - quantos não têm rotweillers, pastores alemães, huskies e afins em apartamentos minusculos ou trancados constantemente? O problema é que qualquer imbecil pode ter um animal mas muitos são demasiado imbecis para os poder ter. Quanto a amar animais - quem mete um cão de grande porte num apartamento minusculo - p.ex - pode vir falar de direitos dos animais ou de os amar? São animais, não pessoas - às vezes se pensassem um bocadinho nas necessidades deles evitava-se muita coisa.

Utena Marques disse...

Anónimo (a),

Antes de mais obrigada pela visita e pelo comentário, espero sinceramente que a tua amiga melhore tanto física como psicologicamente, porque perder um amigo como estes é um dor que não se explica apenas se sente.
Concordo quando falas das condições que muitas vezes os cães de grande porte estão sujeitos e que levam a situações extremas de stress que os fazem perder a cabeça. Mas tal como os humanos são situações extremas que levam a atitudes extremas, independentemente se as causamos de animo leve ou não.
Um animal tem e deve ser respeitado no seu espaço, aliás vejo muitas vezes as pessoas a mexerem neles enquanto comem e isso é meio caminho para um desastre.
Por isso sim, assino e sublinho por baixo o teu comentário é preciso fiscalizar não as raças mas quem os tem e em que condições os mantém...

Obrigada