segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Pequenas Luzes...


Já todos nós ouvimos falar de conhecimentos na net, do que podem originar, do que por norma se vai a procura... e aqui enfatizo o por norma. Tenho de o fazer pois muitas vezes as almas que abundam na net apenas procuram pequenos momentos de carinho, de calor que não encontram no mundo real, mas que se torna tão fácil de alcançar no virtual.
È fácil "falar" atrás de um ecrã, protegido por uma tela de um computador!
É seguro comunicar assim como uma forma de protecção! A não troca de olhares, previne uma dádiva de alma.
Os dedos percorrem o teclado mas de uma forma muitas vezes cínica daquilo que queremos que os outros pensem e não daquilo que verdadeiramente pensamos.
Conheci algumas pessoas por esta via, alguns que nunca mais vi, fracas lembranças dos ecos profundos daquilo que supostamente a net nos traz, outras que não valem a pena lembrar... e depois os que aprendemos a amar pela escrita e depois pelo real!
Não são muitos, são especiais... únicos dentro da sua diferente maneira de ser.
Entre eles enfatizo um especial, amigo de peito, companheiro de alma, cúmplice de tantas conversas.
O meu grilo falante, a minha luz que me aconselha... me ajuda e tantas vezes me ampara nestas minhas fases malucas que me assaltam como um furação e deixam um rasto quando cá andam.
Conhecemo-nos da maneira que tanta gente se conhece, anónimos numa sala de um chat, na monotonia de um dia de trabalho... começamos a falar... de tudo e de nada, de assuntos que interessam e dos que são apenas banalidades que nos ajudam a passar o relógio quando nada queremos fazer.
Passamos do chat para o msn, do msn para o contacto de telefone lembro-me das primeiras vezes que trocamos palavras é daquelas pessoas que nos arranca sorrisos apenas com a voz pois sabemos que o sorriso esta lá do outro lado da linha...Foi o meu ombro "telefónico" quando numa das raras vezes que me deu para a histeria duvidei daquilo que sou, do que era... Acalmou-me chamou-me a razão, deu-me nas orelhas...
Passamos do virtual ao real, do abraço cibernautico ao sentido... falamos, rimos, deixamos que aquilo que sentimos atrás do monitor de um vulgo PC passa-se para a realidade.
E passou com carinho e intensidade... com respeito e acima de tudo com vontade de o guardar...manter e fazer perdurar.
E daquelas personagens raras que quando temos a sorte de encontrar na vida agradecemos por isso, que nos respeita pelo que somos e não por aquilo que ele gostaria que fossemos… E o inverso é igual faz com que o respeitemos pelo que é.
E depois tem a qualidade rara de quando penso nele o pense com um sorriso nos lábios seja ela mais maldoso ou doce mas existe e esta sempre lá!
Para ti o meu sorriso e o meu beijo azul... aquele que só nós sabemos!

2 comentários:

TILIDA disse...

Que lindo!

Utena disse...

Olá Tilida, bem vinda.
Obrigada pelo teu tempo a ler.
Volta sempre