segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Eu juro que tento...


Ontem teve mesmo de ser, por mais que quisesse adiar não dava mais, por isso com a alma pesada e a certeza que no fim a neura estaria presente e a dor de cabeça latejante, lá me enchi eu de coragem e parti para as compras de Natal.
As prendas de Natal para mim são meramente simbólicas, a época é que é importante ou deveria ser, não estivesse eu tão pouco virada para festejos.
De qualquer forma não me parecia bem chegar a noite de 24 sem ter nada debaixo da árvore, e como a despensa também já começava a apresentar teias de aranha, juntamos o útil ao agradável (isto do agradável sou eu a ser irónica) e zarpamos para o famoso Cascaishopping num domingo a tarde, domingo esse, o último antes do Natal!
Sim é verdade, confesso aqui, eu que nunca deixo nada para a última hora, deixei as prendas para o último instante humanamente possível.
Sai portanto de casa, eu e a minha companheira de luta e maluquices, em direcção ao que sabíamos ser uma tarde infernal…
Assim que chegamos foi a loucura, carros por todo lado, estacionados a maluca, sem respeito por peões, ou automobilistas, ou lugares marcados…mas como eu até me posso considerar uma gaja com um pouco de sorte, uma senhora ao sair do centro avisou-nos que ia tirar o carro e conseguimos arrumar.
Respiramos fundo 3 vezes, olhamos uma para a outra e partimos para desbravar esta selva perigosa e dura que é a selva humana em tempo de Natal.
Ora o centro estava como é natural nesta altura, cheio, lotado e pelas costuras… e podem pensar vocês as lojas estavam cheias! Não meus amigos engano, o centro estava as lojas não, agora expliquem-me por favor se forem capazes por raio, as alminhas vão para um centro comercial, num domingo, ultimo antes do Natal para passear no corredor??? Pois não sabem? Eu também não! Posso no entanto dizer que se por norma a maralha que costuma habitar este locais ao domingo são do pior que há, nesta altura superam o pior dos pesadelos de qualquer ser conhecido ou desconhecido. São estúpidas, mal-educadas, arrogantes, parvas, idiotas, burras… e o pior que tudo ignorantes… andam feito cordeiros de um rebanho com os seus modelitos berrantes, entre corredores, espreitando montras, desfazendo lojas, sem respeito por quem trabalha, por quem lá esta na sua infinita paciência para os aturar, ou não.!Porque também existe o contrario nos lojistas que se baseia basicamente no entra, serve-te paga e não me chateies.
Bem como este é um Natal diferente, com apenas um embrulho para cada membro por debaixo da árvore, e não! Não tem nada a ver com a crise, mas com o facto de não esperarmos na nossa família por datas para oferecer prendas, lá fomos as duas armadas do nosso melhor sorriso até as lojas já previamente decidias para as compras natalícias.
Agora dúvida impertinente e novo pedido de esclarecimento, alguém me explica porque será que numa altura de tão grande movimento e calor humano a lojas têm os aquecimentos ligados em temperaturas capazes de fazer derreter as calotes do Pólos? Eu sinceramente não sei, o que sei é que levamos com um bafo quente sempre que entramos numa, junto com odor corporal de milhentas pessoas sabe-se lá quem e depois quando saímos levamos em cheio com o frio dos corredores… e neste entra e sai não ficamos com uma tuberculose em cima por sorte… porque somos apertados, apalpados, empurrados… e sujeitos a milhentas bactérias e vírus alheios, sempre que por azar a loja escolhida esta cheia até as bordinhas de gente a passar o tempo.
Feitas as compras, terminados os embrulhos, os pagamentos e os votos de um Feliz Natal a quem nos agradece desejosa de se ir embora para casa tomar um banho de hora e meia, seguimos para o supermercado, tratar de refazer a despensa e abastecer o necessário para tornar a mesa festiva colorida e alegre… estava quase vazio… de pessoas o que é bom… e de mantimentos o que é péssimo pois obriga-nos a ser criativas e substituir os itens na lista por outros que não nos faça ter que lá voltar antes pelo menos da semana de Ano Novo.
Posso dizer que criatividade é algo que não nos falta… mas que se resume num acréscimo de mais pelo menos uma hora nas compras.
Arrumado o ultimo saco, lá tivemos nós de percorrer meio centro, pois o carro estava na con@ da tia, por entre mar de gente… entre desculpe dá-me licença e posteriormente olhe sai da frente ou quer que o tire eu!
Arrumamos as compras no carro e voltamos para um café… numa mesa! Porque também somos gente e confesso que nos encontrávamos já num estado de esgotamento tal que não éramos capazes de conduzir de volta a casa.
Posto isto voltamos com a certeza que ainda tínhamos uma hora entre o descarregar o carro e o arrumar as coisas na despensa, sim porque o idiota que disse que acartar para casa não custa devia levar um bom pontapé no cú, completamento esgotadas, sem vontade de proferir uma palavra que não fosse um qualquer disparate que tivéssemos visto sem ser comentado e que servia naquele momento para nos manter activas e despertas.
Chegamos a casa, meio vivas meio mortas com a certeza que o Natal esta a porta e desejosas que ele chegue, passe e se despeça com um até para o ano se não mais calmo pelo menos mais festivo e muito mais desejado.
Porque verdade seja dita quando as coisas são desejadas, são tão mais facilmente passadas….

10 comentários:

Nokas disse...

Eu adoro o Natal, o espírito de amor, a convivência com a família...mas as correrias nos shoppings, o stress, tudo isso era dispensável!

Utena disse...

Pois Nokas eu ando muito anti Natal ultimamente... as pessoas tornaram-se frias e interesseiras... perdemos o espirito da coisa.

M. disse...

Bem...Eu que já não tenho grande simpatia pelo folclore natalício...depois de te ler...


E depois ainda falta abrir as prendas, ver as caras de desdém, de desilusão, de "onde está o preço", de que prenda pirosa...

Olha eu só ofereço livros! Quem não gosta que mos devolva...

Bom Sábado...lol

Utena disse...

M. as minhas sinceras desculpas por ainda destruir mais a tua simpatia pelo folclore natalicio lol, mas a realidade é essa mesma pura e dura.
Por isso deixei de dar prendas porque sim e porque é data, dou quando quero... quando passo numa loja e vejo algo que associo a alguem...
Olha livros é uma prenda que me satisfaz... é um optimo companheiro e nunca desgosto seja ele qual for. Bom gosto mas de ti outra coisa não seria de esperar...
:)

Belladonna disse...

Eu também detesto centros comerciais, pricipalmente nesta época e mais principalmente aos domingos. Vocês foram umas rapariguitas corajosas;)
Obrigada pela visita ao meu cantinho e pelo simpático comentário. Gostei do que vi por aqui vou passando.
Bjokas

Utena disse...

Belladonna, venha a vontade e apareca sempre que quiser.
Sim teve de ser, era a ultima hipotese... a vezes que as coisas tem de ser feitas pelo impulso...
:)

(sub)TIL disse...

Como é que eu faço...As pessoas a darem-me prendas e eu fico a olhar para elas...Fácil falar...E os putos...Sou arrastada!Confesso...

Utena disse...

Mas o natal são as crianças, para elas dou com amor e alegria no rosto... Eu este ano fiquei pé e resisti ao arrasto para o ano...logo se ve.
Adoro mesmo essa foto
LOL

(sub)TIL disse...

Utena estou tão gira não estou?
Olha gostava tanto de ir às compras contigo,mas nos saldos...Apesar que dinheiro é coisa que a gente tem de sobra...né?
Beijinhos*

Utena disse...

Pois temos para dar e vender (mais vender)...
Temos de combinar isso!
;)
beijufas para ser diferente