sábado, 11 de dezembro de 2010

Vou ter de me bater a mim mesma.


Estive agora a dar uma revisão aos textos que ultimamente me tem saído e com excepção de um ou dois, os outros estão tão desmoralizados que até me apeteceu internar-me para uma cura de sono. Ou pior uma cura de choques a ver se deixo de estar parva.
Vá lá, mas que merda é que se passa comigo? Por muito menos se eu tivesse uma amiga a “falar” ou no estado em que eu estou já lhe tinha dado uma “pissada” daquelas e verdade seja dita, com toda a razão.
Confesso que ultimamente me olho ao espelho e não me reconheço, ando cinzenta, literalmente cinzenta, como se uma nuvem carregada estivesse por cima de mim, retirando-me a luz do rosto, colocando-me um peso nos ombros que não me deixa endireitar o pescoço e a cabeça.
Por isso hoje de manha quando acordei e dirigi-me até a cama do meu cão mais velho, quando lhe peguei, no seu corpinho preto e peludo, e ele olhou para mim com aqueles olhos dourados de venturina, e se espreguiçou no meu colo, confiante que eu sou a sua protectora que o meu colo é seguro… quando lhe sussurrei no ouvido “dormiste bem meu amor?” e ele me respondeu com uma pequena lambidela sonolenta… quando os outros dois acordaram porque me sentiram e se aconchegaram junto a mim, eu pensei que as pequenas coisas, são as que maior sentido tenhem, decidi… chega de lamentos, de cruzes as costas…
Vai ser difícil, porra se vai… difícil, duro, doloroso, cansativo… vai haver alturas que vou querer deitar a toalha ao chão… posso até continuar a exorcizar as coisas que me deixam mental, física e psicologicamente doente, com a alma ferida aqui nos meus textos mais duros… mas chega!
A sério chega de tristezas, de querer mudar o mundo, de o querer carregar as costas, não o posso, nem o consigo fazer e quem se f%de sou eu!
E neste caso acontece sem eu ter prazer nenhum o que é uma grande chatice.
Por isso a partir deste momento vou levantar a cabeça, pintar os lábios de vermelho, colocar rímel nas pestanas e me aguardem, vou viver cada dia, um de cada vez… e que venham as merdas todas, as chatices, os problemas, porque estou cá para eles… mas garantidamente não com a nuvem em cima, quero sol para ter luz e chuva que me limpe o ar, quero espaço para levantar a cabeça…. Quero deixar de não me reconhecer no espelho… e como eu sou tão mais eu e tudo o que quero consigo… nem que tenha de dar duas lambadas a mim mesma vou conseguir!
Os ventos mudaram amigos (essa é para ti M. obrigada por me estares a acompanhar desde do inicio) e desta vez vou soprar com eles!

8 comentários:

Anónimo disse...

MUDAR

Li com redobrada atenção as tuas magnificas palavras deste genuino pedaço de prosa que tão bem construiste.
Mudar, eu ainda não o consegui.....
Atenção, ninguem muda por decreto-lei(isso é conversa que os politicos utilizam nos passos perdidos).
Há que definir objectivos, por mais pequenos que sejam, isto é, o que é importante é sempre a direcção e nunca a velocidade.
" os ventos mudaram amigos... e desta vez vou soprar com eles", parece-me que a autora quer dizer que vai deixar de remar contra a maré!! Utena, não sabia que há muitos seculos atras queria mudar o mundo...essa francamente é demais..não acha que essa questão pertence à idade ou a fase de todas as ilusões. Bonito, sim, claro, claramente mas o mundo girou e não esperou por mim.
Penso ou tenho a certeza que neste processo de mudança os mais "fracos" ficaram, ficam e ficarão sempre pelo caminho, os aparente ou transitoriamente mais "fortes" raramente o conseguem, mas aqueles que se adaptam melhor às circunstancias da vida ( não estou a falar de capitulação nem tão pouco de vender a alma ao diabo) geralmente triunfam.E adaptar-se exige esforço e mudanças, e as mudanças ou rupturas são sempre algo terrivel, mas espero que no fim a Utena esteja do lado dos vencedores.Um passo à frente por vezes dois atras (como dizia o Vladimir), mas tentar, tentar sempre porque só assim podemos alcançar e apanhar o comboio da nossa vida.
Palavras, Coragem e Determinação seguramente não lhe faltam.Porra é obra uma mulher ter 4 cães.Eu tenho um que é coxo e cego de um olho e vejo-me à rasca.
Ala que se faz tarde, porque agora é tempo de
ir beber um copo com os amigos e quem sabe uma bela bebedeira.
Boa noite

Logos e Praxis

M. disse...

Bom vento te leve.

Carpe Diem!

Ana disse...

Ah, mana do meu coração, como te entendo!
Alturas há, em que deitar a toalha ao chão, não é sinal de derrota, mas de inteligência. E de sabedoria. E de perceber que não podemos lutar as batalhas dos outros. Porque, ao contrário, do que assumimos no inicio, não os ajudamos a vencer. Muitos há, que se habituam a isso, e depositam sobre os nossos ombros essa tarefa. Não estão a ser justos e tu, mesmo com boa vontade e amor, não estás a permitir que eles cresçam. Muitas vezes, a maior prova de amor que podemos dar aos outros é deixá-los cair, sabendo sempre que estaremos lá, para os ajudar a levantar.
Acredito que as maiores lições, saiem muitas vezes, dee estados absolutos de dor. Não devia ser necessário chegar a esse ponto, mas para a maioria das pessoas, é.
Babe, olha por ti, retempera as tuas forças, cuida de ti.E aprende a escolher as tuas batalhas...não te desgastes no que não é teu.
Um beijo enorme e um abraço de alma.

Utena disse...

Anónimo Logos e Praxis, vejo que voltou e fico feliz por isso. Não queria que tivesse ficado maus entendidos entre nós.
Agora um puxão de orelhas leu assim tão bem o meu texto e não viu que eu tenho 3 e não 4 cães? Ter cães para mim não é trabalho é prazer e alguem que tem um como diz que tem e lhe dá com toda a certeza amor e carinho tem de ser boa pessoa (nem que seja bem lá no fundo :P)
Quanto a eu deixar de remar contra a maré não sei se será assim pois não sou nem consigo ser Maria vai com as outras... mas vou tentar não me irritar tanto com as coisas nem lutar as batalhas que não são minhas.
Espero que a saida tenha sido boa e que não tenha acordado com a cabeça pesada e a lingua seca no dia seguinte.
Volte sempre
:)

Utena disse...

M. vou-me deixar surfar e guiar por ele...
:)

Utena disse...

Minha irmã de alma, sem duvida ando cansada e esgotada com tudo, muito disso por culpa minha confesso e admito, mas conhecendo-me como conheçes sabes que tenho dificuldade em deixar os outros irem contra a parede... estou a aprender a poupar-me e a controlar impulsos...
beijos e abraços
Amo-te

Anónimo disse...

Força utena muda faz como a minha avózinha dizia muda sempre nem que seja para pior adoro-te continua

Utena disse...

Vou tentar... nem que seja a força