segunda-feira, 7 de março de 2011

Dia dois de três

Dia mais calmo hoje, embora domingo o que por si só leva a rua todas as espécies raras que andam escondidas durante a semana e ainda por cima gordo… o que significa, que têm desculpa para as suas esquisitices e estupidez sob o pretexto de ser “Carnaval e ninguém levar a mal!” (sempre detestei essa frase) …
Mas mesmo assim mais calmo, não menos cansativo está certo, mas muito mais relaxado e muito menos stressado… dia de orientar os bastidores das lojas… de organizar armazém o que permite um atendimento mais rápido e eficiente, e saber com certeza o que há e o que está em cada loja… dia de ultrapassar contratempos. Lá tive eu de ir comprar uma nova impressora de etiquetas e instalar no pc, para puder terminar o que ficou pendente ontem… dia de conviver com as peças que fazem do sonho realidade de uma forma mais intima pois entre cumprir horários e desenvolver o necessário para o seu andamento muitas vezes cruzámo-nos no máximo 5 minutos por dia, ou no meu caso com a minha mãe há hora do jantar e nos minutos poucos que se seguem a ele.
Temos no entanto as coisas como gostamos no dia que antecede o preparar propriamente dito para a abertura… roupa separada por estilos… duas peças de cada expostas para o vitrinista ter a noção exacta do que há…loja organizada…orientada e limpa…
Vai ser um dia de cão amanha… mas no desfecho desta trilogia prometo o famoso resultado… das duas lojas…
Deixo num entanto um vídeo de um filme que hoje à noite, embora perfeitamente derreada da lombar não consegui deixar de ver até ao fim…
A cena que fica é uma das minhas favoritas… pela simplicidade da sua intensidade… pela música, pela garra!
Pela sua sensualidade selvagem… tem a capacidade de fazer os meu espírito e o meu corpo passar por diferentes estados em apenas menos de 6 minutos.
Raiva… arrepios… paixão… desejo… dor… ternura. No fim? Leva-me sempre as lágrimas… mexe verdadeiramente comigo…
Desfrutem!

2 comentários:

M. disse...

Também gostas de chorar a ver um filme...

:(

Utena disse...

M.
Depende do filme, da música do espirito... ja chorei a ver filmes que ninguem chorou e vice-versa...
Mas não gosto de chorar... trust me.

:)