quarta-feira, 13 de abril de 2011

Á primeira vista

Chamem-me fria, cínica… anti-romântica… mas não acredito em amor à primeira vista!
È algo que eu não compro quando alguém se chega ao pé de mim e sem me conhecer minimamente me diz “gosto cada dia mais de ti”… Gosta do quê? Do que não sabe? Do meu feitio que não conhece? Dos meus gostos que não sabe minimamente quais são?
Pior se alguém inocentemente (ou não!) se chega ao pé de mim com a típica frase “apaixonei-me por ti assim que te vi”, só vai fazer com que duas coisas aconteçam:
 - Ou me começo a rir á gargalhada ou lhe pergunto de cara se é assim que acha que me vai levar para a cama!
Acredito em atracção… a primeira vista… acredito porque já a senti! Daquelas que nos deixam ofegantes e em estado de tensão como se de uma tempestade primaveril se trata-se.
Acredito em reconhecimento… em algo que nos atrai ao ponto de pensarmos naquela pessoa várias vezes ao dia… que nos faz querer saber mais… conviver mais… partilhar mais!
Isso sim leva ao chamado amor!
Amor como deve de ser, daqueles sentimentos que vemos num casal que está junto há mais de 60 anos e que ainda assim se olham carinhosamente… amor cúmplice que faz com que um termine a frase antes do outro… com que um parta quando o outro parte porque deixou de saber viver sem ele.
O maior problema dos casais para mim hoje em dia é que confunde desejo carnal… com amor!
Cama com casa!
Por isso não há num casamento cedência… dar e receber… alargar ideias… o que leva a separações porque o outro deixa a tampa da sanita aberta… ou ela as cuecas a secar no chuveiro!
Não se respeita a identidade do outro… se queres estar comigo tens de te moldar a mim… e não! Devemos moldar-nos um ao outro.
Amor para mim é algo que nasce… como um Bonsai por exemplo… que deve ser tratado desde de que colocamos a semente na terra… regado com conta peso e medida… aparado todos os dias… mimado… cuidado… dia a dia…hora a hora… ano a ano!
O amor está sobrevalorizado ou o contrário, sim mais o contrário.
Façam a seguinte pergunta? Já tiveram apaixonados alguma vez? Já amaram?
A resposta 99% vai ser SIM!
Agora respondam a esta o que é estar apaixonado? O que é amar?
Conseguem responder sem usar respostas retóricas e publicitárias?
Muito provavelmente alguém me vai dizer um dia isso arrebenta-te na cara! Vais ser arrebatada do chão sem saber o que te atingiu… eu digo estou a espera que isso me aconteça… sei que não vai acontecer.
Amor é tranquilo… floresce com a convivência… aumenta com o tempo… reforça com os sacrifícios mais que isso? Renasce sempre que olhamos para nós e agradamo-nos… Nos sentimos bonitas para nós e para quem amamos!
O que eu vejo? Casais que se tornam rotineiros… que deixaram morrer o “bonsai”
Não! Não acredito em amor a primeira vista! Acredito em oportunismo porque temos cada dia mais medo de ficar sozinhos… de nos sentirmos outsider.
Deixamos passar a pessoa que iríamos amar… porque é gorda… porque é feia… porque temos medo de falar com ela… porque…porque…porque.
Porque somos inseguros, porque temos a cabeça cheia de porcaria sobre o que é o ideal. Sobre ideias disparatadas de comédias românticas.
Pior quando deixamos passar alguém porque não tens as qualidades físicas que desejamos mais se prova a minha teoria que se confunde o que é físico com o que é espiritual.
Acredito em amar alguém que nunca vi porque me apaixono pelo que escreve… pela alma… pela cabeça. Em suma pelo carácter. Se for careca, gordo, míope… interessa? Se sabemos que vai estar lá até ao fim… que vai segurar a nossa mão quando estivermos tristes ou simplesmente ler para nós até adormecermos?
Coloquem a minha frente o Brad Pitt ou o Zé da esquina e se o Zé da esquina for o homem que me deixe a sorrir numa noite triste ou a debater ideias até as 3 da manha eu mando o Brad de volta para a Angelina com uma maça no bolso para não passar fome na viagem.
Aprender a chamar os bois pelos c@rnos não só evita sofrimento… evita perca de tempo…
Porque para mim amar é:
"Amar não é aceitar tudo. Aliás: onde tudo é aceito, desconfio que há falta de amor."
Vladimir Maiakovski

16 comentários:

M. disse...

Tanta pergunta...Pareces o Censos!!!

Não sou tão radical:) A primeira vista conta. Não tenho dúvidas. Mas também não tenho dúvidas que o "conhecer" é de facto o essencial...

:)

Utena disse...

M.
Que é isso? Ofensas a esta hora? :)
A primeira vista atrai... o conhecimento ama

=)

foxos disse...

Pois obriga lá o Brad a falar que parece-me ser uma pessoa com uma cultura vastíssima, que eu arranjo forma de manter um aceso debate de ideias com a Angelina :p

Isabell Culen disse...

Faço parte dos 99%. Mas acho que a questão mais pertinente reside se já alguma vez fomos amados? A resposta provavelmente será sim, pois nessa percentagem está a outra pessoa.
Neste momento não há tempo para amar ou ser amado, andamos metidos na nossa redoma que é a vida profissional, a tentar arranjar meio de quilibrar com a vida emocional. Mas como já afirmei em coments anteriores, já sofremos, portt já não somos capazes de amar sem sobreanalisar tudo, para que não haja sofrimento.
O amar é sentir aquele tremor, calor interior quando sentimos a pessoa, apesar de ela estar longe de nós fisicamente.

Beijinho

Pedro Pestana disse...

Paula, mais um post inspirado, e mt bom. Olha concordo plenamente contigo que amor à primeira vista é utópico, não existe . Atracção à primeira vista isso sim, é o que pode acontecer e que podemos segui-la e vive-la até onde nos levar. Essa sim leva ao conhecimento, ao relacionamento, a pensar em alguém, ao partilhar. A parte mais difícil é o depois, de o semear, cuidar dele e mantê-lo, pois as sementes podem não ter sido as mais apropriadas e bem escolhidas, beijinho

Mega disse...

O conhecer e o ir conhecendo é essencial para se poder amar.
Existe a atracção à primeira vista sim, existe a atracção potenciada pelas palavras escritas mesmo sem se conhecer pessoalmente e existe a ilusão do amar com base nas duas premissas acima enunciadas.
Já mo disseram que me amavam tendo acontecido o conhecimento apenas como descrevi.
Mas o amor propriamente dito só pode acontecer depois do conhecimento antes disso pode haver curiosidade, desejo ou algo de semelhante mas amor? Sinceramente não gastem a palavra.
Em toda a minha vida usei a palavra amo-te com 3 pessoas apenas e vendo bem numa das vezes estava a enganar-me a mim próprio.
É uma palavra que implica muita coisa e não pode ser usada levianamente e tenho imenso cuidado com o seu uso nem nunca a usei no meu tempo de predador para "enganar" fosse quem fosse.
Espero ainda voltar a usar a palavra mas de certeza que a não usarei em vão.
Parabens pelo texto
Beijos

Utena disse...

Sr. Foxos,

Acho que me fico também pela conversa com a Angeline... mas pronto posso distrair o Brad por algum tempo =)
Beijinhos

Utena disse...

Isabell,
Amor não será não julgar... não analisar e deixar a vida rolar?
Sofrer todos sofremos mas não é esse sofrimento parte do crescimento?

Beijinho

Utena disse...

Olá Pedro,

Bem vindo a este espaço.
Sabes muitas vezes as sementes são boas o problema é o tratar do terreno... o adubar!
=)

Utena disse...

Mega,

Penso que se banalizou o amor, e as pessoas andam tão sedentas desse sentimento que confundem as coisas de uma forma assustadora.
Beijinhos

Sonhadora disse...

Só o conhecimento prova o verdadeiro amor... Não existe isso do para sempre à primeira vista!!!

Cacarol disse...

Sabes quem eu sou?

Utena disse...

Sonhadora,
A verdade é que as pessoas nem a si mesmas se conhecem

Utena disse...

Cacarol...
Quem és tu?

M. disse...

Só se pode insultar quem deixa!

Não é teu caso:)

Utena disse...

Verdade que sim M... mas a comparação com o censos foi dura lol
O que eu me ri a pala dela
=)