sábado, 2 de abril de 2011

Invidare

De todos os sentimentos mais depreciativos o que mais me custa a aceitar é a Inveja.
Nunca a entendi… nunca consegui ver motivos para que ela existisse.
A inveja não é uma característica intrínseca do ser humano… é antes uma reacção à sociedade que vivemos… consigo associar muito mais depressa egoísmo a este sentimento que ciúme.
Nunca fui invejosa… nunca desejei tomar nada que fosse de outrem e por isso custa-me imenso aceitar este desvio do comportamento em certas pessoas.
Aliás custa-me tanto conviver com uma pessoa invejosa como com alguém que tem a mania que é alvo de inveja e ninguém dá que ela existe.
São as duas situações desgastantes… levam a um limite que não tenho nem nunca tive paciência de aturar.
Não sou contra tentar melhorar de vida, ou querer algo, conseguir e conquistar o que desejamos… sou contra os métodos de o conseguir quando temos por trás mão dessa senhora de verde que tem a capacidade de toldar a mente e moldar a consciência para que as coisas sejam suficientemente alteradas para que todos os actos praticados sejam justificados.
Quando estava a pensar neste tema, antes de o escrever estive a dar uma vista de olhos as características por trás da inveja e o que li e que me captou mais a atenção foi o seguinte:
“Inveja é um sentimento de aversão ao que o outro tem e a própria pessoa não tem. Este sentimento gera o desejo de ter exactamente o que a outra pessoa tem (pode ser tanto coisas materiais como qualidades inerentes ao ser) e de tirar essa mesma coisa da pessoa, fazendo com que ela fique sem. É um sentimento gerado pelo egocentrismo e pela soberba de querer ser maior e melhor que todos, não podendo suportar que outrem seja melhor.
A origem latina da palavra inveja é "invidere" que significa "não ver".” Por Wikipédia.
Uma das coisas que também me chamou a atenção e que não sabia é que esta palavra é a ultima que consta nos Lusíadas de Camões.
O que levou Camões a usa-la como o ultimo toque da sua brilhante obra, não sei… nem tenho sequer pretensão a saber, o que sei é que quando alguém é alvo de inveja tudo a sua volta fica intoxicado e doente como se tivesse contraído uma praga.
Energia é algo que se sente… que sai de nós umas vezes inconscientemente outras de forma propositada… e um sentimento tão forte… tão negro e tão baixo como é a Inveja não pode deixar muita felicidade à sua volta.
Quando desejamos algo que o outro tem e queremos que seja nosso de qualquer maneira e da forma mais fácil e mais vil que é roubando ao seu original proprietário sem nos preocuparmos com quem “atropelamos” pelo caminho, quando passa isto pela cabeça não posso deixar de me interrogar até que ponto quem assim pensa é são mentalmente.
Para mim um invejoso… um ser que se deixa seduzir por esta envolvência verde é alguém cobarde… preguiçoso… inteligente verdade, perspicaz também mas mesmo assim alguém medíocre e baixo, pois para invejar algo ao ponto de o roubar… de o arrancar à força de alguém só pode ser um ser que não tem capacidade nem física, nem mental e muito menos energética de conseguir superar obstáculos que o outro teve de superar para atingir o patamar que atingiu.
Sou alvo de inveja… mentiria se não o dissesse… é tão fácil de o sentir que as vezes tem a capacidade de me deixar tonta e de me roubar o ar à força dos golpes baixos a que sou sujeita… já me tentaram roubar o que tenho… o que conquistei a base de perseverança coragem e força mental e física… tive sorte, em todas essas vezes fui mais forte que eles… não me iludo não sei até que ponto terei força e discernimento para o evitar.
Confesso que não perco o sono a pensar nisso.
Não posso dar-me a esse luxo… nem a eles essa pequena vitória.
Mantenho-me firme, protejo-me como posso recolho-me em quem e no que me dá estabilidade para isso.
Entristece-me ver as pessoas que têm essa capacidade…
No fim a única coisa que posso pedir todas as noites, quando me entrego ao descanso da meditação é coragem e ajuda para não sucumbir nessa rede… ninguém está imune! E pedir com força, com fé… com alma… que esse sentimento se extinga gradualmente.
Não se deixem andar a marcar passo… lutem pelo que querem, mas de cara limpa e de peito aberto… no fim a conquista saberá muito melhor!
E a partilha mais feliz… mais especial e assim evitaríamos fazer como diz Séneca:
 “ Evitamos a inveja se guardarmos as alegrias para nós próprios.”
Namasté!


14 comentários:

Coisas de Feltro disse...

E Séneca tinha razão!
Infelizmente a inveja anda pela mão dos incapazes, dos que disfarçam o sentimento de inferioridade com a soberba. Porque sempre achei que inveja era falta de amor próprio.

Anónimo disse...

Utena

Só não percebo uma coisa:a inveja é verde ou preta e baixa...Eu vejo uma figura que me parece ser de mulher, alías alta, ou estarei enganado, talvez seja um travesti do Sporting?
E porquê mulher? serpente.. pecado....

Pois é,
a inveja é qualquer coisa de incontornável.


Logos e Praxis

Nokas disse...

E infelizmente há tanta gente invejosa...

Utena disse...

Coisas de Feltro,
A inveja para mim é também a incapacidade de criar... de lutar pelo que queremos...
Esgota-me essa gente... ainda bem que existe também o inverso

Utena disse...

Carissimo Logos et Praxis,
Pensei que me tinha abandonado e confesso que já sentia a sua falta.
Primeiro não me crie complicações futebolisticas... a inveja tem associada a cor verde não me pergunte porque.
Segundo o negro que refiro é a baixeza mental e energetica que assume quem a tem.
Quanto a ser uma mulher ou não, sinceramente não liguei a isso... encontrei a imagem e gostei dela somente...
Quanto ao facto de ser incontronavel não sei se será... para mim não existem barreias que a mente não consiga ultrapassar...
Volte sempre, faz falta esses seus comentários

Utena disse...

Nokas,
Que usam o seu tempo e força tão mal...
O mundo nunca será perfeito... por isso é tão belo e complexo.

Cacarol disse...

De que clube achas que deve ser a Cacarol?

Utena disse...

Olá Cacarol,
Não é um conselho que costume dar... mas vou ver o teu texto e logo te digo.
Beijinhos

Rafeiro Perfumado disse...

Eu considero que existem dois tipos de inveja: aquela que corrói e aquela que incita a pessoa a lutar por aquilo que deseja. Mas claro, a que mais se vê por aí é a primeira, e de uma forma tão flagrante que só falta tatuarem o monstro verde na testa. Beijoca!

Utena disse...

Rafeiro,
Concordo contigo... mas sabes que cada vez me convenço mais que as pessoas querem dado e arregaçado.
Enfim o prazer de lutar para conseguir não é para todos.
Beijoca

Cacarol disse...

Já somos 28...Obrigada!

Utena disse...

Ora essa cacarol

ROSINHA (tilida5ever design) disse...

Eu sou vítima da inveja e,confesso,sucumbo a ela!
Não tenho força mental nem física para resistir a tantas ofensivas,vindas de todos os lados e que insistem em não me deixar em paz um só segundo...É cruel a forma como tentam minar-me e destruir o que tenho,atentando contra o meu ser e,indirectamente,contra os que de mim gostam!Mas há alguém que me protege,já que eu não o sei fazer...E a vida corre-me bem,apesar disso!
Beijinhos*
Olha eu não sou invejosa...

Utena disse...

Rosinha,
A inveja destroi quem a sente e mina quem a sofre...
Ainda bem que tens quem olhe por ti.
Beijinho