segunda-feira, 4 de abril de 2011

Um medo tão comum

Vou contar-vos um segredo, sou uma apaixonada por Runas, esse oráculo tão pouco compreendido e apreciado.
Adoro a sua história, a textura das suas pedras, a complexidade da sua leitura, o contexto por detrás de cada símbolo… As diferentes interpretações.
Sou uma curiosa por natureza, amo de paixão desafios. O primeiro contacto que tive com elas foi por acaso numa das minhas deambulações pela biblioteca na escola.
Achei interessante o facto de ter lido o livro e não ter conseguido saciar a minha curiosidade, aprofundei o mais que pude… entre livros, internet, pesquisa… e como uma coisa leva a outra criei o meu próprio oráculo que consulto de quando a vez.
 Ao contrário do que se possa pensar um oráculo não dá solução nem resolve problemas, indica caminhos, abre horizontes… destapa o véu de algo que até ao momento poderá parecer difuso ou complexo.
De todas as pedras aquela que me encanta mais é a única pedra branca de todo o complexo alfabeto Viking.
Esta runa rege o alfabeto rúnico, de seu nome Wryd é o conjunto de 3 deusas do destino, a Urd (destino a anciã), Verdani (ser a donzela) e Skuld (necessidade a mãe). Ou seja representa o passado, o presente e o futuro todos interligados entre si.
É a runa do karma, do destino… do que não pode ser alterado… que não pode ser controlado… testa a fé… desencadeia a força muitas vezes ignorada.
A runa mais poderosa do panteón das divindades vikings… a runa do fim do um ciclo do inicio de uma mudança… de uma evolução.
Mudança… o maior medo de maior parte do ser humano… a assustadora porta aberta que não nos diz como reagir ao que se encontra do outro lado…
Confesso que também tenho receio da mudança, de sair da zona de conforto… de me lançar as feras sem saber ao que vou nem ao que venho…
Mas abraço a mudança de queixo erguido e sorriso nos lábios… posso até esconder as lágrimas fingir algo que não é o que sinto a 100%, barafustar com quem não merece. Mas aceito-a! Assumo-a! Enfrento-a.
Ontem saiu-me a pedra mais poderosa do oráculo sem eu sequer o abrir… veio suavemente ter comigo e sussurrou-me aos ouvidos algo que me esforçava para ignorar!
“Chega Guerreira. Fecha o círculo. Avança em frente! Absorveste o que havia a aprender… fizeste o que tinhas para fazer… lutas-te, esforçaste-te… lambe as feridas, respira fundo e avança para uma nova roda… uma nova etapa”
As vezes é preciso apenas um segundo para vermos e aceitarmos o que esta em frente aos nossos olhos já a tanto tempo…
Podemos negar, tentar não ver… até ignorar! Mas na altura certa quando Wryd entra em acção, quando o tempo certo, o dia certo chega, não se faz mais nada. Aceita-se… suspira-se e avançasse.
Verdade que a morte estava anunciada, verdade que sabemos ser o melhor para nós. Verdade que para se conseguir ir em frente e entrar na nova etapa temos de encerrar a antiga… fechar a roda!
Tão mais verdade ainda que fere… que dói! Que arde no fundo do peito que dilacera a alma que nos rouba por instantes o ar… que nos sentimos menos de nada… que deixa de fazer sentido tudo…
Mas mais realidade ainda que como em tudo mudar seja ele para melhor ou para pior é necessário, que temos de dar tempo ao tempo. Fazer o luto, recalcular terreno, contabilizar perdas, absorver ganhos… rir muito e viver!
No fim o destino é algo a que não fugimos… é na forma de o concretizar que podemos fazer diferença.
Namasté!


14 comentários:

M. disse...

Eis um assunto em que não pesco nado!!!!

lol


Dito por ti parece ter o seu interesse...Mas só assim:)

Utena disse...

M.
Nada como ver nas ideias dos outros novidades que até podem parecer disparatadas.
Habituas-me mal tu...
(",)

ROSINHA (tilida5ever design) disse...

Tinha uma vaga ideia do que eram runas (eu sou toda virada para a espiritualidade,ao contrário dessa louca que comentou em cima),mas confesso também a minha ignorância quase total sobre o assunto!Ficou a pulga na orelha...
Beijinhos*

Utena disse...

Rosinha,

Pulga atrás da orelha... ui e a comichão?
:)
As runas são intensas... tem muitas formas de serem lidas e entendidas.
Pesquisa do que conheço de ti sei que vais achar interessante.
Beijinhos

ROSINHA (tilida5ever design) disse...

Já andei na net a investigar...Fascinante!

Anónimo disse...

“Voa Maria voa”

Vento que sopra nas asas
Colocou a Maria a voar
Vendaval não pode parar
Em Bruges há-de aterrar

Estava muito produzida
Segura com Júlia a falar
E tudo ela soube explicar
Nosso apoio é pr’a ficar

Vejam o vídeo na rede
Se não querem acreditar
Neste exemplo sem par

Voa nas asas do vento voa
E não se cansem de ajudar
Sonho assim não pode parar.


http://takeustobruges.blogs.sapo.pt/

http://sic.sapo.pt/proj_queridajulia/Scripts/videoPlayer.aspx?videoId={B0C9642E-CECC-4E34-9EBA-3647D34DABA4}

Utena disse...

Rosinha,
Tinhamos tema de conversa para muitas horas...

;)
Beijinho

Utena disse...

Anonimo/a
Obrigada pela visita menos não sabendo quem é a Maria.
Gostei do poema.

Pulha Garcia disse...

Honestamente não ligo nada a isso. Mas gostei de ler isto "Fazer o luto, recalcular terreno, contabilizar perdas, absorver ganhos… rir muito e viver!". Bastard kiss.

Utena disse...

Olá Pulha,
Por pouco não te apanhava :)
O bom do conhecimento? Ele existe em diferentes modalidades para todos.
Beijo...

Patife disse...

Mais uma coisa que o Patife tem de "aprofundar". ;)

foxos disse...

Confesso que consulto outro tipo de "oráculos" e de processos simples. Respeito quem goste de fazer balanços, mas como nunca fui grande apreciador (nem conhecedor) de contabilidade, não os faço nem olho mto para trás, o que está feito feito está e traz sempre, mas sempre coisas boas. Contabilizar estragos não tem ganhos, bem pelo contrário é pura perda de tempo, que só nos martiriza e faz adiar o nosso processo evolutivo e de crescimento pessoal...

Utena disse...

Muita gosta o Sr Patife de aprofundar as coisas...
:)

Utena disse...

Foxos,
Eu sou consultora, gosto de graficos, tabelas... de ver os erros refazer os passos... arrumar os "papeis" por ordem.
Mas entendo o que dizes...e aceito.
Beijinhos