quarta-feira, 6 de julho de 2011

O que simbolicamente quererás dizer?

Das várias paixões que nutro nesta minha louca vida uma delas é sem dúvida a simbologia… tenho aliás uma curiosidade mórbida e uma sempre crescente vontade de saber mais e mais sobre símbolos… sobre os seus significados visíveis e ocultos.
Gosto de saber ao pormenor tudo sobre eles… e muitas vezes símbolos que associamos a algo errado ou maléfico na verdade nunca o foi sendo levado para esse campo por mentes pérfidas que os usaram indevidamente.
Um exemplo claro disso é a Cruz Suástica usada por Hitler… símbolo de terror puro do maior “mago negro” que existiu na história causador de inúmeras mortes, destruidor de pátrias de ideais… mas que na realidade na sua verdadeira simbologia nada tem a ver com isso.
A cruz suástica é tão antiga que remota ao Período Neolítico onde foram descobertos desenhos rupestres dela, Suástica alias deriva do Sânscrito cujo significado é felicidade e boa sorte. Ao ser usada pelos Nazis na época negra da Alemanha delegou para um plano sombrio o seu verdadeiro significado.
Quem diz isso diz o tridente de Neptuno Deus dos Mares e cujo simbolismo foi adulterado ao ser associado pelos Cristãos ao Diabo.
Como sempre disse e sempre acreditei nisso na história como na natureza nada se cria tudo se transforma e os símbolos vão sendo usados e recriados de acordo com as ideias que se pensa na época que se os reutiliza.
Outra das coisas que acho delicioso nos símbolos é que ainda hoje usamos alguns nas nossas acções de dia-a-dia e nem nos apercebemos disso.
Não acreditam? Reparem então num bastante simples e que usamos recorrentemente, principalmente os homens sem saber o seu verdadeiro significado.
Etimologicamente cravat (o nome lesse como se escreve e dai já são capazes de associar alguma similaridade) é derivado de um grupo de mercenários “croatas” que colocavam lenços de pescoço atados com um nó antes de partirem para uma batalha. Hoje em pleno Séc. XXI, isso ainda é feito pelos distintos “guerreiros de escritório” que usam as suas gravatas para intimidar os seus adversários nas batalhas que travam nas suas reuniões.
Para mim é uma paixão deliciosa e viciante que consegue ser continuamente alimentada… pois depois dos diferentes significados de cada símbolo, de cada movimento… podemos “casar” entre si símbolos e linguagem corporais que nos permite ver e ler mais do que com a visão e ouvir mais que com a audição.
Ora amante como sou destas pequenas coisas tenho sempre um cuidado meticuloso na forma como me apresento, já que a gravata não é um acessório por norma usado pela mulher (embora já o tenha usado), como utilizo o tom da voz e mesmo como me posiciono na cadeira ou como encaro o meu interlocutor.
Já vezes houve na minha vida onde a entrevista de trabalho foi conduzida por mim e não pelo responsável dos recursos humanos, levando a que as perguntas derivassem para o que eu queria dizer e não para o que ele queria perguntar.
E isso pode ser usado diariamente não só a nível profissional mas também a nível pessoal.
E a nível profissional ser usado em todas as profissões que existem criando muitas vezes uma facilidade de entendimento que torna a convivência muito mais simples e agradável.
Confesso que é algo que me dá um prazer imenso… a preparação antes da reunião, o estudar a empresa… o primeiro impacto na apresentação…
Tudo conta.
Desde da forma como sorri a força com que aperta a mão… a posição que assume na cadeira.
Aliás para mim quem assume um papel preponderante na imagem de uma empresa que envolva contacto com candidatos a algo deveria ter uma formação nisso.
Recursos Humanos (que se assim fossem evitavam empregar tanta gente que não é apta para o serviço e deixar de fora quem é), Marketing que assume e fala de coisas sem nexo porque não houve preparação antes.
Por isso ontem e porque ando a derivar outros caminhos e bifurcações na estrada que levará ao sucesso do meu idealizado sonho, voltei a vestir a capa de guerreira que assume a reunião como realmente é. Um campo de batalha.
E soube lindamente…A escolha da “armadura” que se aplicaria ao motivo da reunião… a preparação da maquilhagem correcta que passaria a mensagem que eu queria á pessoa com quem iria ter o encontro.
O nervoso miudinho que antecede sempre e que me deixa mais atenta… mais perspicaz!
A pesquisa para saber quem era a pessoa com quem me iria reunir para não ser eu apanhada de surpresa com a sua imagem.
O chegar antes de hora para estudar o ambiente.
O primeiro contacto… o desenrolar que me permite ajustar certos pontos…
O levar a água ao moinho… mas sempre de forma subtil… para que na realidade o interlocutor pense que quem a direccionou foi ele.
E o descomprimir depois… que se resumiu em 3 horas no ginásio que se acabaram por tornar ouro sobre azul… findadas com um fim de tarde na esplanada acompanhada por uma taça de gelatina.
Soube bem voltar ao vicio do calor da batalha… novas se avizinham…
Sobre esta posso dizer que ganhei a primeira…
Agora é só esperar resultados.

12 comentários:

Anónimo disse...

É verdade, poucos se apercebem dos símbolos que nos rodeiam no dia-a-dia e a sua origem... sou como tu, muito curiosa acerca desses pequenos pormenores, empregando muitas vezes o meu tempo em algumas pesquisas :-)
Em relação às novidades que falas, o que posso dizer é, o que quer que seja ficarei a torcer por ti, para que tudo corra como desejas!!! Com a tua força, tenho a certeza que é isso que vai acontecer :-)
besitos,
OlgaM

Utena disse...

Olga,

Assim que for tendo novidades vou deixando sair cá para fora...

=)
Obrigada pela sempre presente força
Beijinhos

Anónimo disse...

Me runs, me runs to hell!!

Mulher, rapariga, tu és uma ameaça andante a qualquer homem que pense no ego, fazes isso profissionalmente, mas decerto que o farás mais de forma pessoal, sabes, certas vezes na vida, as pessoas devem de viver com a maré e não caminhar contra a maré, porque eu sei que nadas bem, mas se lutares contra a corrente, vais-te cansar, vais tentar e desistir, certas vezes na vida devemos ir com a mare, e ver onde ela nos leva..

Um grande beijo de alguém que tu sabes quem é..

Utena disse...

Anónimo/a,

Antes de mais sinceramente obrigada pelo beijo mas eu não estou a ver sinceramente quem sejas... mais um dica ajudava ou então dizeres-me logo de uma vez =)
Quanto ao deixar-me ir ou não com a maré depende sempre para onde ela me leva e até onde estou disposta a ir!

Não sou muito de me cansar... e quem corre ou neste caso nada por gosto não cansa!

M. disse...

Para lá dos símbolos....Está quase tudo:)

Utena disse...

M.

Quando se quer de facto ver.
Sim esta tudo

=)

Carlos Alberto disse...

é uma paixão saudável então?

Utena disse...

Olá Carlos,

Bem vindo antes de mais.
Sim é.
Aliás todas as paixões quando em conta peso e medida são saudáveis!

ROSINHA (tilida5ever design) disse...

Utena tu és cheia de recantos...

Utena disse...

Rosinha,

E de cantinhos escondidos também =)

Nokas disse...

Que tudo corra bem :)

Utena disse...

Nokas,

Também eu espero =)