quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Empathy

As empatias são coisas engraçadas e não se explicam, não existe ainda explicação para o porque de sentir simpatia por certas pessoas e indiferença por outras.
Hoje enquanto me preparava para o Combat dei por mim a pensar nisso, no porque de um sorriso fluir fácil aos lábios com uma pessoa e com outras nem sequer a mais simples amostra dele.
E hoje tive a prova mais uma vez disso com o prof que veio dar a aula, dos primeiros com quem me cruzei e com quem criei, lá está a chamada empatia, verdade seja dita que eu vou para treinar e já faço as aulas á tantos anos que se torna quase automático, o meu cérebro quase que desliga e o corpo assume controlo e deixo-me levar pela música, pelos movimentos independentemente de quem esteja em cima do palco. Mas também é verdade que quando lá está alguém com quem criamos cumplicidade e que nos pede mais esforço aqui ou mais intensidade ali, damos inconscientemente e neste caso especifico o treino torna-se único a cabeça desanuvia e o corpo chega a gritar pelo desgaste. Mesmo como eu gosto. No caso contrário e mesmo fazendo o meu treino… saio com a sensação do sabor a pouco.
Quando existe esse sentimento torna-se as coisas mais simples, o sorriso flui de um lado, é retribuído do outro lado… e a energia por si só que se cria é harmoniosa.
Mesmo quando não se fala… quando não se tem contacto mais profundo e isso acontece a sintonia de um olhar conta mais que uma hora numa esplanada na mais pura cavaqueira.
E o engraçado é que para isso acontecer não precisa de ser cara a cara, muitas vezes acontece até na troca de duas palavras entre desconhecidos… lendo um texto de um bloguer preferido que nos faz mesmo cansados ter vontade de nos ligarmos para passar os olhos pelo que escreveu nesse dia e que nos deixa lá está com uma energia boa e uma sensação de bem-estar.
As vezes penso no que originará isso… e podem parar que eu tenho muito que fazer tenho é a mania de pensar em coisas difíceis… e tenho uma teoria.
Pode ser completamente errada… idealista ou utópica mas é a minha ideia.
Reconhecimento.
Simples e complicado ao mesmo tempo certo?
Reconhecimento de alma… energético… de ideias… de formas de estar na vida. Muitas vezes reconhecimento de carácter, daquele que se sente num olhar mais expressivo, daquele que não se precisa de muito tempo para conhecer mas apenas de segundos para reconhecer. E a verdade é que só não se aproveita mais vezes esse estado porque o ser humano é desconhecido por natureza…
Porque fulano se ri para mim se nem me fala, porque será que o tipo fica parado apenas para me olhar mais profundamente… o que será que ele quer com isso. Vem água no bico enquanto muitas vezes apenas o que acontece é que na troca de olhares se detecta o nosso próprio reflexo na alma que está do outro lado.
Eu quando tenho a sorte que isso me aconteça deixo fluir, aproveito o reencontro… nem que seja entre desconhecidos num metro que nunca mais se vêm ou numa caixa MB onde a pessoa que está a frente graceja comigo com um sorriso sincero e uma palavra carinhosa, porque não responder de volta da mesma forma… o meu dia vai ficar melhor… o dia de quem está do outro lado também.
Dar um pouco de nós no sentido de que vamos receber algo bem melhor que um bem material, mas um alimento para o espírito.
Vivemos a vida tão embrenhados nos nossos problemas, na nossa pequena rotina que nos esquecemos que muitas vezes quando erguemos a cabeça por dois segundos do outro lado pode estar alguém que nos vai brindar com um dos bens mais preciosos que existe a amizade e a simpatia incondicional… que é aquela “só porque sim”.
Aquela que nos deixa com aquele sorriso idiota que dura bem mais tempo do que aquele que se espera.
E vocês costumam aproveitar as empatias que floram na vossa vida?
Namasté

14 comentários:

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Utenamiga

Eu tinha jurado mim mesmo que não voltaria aqui enquanto tu voltasses a visitar-me. Mas, essa danada da empatia...

Dizes que vivemos a vida tão embrenhados nos nossos problemas, na nossa pequena rotina que nos esquecemos que muitas vezes quando erguemos a cabeça por dois segundos do outro lado pode estar alguém que nos vai brindar com um dos bens mais preciosos que existe a amizade e a simpatia incondicional… que é aquela “só porque sim”.
Aquela que nos deixa com aquele sorriso idiota que dura bem mais tempo do que aquele que se espera
.

Por isso, eu continuo a esperar por ti. A não ser que estejas zangada comigo... Mas tenho a certeza que não te insultei, muito menos te ofendi.

Qjs

FireHead disse...

Continuo à espera que essa tal empatia surja ou como fazer com que ela surja, uma vez que o alvo já está definido. De facto na vida há mesmo coisas fantásticas e tão ironicamente destinadas. :|

Martini Bianco disse...

Existem empatias assim, mas são cada vez menos detectáveis pois a vida atual não é muito compatível com esses insights.

Felizmente que existem pessoas que têm essa capacidade de reconhecer de imediato quem são esses/as e julgo que esse poder acaba por ser recíproco e quem o sente à distância também é assim :) Pelo menos é o que eu penso.

Beijos

Moi disse...

Ora aqui está o texto que responde perfeitamente porque venho sempre aqui, mesmo que na sua maioria nem escreva nada. Mesmo dentro desta virtualidade, a energia pessoal de cada um de nós está empregnada nas parades do layout, e também aqui se sente empatia, e isso acontece com este teu espaço.


Beijos :)

TERESA SANTOS disse...

Utena,

A empatia é uma situação muito séria, que pode ter implicações graves e?

Boas, muito boas.

É um processo natural, inexplicável.

Se te cruzas com uma pessoa, sorris, ou ela te sorri, esse sorriso pode fazer a diferença. Por vezes é o suficiente para te sentires "reconciliada" com a vida.

Mas quando isso não acontece com um chefe, ou um médico, por exemplo?
Só te digo é, ou pode ser, muito complicado!

Já me aconteceu com uma chefia e, digo-te, não é fácil. Só de lhe sentir os passos ficava de "cabelos em pé".

Beijinho.

Utena disse...

Henriqueamigo,

A verdade é que as empatias são isso mesmo... voltamos e perdoamos.

Beijos amigo vou tentar ser menos ausente

Utena disse...

Fire,

As empatias não se obrigam, acontece sem fazermos nada para isso...
Dá tempo ao tempo.

Beijinhos

Utena disse...

Martini,

Basta estarmos um bocadinho atentos aos sinais.
Um sorriso quando recebemos uma sms... um olá mais carinhoso quando nos cruzamos com a pessoa... a facilidade de brincar mesmo quando nunca vimos quem está do outro lado.
E faz diferença acredita.

Beijinhos

Utena disse...

Moi,

Fico feliz por saber isso acredita.

Beijinhos

Utena disse...

Teresa,

Nesses casos há que saber ter "jogo de cintura" e levar para a frente.

Beijinhos

Nokas disse...

Acho que é uma coisa tão natural com determinadas pessoas que deve ser aproveitada ao máximo!!

Anónimo disse...

A propósito do sorriso, e como sei que gostas :-)

"Sorriso audível das folhas
Não és mais que a brisa ali
Se eu te olho e tu me olhas,
Quem primeiro é que sorri?
O primeiro a sorrir ri.
Ri e olha de repente
Para fins de não olhar
Para onde nas folhas sente
O som do vento a passar
Tudo é vento e disfarçar.

Mas o olhar, de estar olhando
Onde não olha, voltou
E estamos os dois falando
O que se não conversou
Isto acaba ou começou?"

Fernando Pessoa

Beijinhos grandes,
OlgaM

Utena disse...

Nokas,

È saber dar valor a esses pequenos intervalos na luta do dia

Utena disse...

Olga,

Amo como sabes Fernando Pessoa...obrigada amiga do coração a partilha

Beijinhos