segunda-feira, 7 de maio de 2012

Dreaming


Eu sou uma sonhadora por natureza, aliás acho que nasci sonhadora…acredito que em parte os momentos onde me ausento da realidade para um mundo só meu é as alturas em que consigo ter um intervalo para a minha realidade e aonde acabo por a ver melhor… porque a observo como a espectadora de um qualquer bizarro espetáculo. Confuso?
Talvez um pouco mas acredito que um mente como a minha acaba por baralhar a sua própria dona.
Os meus momentos de sonho acordada, são como aqueles textos com narrador… onde intervém naquela parte em que nos perdemos da história… nos ausentamos por alguns minutos para ir buscar um copo de água ou umas bolachas com marmelada e quando retomamos a leitura não sabemos muito bem aonde a acabamos quando encostamos o livro aberto na almofada do sofá. E ele intervém como um amigo que nos dá as últimas e nos impede a necessidade de ter de voltar atrás algumas páginas evitando que nos demoremos para chegar às aventuras que nos esperam no capítulo que se segue.
Assim são esses meus momentos… uma espécie de intervalo elucidativo do que se passa a minha volta antes de mergulhar no que por aí vem.
O que eu sinto é que cada vez mais se está a perder essa capacidade de sonhar… de parar por uns instantes e absorver o nosso mundo… mas de fora! Sem muitos enfeites… sem muitas palavras caras… sem palmadinhas nas costas. Parar e sonhar… o que fizemos até agora… o que desejaríamos fazer…porque não o fizemos…o que mudou!
Carrega-se nos ombros o peso do que supostamente somos para uns…o que deveríamos ser para outros… que o que realmente somos se perde na pressão do dia-a-dia! E o que temos é pessoas mal-humoradas…tensas… determinadas a levar a vida pelos conceitos da sociedade ao em vez dos seus.
E custa-me ver isso em quem me rodeia…com quem lido… com quem falo… e sinto que na realidade a diferença entre sobreviver e viver realmente se mede num sonho que perdemos… e que temos medo de o voltar a sentir!
Porque pensando bem cada dia mais se sente o medo que se tem dos sentimentos…não dos de posse, de controlo, de poder… esses são efémeros demais para serem levados a sério pelo pouco tempo que temos neste mundo… os de amizade… de amor… de entrega. De cumplicidade que se têm muitas vezes com um estranho que se encontra no café pela manhã mas que cortamos antes que tome raízes porque temos medo da realidade alternativa que poderá daí advir!
Sei que sou idealista demais… que para mim o que deveria ser é uma utopia irreal de alguém que perde demasiado tempo no mundo da realidade sonhadora… mas a verdade é que se pelo menos uma vez nos deixássemos levar pela realidade assustadora do que somos ao em vez da realidade do que deve ser… talvez… quem sabe… o mundo seria bem melhor!
Namasté!

18 comentários:

Black Angel disse...

Vejo ME..em cada palavra tua ;)

Vivo..sonho..arrisco!!

Beijo de outra sonhadora

Nokas disse...

Acho que é por seres assim que gosto tanto de ti!! Identifico-me contigo...

Utena disse...

Black,

Vives intensamente...por isso adoro o que escreves e como o escreves!

Beijo-TE

Utena disse...

Nokas,

O sentimento é reciproco.

Anónimo disse...

É preciso manter o coração aberto, os sonhos vivos e os preconceitos de lado...viver o que a vida nos dá sempre buscando a felicidade e correndo atrás dos nossos sonhos!
beijos grandes,
OlgaM

Utena disse...

Olga,

Sim e esquecer o medo absurdo de viver.

Beijos

Margarida disse...

Como me encontrei tantas vezes neste texto!
Parabéns!

Salvador disse...

O sonho continua a, e tem que, comandar a vida, Utena. Agora mais do que nunca. Vale por tudo o que é livro de auto-ajuda e supressor de emoções...))

Vera, a Loira disse...

Acredita que me identifiquei muito com este post, já escrevi sobre isto um dia lá atrás, mas muito mais resumido.

MisterCharmoso disse...

fico a espera da pergunta

Utena disse...

Margarida,

Obrigada.
Fico feliz por isso

Beijos

Utena disse...

Salvador,

E só assim vale a pena levar a vida.

Beijos

Utena disse...

Vera,

Fico feliz de teres gostado.

Beijos

Utena disse...

Charmoso,

Eu sou pouco de perguntar... sou mais de descobrir

FireHead disse...

De facto é bom sonhar e o sonho até costuma estar na origem de grandes coisas, como obras e actos, mas infelizmente a vida também não é nenhum sonho.
Podemos viver sonhando ou sonhar vivendo, mas quando acordamos e mantemo-nos acordados, simplesmente vivemos o que não é um sonho.

Martini Bianco disse...

Sem sonhos não seriamos nada, o problema reside quando se sonha de mais. Creio que todos já viveram fases em que sonharam demais e outras onde deixaram de o fazer, e creio que isso também tem haver com os relacionamentos serem bons, maus ou inexistentes e o sonho aí funciona como um termómetro que nos mostra que algo vai bem ou mal.

Utena disse...

Fire,

A vida quando sonhada é fácil de viver mas como em tudo o meu sonho pode ser o teu pesadelo.
Há que saber ser sem cruzar os limites dos outros.

Beijos

Utena disse...

Martini,

Acredito nos sonhos como no intervalo que a vida nos dá para fazermos um resumo do que somos.

Beijos