sábado, 26 de março de 2011

Gaia

Gaia está ferida, magoada, destroçada… está ofendida e zangada pela forma como tem sido tratada… está irritada. E a verdade é que quando ela se irrita pouco podemos fazer para evitar as suas acções a não ser esperar que acalme e volte a ser a mãe extremosa que nos habituou que seja.
Os Homens não aprenderam ainda que a natureza não é algo que consiga ser conquistado ou domado… a falsa ilusão de controlo que tem é que faz com que as calamidades que ultimamente têm sucedido atinjam as dimensões que vemos…
Hoje temos a “Hora do Planeta”, onde nos dizem para apagarmos as luzes das 20h30 às 21h30, onde tentam aligeirar e fazer com que a humanidade adira, com ideias românticas de velas acesas… jantares íntimos e outras que tais.
Não concordo… não aceito! Não acho certo nem justo para com o planeta uma hora por ano… onde se faz as coisas parecerem mais festivas, menos problemáticas.
Continuamos sem ter a consciência que o planeta não é uma gaveta sem fundo, onde se pode retirar tudo sem pensar em repor e nas consequências dos nossos actos… mais como ser vivo que é leva muito tempo a sarar as feridas da ganância a que é constantemente sujeita.
Admiramo-nos com as calamidades naturais que ouvimos, umas atrás das outras, uma pior que a outra… todos os dias… e nem isso nos faz levar a mão a consciência e pensar que se calhar o facto de deixarmos terrenos estéreis, extinguirmos espécies, roubarmos terra ao mar, destruirmos hectares inteiros de floresta poderá ser a causa disto tudo que vemos… que talvez, e isto digo eu que não entendo nada disso, seja Gaia a gritar a todos os pulmões que estamos a esticar uma corda, já ela esticada ao máximo e pronta a partir.
Não posso deixar de dar valor à iniciativa, uma alerta, uma chamada de atenção… mas não posso também deixar de pensar que pequenas atitudes, ligeiras mudanças de estar na vida podiam melhorar em muito a nossa e a vida do planeta!
Que não nos pertence, que já tinha habitantes quando “chegamos” e que é grande e fértil o suficiente para dar para todos.
E que é linda e frágil dentro da sua imensa força e que deve ser protegida… mimada e acarinhada… por nós e por quem a seguir vier!
Dói-me a alma pensar que daqui a alguns anos, tão poucos, espécies com quem convivi directa e indirectamente estarão extintos! Deixarão de fazer parte deste mundo que é deles tal como é nosso… que nos pertence em partes iguais!
Por isso esta noite, quando apagares as luzes, quando acenderes romanticamente as velas em tua casa, lembra-te de fazer uma promessa a Gaia com o testemunho de Vesta (Deusa do fogo e do lar), de fazeres pequenas coisas, simples atitudes que homenageiam o que se quer fazer em grande escala no dia de hoje.
Ama o teu lar... mas não apenas as paredes que o sustentam
Namasté

8 comentários:

TERESA SANTOS disse...

Abomino "dias disto e daquilo"
Abomino a ligeireza, o ar de festa com que se celebram uns, o ar de tragédia que se que pretende dar a outros, o ar "balofo", hipócrita, de tudo isto.
Não, não vou apagar as luzes!
A defesa de um mundo, um ambiente melhores, não se resolve com medidas dessas.
Hipócritas!
Beijinho.

Henrique ANTUNES FERREIRA disse...

Utenamiga

Namasté, de mãos postas, como deve ser. Atenção: conheço a Índia, a minha mulher Raquel é Goesa, mas semicatólica. Eu já fui católico, mas curei-me.

Essa da promessa a Gaia é bué da fixe(*), e a Vesta gostará, estou certo. E a conclusão ainda é melhor: "Ama o teu lar... mas não apenas as paredes que o sustentam". Bonito. Parabéns.

O Salvadoramigo tinha (e tem, e terá) razão quando considera que tu és uma querida. E és mesmo.

Há, apenas, uma coisa que me tem deixado um tanto ou quanto preocupado: que vem a ser isso dos selos? Burro velho não aprende línguas, mas...

Qjs = queijinhos = beijinhos

_______

(*) Okeu aprendo cos meus netos...

M. disse...

Meu desejo: Vida Nova de Gaia:)

(não é muito oportuno mas hoje...)

Utena disse...

Teresa,
Possam as novas gerações aprender...
O homem será sempre igual a si mesmo em tudo vê motivo para festejo
Beijos luminosos

Utena disse...

Henrique,
Antes de mais obrigada pela visita e pelas carinhosas palavras, o Salvador é um exagerado que adoro ler.
Prometo uma visita ao teu cantinho mas hoje ja se faz tarde e ainda vou a minha meditação.

Quanto aos selos vê como um mimo que dei a quem gosto.

E continue a aprender com os netos como imagino que eles fazem com o avô especial que é.

Abreijos (abraços e beijos)

Utena disse...

M.
E eu que sou de Vila Nova de Gaia já viste?

Ana disse...

Sis, partilho contigo a indignação do que se faz ao nosso planeta.Creio também, que a Natureza tem uma forma sábia de recuperar o seu equilibrio (o que ainda é possível), não se compadecendo com espećie A, B ou C. Afinal de contas, somos uma das que por aqui "passeiam", embora tenhamos a pretensão de ser A espécie.
No entanto, iniciativas como estas, são, na minha opinião, de louvar. Não pelo espirito da "carneirada"( ao qual eu sou, como bem sabes, aversa) mas pela consciencialização a nivel global da situação do planeta. O espirito de união que se cria, nem que seja por uma hora, um minuto, um segundo, em simultâneo, acaba por ser qualquer coisa de fantástico. Quem nunca experimentou, devia experimentar; só para perceber se sim ou se não. E se no meio de tantos milhares de pessoas, houver algumas que despertem para esta terrivel realidade e, comecem a pôr em práctica diária, pequenos gestos de preservação ecológica(porque é disto que se trata) se calhar...já valeu a pena. A forma como se chega ás pessoas, é capaz de ser a menos importante. Importante é chegar.
Eu por mim falo, que nestas coisas, vibro em unissono com o Universo e alio-me a estas coisas de consciência e vontade plenas.
Se quiseres saber mais sobre a iniciativa (provavelmente já foste), vai a: http://www.earthhour.org/Homepage.aspx

Beijos do tamanho do mundo :)

P.S: BTW, "Namasté", tb se diz com as mãos unidas levadas á fronte e depois ao peito (na "chacraria", como bem sabes); ou só com uma mão nas mesmas zonas.

Utena disse...

Irmã,
Eu conheço a iniciativa, e estive nela presente de espirito e de alma.. mais uma energia para ver se conseguimos abrir os olhos a quem os tem teimosamente fechados.
O que me doi é que tal como beatas a saída da porta da igreja ás 21h31 já poucas pessoas se lembraram do motivo de tal acto.
Possam iniciativas abrir o coração e a mente de alguem... o tempo está a ficar curto.
Namasté.... com as mãos unidas elevadas a fronte e ao peito... a boa maneira da "chacraria" mesmo como eu gosto
Beijo do tamanho do mundo.... abraço da força do sol