quinta-feira, 21 de abril de 2011

Hulmidade (Sentimento Confundido?)

Hoje enquanto comentava um texto no brilhante blogue da personagem M, dei por mim a criticar a falsa humildade que por aí abunda.
Atenção nada tenho contra a humildade na verdadeira ascensão da palavra… Humildade vem do latim da palavra húmus, que basicamente significa terra fértil, rica em nutrientes logo pronta para receber a semente e dar bons frutos. O que para mim quer dizer que se formos suficientemente humildes para receber ensinamentos, sejam eles de adultos ou crianças, novos ou velhos mais ou menos habilitados que nós prepararemos o nosso terreno e a nossa personalidade para um crescimento que nos será útil nesta viagem que é a vida.
Verdade seja dita ser humilde nunca matou ninguém mas ser exageradamente humilde para mim indica a incapacidade de certas pessoas de assumir aquilo que são.
Ter vergonha de ser mais forte, de ter maior capacidade ou de ser bom no que se faz não só é ridículo como é estúpido.
Não confundam nas minhas palavras arrogância e snobismo com a certeza das capacidades que se tem, aliás porque quem é bom de facto não anda a dize-lo aos quatro ventos… não precisa porque a força por detrás da certeza que nos inunda, quando se sabe, não necessita de ser publicitada. Ela realça-se aos olhos dos outros.
Acreditem que na minha vida tenho levado várias vezes nas orelhas… algumas com razão outras sem ela que deveria ser mais humilde… baixo a cabeça quando sinto nelas a minha incapacidade e tolerância para certos “fricoques” necessários para o bem saber viver… mas noutras vezes revelo em mim um intolerância a ter de “esconder” o que sei e a força que tenho porque não é “bonito” mostramo-nos mais que os outros.
Tenho dificuldade em lidar com esse sentimento quando em meu redor sou obrigada a conviver com seres medíocres e inferiores apenas porque ou têm um canudo na mão ou um cargo de chefia… e amigos convínhamos que neste país e na maioria das empresas os cargos de chefia são garantidos a amigos e a quem mais conveniente é neste jogo de interesses baixos e podres que me agoniam e me deixam mal disposta.
Mais confundir humildade com burrice também me deixa indisposta, sou daquelas pessoas que sente prazer na arte do aprendizado… que necessita de ser motivada dia-a-dia com novas ideias… com novos desafios. Deliro passar horas a conversar, a aprender, a evoluir! Não tenho problema nenhum em perguntar. Aliás sou a chamada “pain in the ass” (ou a chata do caraças) pois sempre que não entendo, pergunto…questiono… investigo até estar completamente satisfeita e segura que sei o que estou a fazer porque o compreendo e não porque decorei o que me disseram e avanço com uma pala nos olhos apenas para parar meio metro à frente assim que a mesma situação se apresentar mas de maneira diferente.
Faço questão de ser boa em tudo o que faço… numas coisas pode até as coisas fluírem facilmente e me sentir segura com meia dúzia de tentativas, mas maioritariamente a minha capacidade que tantas vezes foi enaltecida por todos foi conseguida a custa de muito esforço e de muitas horas sem dormir. A conta de muita base para olheiras e maquilhagem cuidada que encobre as mazelas do cansaço… as poucas horas dormidas, mas que depois me permitem saber o que faço, a forma como o faço e sem ser melhor que ninguém com a certeza que onde ponho as mãos vai sair bem feito e orientado para quem atrás de mim vier.
Porque verdade seja dita e de uma forma muito humilde a mentalidade que vejo e com que lido fez-me aprender a base de muita dor de cabeça e grande incapacidade de aceitar que por norma todos são humildes e todos baixam a cabeça até se lhes ver as cuecas, mas no meio disso as coisas são feitas mal e porcamente de uma forma descuidada, com a certeza porém que quem vier atrás que se amanhe e que feche a porta.
Por isso posso dizer!
Humilde? Sou sim…. Mas mais que isso? Sou muito boa naquilo que faço e no que me proponho a fazer! E tenho orgulho nisso.


4 comentários:

Olívia Palito disse...

Excelente texto. Mesmo muito bom. E claro, estou em concordância absoluta. ;)

Beijo e bom fim-de-semana se for o caso. :)

M. disse...

É o que faz andares a frequentar sítios poucos recomendáveis...lol


As palavras têm o valor que a gente lhe der...Os meus pais são pessoas humildes. Do melhor que há!!!

Um reparo para a questão das perguntas: é um dos meus critérios para "julgar" as pessoas. Não pelas respostas...Sempre pelas perguntas!!! Só pergunta quem sabe e quem quer aprender...Ou seja, quem é inteligente:)

Não é?

lol

Utena disse...

Olívia,
Obrigada pela passagem =)
Beijo e uma óptima Pascoa.

Utena disse...

M.

Os maus vícios apanham-se depressa e eu adoro ir lá ao teu cantinho sabes isso.
Sim as perguntas são sinónimo de interesse e vontade de conhecimento.

=)