sexta-feira, 22 de abril de 2011

O dia dela

Hoje em dia todos os dias são dedicados a alguma coisa… temos o dia dos monumentos, o dia do beijo (deste gosto bastante mas tento que seja todos os dias), o dia disto daquilo… enfim parece que por esta altura existe sempre algo a ser festejado.
De todos os dias que se possam festejar, de todas as hipocrisias associadas a esta nova tendência festiva diária uma das que aceito de coração é o dia de hoje.
Dia 22 de Abril… dia de Gaia… da Mãe Terra.
Sou como é logicamente adepta que os passos a serem dados para proteger este ser pulsante de vida deverão ser tomados diariamente e com consciência que são necessários… mais que isso obrigatórios.
No entanto neste caso concordo que um dia dedicado a esta mãe maravilhosa que é Gaia serve como um lembrete… digamos que funciona como um pop up que nos grita aos ouvidos um alerta… que nos faz voltar aos eixos e à consciência que Gaia não é uma “despensa” inesgotável que deve ser protegida, respeitada e acima de tudo amada.
Os alertas constantes que recebemos ultimamente são uma prova que esticamos em demasia a corda e que se nada for feito com urgência ela vai quebrar… de forma terrível e apocalíptica.
Terramoto como a muito não eram vistos, chuvas torrenciais… calor nas terras frias… neve no deserto… O que mais teremos de passar e de ver para tomarmos consciência que algo está terrivelmente mal?
Chegar a conclusão que pequenos gestos que se possam tomar hoje irão repercutir melhorias extraordinárias no futuro… Deixar de lado aquela mentalidade tacanha que o que possa acontecer não irá afectar a nossa geração...que a futura vindoura é que vai ter de se preocupar. Mentalidades egoístas que apenas irão levar a um fim terrível que pode ser evitado.
É necessário acreditar que Gaia tal como uma mãe extremosa que é sabe perdoar os erros dos filhos… mas que tal como qualquer mãe pode perder a paciência e castigar de forma exemplar quem destrói o que tão fundamental é proteger.
Por isso neste dia, que neste ano até calha num feriado saiam a rua e olhem a vida que abunda a vossa volta… sentiam o fresco do ar, o cheiro da terra… a atribulado dia de uma formiga… a beleza do voo de uma andorinha! Congratulem-se e sintam-se abençoados por dividirem este paraíso maravilhoso que é o Planeta Azul e assumam um compromisso!
Proteger a nossa casa! Melhorar a nossa Vida! Aprender novamente o que é ser Humano e como é bom dividir o espaço com todos os seres… todas as raças!
E metam de uma vez por todas na cabeça que a Lei do Retorno não espera, não fica guardada numa caixa de Pandora para explodir na face dos que vêm depois de nós! Não ela actua quando menos esperamos… com quem menos esperamos e da forma que não contamos.
Respeitem e serão respeitados… amem e serão amados! E mais que isso abram o coração a quem vos protege independentemente de todas as agressões e é sujeita e serão abrigados… protegidos… estimados!
Namasté!

8 comentários:

António Branco disse...

Olá Utena!
Obrigado pelos conselhos.
Acho que dividir o espaço com outros seres (humanos) não tem sido uma coisa fácil ultimamente. Mas reconheço que se não se tornar rapidamente uma boa coisa, poderá tornar-se numa coisa inexistente: ou nos damos bem, ou nem nos daremos, nem bem nem mal...
Acredito na lei do retorno. E no facto de que respeitando se será respeitado.
Namasté

Coisas de Feltro disse...

Até ver melhor que o nosso planeta não há, por isso é urgente despertar. Parece-me que a preocupação é crescente, talvez haja esperança... Vamos acreditar e contribuir.

100 Pretensões disse...

Pois eu concordo, há que tratá-la bem!
**

Utena disse...

Olá António,

Um dia de cada vez... sem desistir nem baixar os braços.
Chegamos lá se quisermos.

Utena disse...

Coisas de Feltro,
Acreditar sempre... e lutar pelo que se acredita mais ainda.
Beijinho

Utena disse...

100 Pretensões,
Obrigada pela visita.
Sim temos de cuidar da nossa casa com carinho e cuidado
=)

Nokas disse...

E ele precisa de ajuda urgente...

Utena disse...

Nokas,
Há que despertar a consiência de todos.