sexta-feira, 17 de junho de 2011

Uma força frágil

Nunca fui um pessoa frágil, daquelas que se têm medo de tocar ou até de falar porque receamos que algo no seu interior se desintegre tal qual uma pirâmide de copos de cristal onde foram calculados mal os pontos de apoio.
Não pelo contrário, sempre fui o ponto de abrigo de toda a gente… de diferentes pessoas… onde diferentes ocasiões da vida foram colocadas no meu caminho e que por este ou aquele motivo foi a mim que recorreram como porto seguro…
E porque nunca demonstrei fragilidade e sempre fui parca nas respostas e pronta nas atitudes… porque nunca deixei que amizades se entrepusessem no que acho justo… no que para mim é direito fui muitas vezes tratada com cuidado excessivo como se estivesse envolta em nitroglicerina que poderia explodir a qualquer altura.
Verdade seja dita que em tempos áureos era uma bomba relógio pronta a explodir a qualquer provocação ou tom de voz que me irritasse… fiz muito disparate já na minha vida… deixei alguns olhos negros marcados no corpo e na alma de algumas pessoas!
Mas não sou pessoa de me arrepender disso… aliás era miúda e como miúda que era no meu tempo onde a arte de copiar não era consagrada com 10 valores… existiam os que sobreviviam e os que se deixavam ir na corrente da sobrevivência!
E depois havia os que eram como eu… temidos por alguns… amados por outros… respeitados por quem a nós pouca mossa fazia!
No entanto o que poucas pessoas sabem ou preferem não saber é que mesmo não sendo frágeis na nossa forma de ver a vida existem fragilidades que temos e que não deixamos transparecer…
E eu estou numa dessas terríveis fases onde a fragilidade toma posse e me deixa com o estado de espírito alterado… com dificuldade em sorrir… em constante posição de desconforto onde volta a menina que sempre se viu mulher e dispara ataques duros em todas as direcções como se servissem de camuflado para algo que não quero mostrar!
Sei que vai passar… sei aliás qual a causa deste meu cansaço frágil que me faz ter vontade de pedir colo e exigir que as coisas sejam feitas sem mim… que me chamem apenas quando estiverem resolvidas…
Sei com a certeza que me caracteriza que tudo tem solução… que é apenas preciso coragem persistência e paciência…
E que as tenho em maior ou menor dose… que continuo eu! Decidida… com colo para dar a quem quiser… e frágil mas não como alguém que se poderá partir… Mas na fragilidade de algo antigo cuja força reside nas marcas e nas quebras que o tempo deixou…
E no fundo isso faz de mim esta pessoa que aos poucos me vou dando a conhecer… tão frágil e por isso tão forte!
 Porque para mim a força de alguém faz-se a partir das suas fraquezas e do nosso conhecimento delas…
Namasté!

6 comentários:

CF disse...

Utena
na verdade os teus textos são pequenas fotografias de um belo painel que és tu... gostei desta foto, em especial de olhar para aquelas cores que parecem estar mais esbatidas, mas que depressa tomarão a sua cor natural qd tiverem a iluminação adequada...tudo a seu tempo e no momento exacto a obra de arte mostrará o seu esplendor...embora produto sempre inacabado!!!
Adorei
bjsss

Utena disse...

CF,

As tuas palavras deixam-me sempre com um sorriso nos lábios!
Sim todos somos quadros incompletos e isso é a melhor beleza de nos descobrirmos e ser descobertos!
Beijinhos

100 Pretensões disse...

Nem mais,as forças vêem das nossas fraquezas.
**

Utena disse...

100 Pretensões,

Embora as vezes seja dificil admitir isso.

Álvaro Lins disse...

"Porque para mim a força de alguém faz-se a partir das suas fraquezas e do nosso conhecimento delas…"
Permito-me acrescentar: e da forma de lidar com elas.
Bjo

Utena disse...

Álvaro,

Não só permito como concordo! Muitas vezes é isso que impede as fraquezas de se transformarem em forças!
Beijos